Em 21 dias, SC registra 1,1 mil focos do Aedes aegypti em 75 cidades  - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

 

De olho no mosquito27/01/2018 | 16h38Atualizada em 27/01/2018 | 17h14

Em 21 dias, SC registra 1,1 mil focos do Aedes aegypti em 75 cidades 

Número de focos até 20 de janeiro de 2018 é 75,3% maior do que o contabilizado no mesmo período do ano passado

Em 21 dias, SC registra 1,1 mil focos do Aedes aegypti em 75 cidades  Salmo Duarte/Agencia RBS
Foto: Salmo Duarte / Agencia RBS
Diário Catarinense
Diário Catarinense

O número de focos de Aedes aegypti não para de subir em Santa Catarina. Entre 31 de dezembro e 20 de janeiro de 2018, foram registrados 1,1 mil focos do mosquito em 75 municípios - número 75,3% maior do que o registrado no mesmo período em 2017, quando eram 628 focos em 70 cidades. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica de SC (Dive/SC).

Além disso, o relatório aponta que são 63 municípios considerados infestados, o que representa um incremento de 21% em relação ao mesmo período de 2016, quando eram 51 cidades nessa situação.

Porém, é importante destacar que o alto número de focos nem sempre se traduz em maior casos de doenças, como dengue e zika vírus. Apesar disso, representa um alto risco de disseminação dessas enfermidades, já que a partir do momento em que o vírus começa a circular pode encontrar mosquitos transmissores em abundância. 

Foto: Dive / Divulgação

Nestes 21 dias, SC teve  80 casos suspeitos de dengue, sendo que 28 foram descartados e 52 continuam em investigação pelos municípios. Em relação à chikungunya, foram 12 casos suspeitos no Estado, com um descartado e 11 permanecem em análise. Já sobre o zika vírus, foram três casos notificados e todos ainda estão sendo investigados.  

 Orientações para evitar a proliferação do Aedes aegypti:

  • Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usar, coloque areia até a borda;
  • Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;
  • Mantenha lixeiras tampadas;
  • Deixe os depósitos para guardar água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;
  • Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água;
  • Trate a água da piscina com cloro e limpe uma vez por semana;
  • Mantenha ralos fechados e desentupidos;
  • Lave com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana;
  • Retire a água acumulada em lajes;
  • Dê descarga no mínimo uma vez por semana em banheiros pouco usados;
  • Mantenha fechada a tampa do vaso sanitário;
  • Evite acumular entulho, pois podem se tornar locais de foco do mosquito da dengue.
  • Denuncie a existência de possíveis focos de Aedes aegypti para a Secretaria Municipal de Saúde;
  • Caso apresente sintomas de dengue, chikungunya ou zika vírus, procure uma unidade de saúde para atendimento.

144 cidades de SC somam mais de 11,5 mil focos do Aedes aegypti em 2017

Leia as últimas notícias no Diário Catarinense

Diante do aumento de focos do Aedes aegypti, ações de combate devem ser intensificadas em SC

 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaTemer libera 100% de capital estrangeiro em companhias aéreas brasileiras  https://t.co/gBsfTAcjaqhá 1 horaRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaPM faz surpresa para criança que pediu kits para brincar de polícia em Camboriú https://t.co/0KfuPpSRWZhá 1 horaRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca