Véspera de Natal para dizer adeus às filhas pequenas em Blumenau - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

 

Radar da violência30/01/2018 | 07h45Atualizada em 30/01/2018 | 07h46

Véspera de Natal para dizer adeus às filhas pequenas em Blumenau

Marcioney se divide entre a atenção com a recuperação da mulher e a dor de perder duas filhas em colisão na SC-108

Véspera de Natal para dizer adeus às filhas pequenas em Blumenau Patrick Rodrigues/Jornal de Santa Catarina
Causas do acidente não são claras e chovia muito na hora do acidente Foto: Patrick Rodrigues / Jornal de Santa Catarina

Foi uma oportunidade de trabalho que levou Marcioney Sene de Souza, 45 anos, de Jaraguá do Sul para Gaspar. Fazia cerca de um mês que ele tinha se mudado para trabalhar na construção civil e morar na casa do cunhado, irmão da companheira Leidy Day Ramos Ribeiro, 34 anos, com quem divide a vida há 14 anos. Ela continuava morando em Jaraguá com as duas filhas mais novas do casal. Em um fim de semana ele voltava para ver a família e no seguinte era Leidy quem vinha ao encontro dele com as pequenas. 

Nesse revezamento o Natal coincidiu com a vez de a esposa ir ao Vale do Itajaí. Iriam fazer uma ceia na casa do cunhado e retribuir os anfitriões recebendo-os na virada do ano. No sábado, 23 de dezembro, antevéspera de Natal, Leidy limpou a casa, passou roupa e fez almoço para as filhas. No início da tarde, pegou a estrada rumo a Gaspar

A riqueza de detalhes com que Marcioney relembra os fatos impressiona. O combinado era que ela avisasse o companheiro com uma mensagem quando saísse de casa, mas o celular de Marcioney não tocou. Às 14h45min, ele já estava na frente da casa do cunhado, preocupado com a demora e com o aviso que não chegou. Pegou um café, voltou para a casa e sentou-se no sofá. O celular finalmente chamou, mas no outro lado da linha não era Leidy e sim um policial rodoviário. 

– Ele perguntou: “Senhor Marcioney? O senhor é esposo da dona Leidy?” Eu confirmei. “Ela tem um carro assim, assim?” Eu disse sim, dei para ela no ano passado o carro.” Então ele disse: “O senhor não se assuste, mas houve um acidente com o carro da sua esposa”. 

A partir daí começou uma corrida que só acabou depois de muita dor e sofrimento. Marcioney foi às pressas com o cunhado ao Hospital Santo Antônio. Ali não encontrou Leidy, que foi levada de helicóptero ao Hospital Santa Isabel, mas recebeu um telefonema do Instituto Médico Legal (IML). A ligação informava que as duas filhas do casal, Ana Maria Gabrielly Ribeiro de Souza, 3 anos, e Rafaelly Ramos Ribeiro, de apenas 10 meses, haviam morrido no local do acidente. 

Entre a angústia e a correria por informações sobre a esposa, Marcioney precisou suportar a dor para providenciar o enterro das duas filhas. Familiares de Guarapuava (PR), terra natal do casal, vieram e as duas meninas foram sepultadas na véspera de Natal. O funeral ocorreu em Blumenau – para que ele não precisasse se afastar da companheira no hospital. 

Causas do acidente recuperação de Leidy 

As causas do acidente ainda não são muito claras. Chovia muito no momento da colisão. O Corsa que Leidy dirigia se chocou com um caminhão Scania R400, no Km 61 da SC-108, que liga Blumenau a Massaranduba. A Polícia Militar Rodoviária (PMRv) informou a Marcioney que o carro de Leidy teria invadido a pista contrária por algum motivo, o que causou a colisão com o caminhão. A menina de 10 meses estava no bebê-conforto e a de três anos na cadeirinha, o que não evitou a morte das pequenas.

Leidy ficou um mês na UTI do Hospital Santa Isabel. O traumatismo na região da cabeça foi o que mais preocupou. Precisou se recuperar de uma pneumonia e sofreu uma fratura no braço direito e outra no quadril. Há uma semana, foi transferida para a internação. Lá pode ser acompanhada por Marcioney por mais tempo. Leidy ainda respira por uma traqueostomia, se alimenta por sonda e não consegue se comunicar. 

A expectativa dos médicos é de que daqui a 15 ou 20 dias ela possa ter alta. Aí começará outra luta. A da adaptação para a recuperação. O conforto para superar a perda das filhas, da qual ainda não foi informada. A necessidade de recomeçar a vida. E superar a dor que, depois de relembrar a história, consegue derrubar até mesmo a imensa força de Marcioney. 

RADAR DA VIOLÊNCIA NAS ESTRADAS
A iniciativa Radar da Violência nas Estradas envolveu 38 profissionais dos veículos da NSC Comunicação. Desde 22/12/2017, jornalistas acompanharam o número de vítimas nas rodovias estaduais e federais de SC até 10/1/2018. Diferentemente dos dados oficiais das polícias, que registram apenas casos de morte no local, a reportagem também monitorou as vítimas que morreram nos hospitais.
HISTÓRIAS
De terça-feira até quinta-feira, os jornais da NSC Comunicação publicam histórias de vítimas de acidentes e sobreviventes.
REPERCUSSÃO
Na quinta-feira, das 14h às 16h, a CBN Diário e o Facebook do DC traz debate sobre o tema dividido em três rodadas: autoridades (PRF e PMRv),infraestrutura (DNIT e Deinfra) e socorristas (Samu e bombeiros). 

Leia também
::
Duas crianças morrem em acidente entre carro e caminhão em Blumenau
::
Confira notícias de Blumenau e região em santa.com.br
::
NSC Comunicação faz mapeamento da violência nas estradas de SC
::
55 pessoas morreram em 20 dias nas rodovias de SC, mostra levantamento da NSC Comunicação

 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaJovem morre após colisão em árvore na BR-470, em Trombudo Central, no Vale do Itajaí https://t.co/5tn8POfN57 #LeiaNoSantahá 10 minutosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaÀs 18h, os brinquedos da Planetapeia vão percorrer os setor do Parque Vila Germânica. Às 19h será a vez de atrações… https://t.co/hdgiMphZqbhá 7 diasRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca