Novo equipamento de radioterapia reforça luta de pacientes contra o câncer em Blumenau - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

 

Atendimento ampliado13/02/2018 | 07h00Atualizada em 13/02/2018 | 07h47

Novo equipamento de radioterapia reforça luta de pacientes contra o câncer em Blumenau

Hospital Santo Antônio oferecerá tratamento com radioterapia para paciente oncológicos, em plano do governo federal

Novo equipamento de radioterapia reforça luta de pacientes contra o câncer em Blumenau Patrick Rodrigues/Jornal de Santa Catarina
Foto: Patrick Rodrigues / Jornal de Santa Catarina

Blumenau é uma das cidades incluídas este ano no Plano de Expansão da Radioterapia – programa do Ministério da Saúde criado em 2012 que prevê a instalação de aceleradores lineares em instituições de saúde pelo país. Já está definido que o equipamento será instalado no Hospital Santo Antônio, mas a data ainda é incerta. O equipamento é tão relevante para a área que a direção da instituição trabalha para colocar em funcionamento outro acelerador linear que foi cedido ao hospital pela Fundação de Apoio ao Hemosc/Cepon (Fahece) em 2009. A previsão é que isso ocorra no primeiro semestre deste ano.

Segundo a gerente geral do hospital, Isabel Cristina Casarin, o equipamento não poderia ser colocado em operação, pois a instituição não possuía local de acordo com as recomendações exigidas.

— Posso falar a respeito do tempo que estou no hospital, desde 2014. Quando assumimos a gestão fomos rever o projeto e tinham várias adequações a serem feitas. O projeto foi refeito e enviado para a vigilância sanitária e para Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), para ser validado. Após isso, retomamos a construção com a casamata que viabiliza a instalação do acelerador linear, além do atraso da obra, o repasse de recursos também contribuiu para a demora da finalização das instalações — argumenta a gerente do hospital.

O espaço que receberá o antigo equipamento está em fase de conclusão e passou por teste e manutenção para validar a funcionalidade. Com relação ao acelerador linear do plano do governo federal, a direção do hospital aguarda as especificações para adequar a obra que vai abrigar o novo equipamento. Assim, a unidade passará a contar com dois dispositivos para o tratamento de radioterapia.

Para a construção dos locais que vão receber os aparelhos foram investidos cerca de R$ 10 milhões, recursos vindos do governo municipal, estadual, federal e da própria instituição. A previsão da direção do Hospital Santo Antônio é iniciar o tratamento no primeiro semestre deste ano.

Atendimento é feito por convênio com clínica
Atualmente, as sessões de radioterapia para quem necessita da rede pública de saúde em Blumenau são feitas por meio de convênio do SUS com a clínica CORB. Segundo o médico radioncologista da empresa, Omar Sulivan Ruzza Filho, a unidade atende aproximadamente mil pacientes por ano. De acordo com a Secretaria Municipal de Promoção da Saúde não há fila de espera para esse tipo de tratamento na cidade.

A costureira Vera Lúcia Borchardt, 46 anos, moradora de Timbó, descobriu que estava com câncer de mama, em fevereiro do ano passado.

— Já desconfiava que tinha algo errado, percebi que ocorreu algumas mudanças na minha mama, mas logo comecei o tratamento com quimioterapia, e em agosto fiz a mastectomia radical. No final do ano passado comecei as 28 sessões de radioterapia e hoje estou curada do câncer, tudo foi muito rápido — afirma Vera Lúcia, que fez o tratamento na clínica de radioterapia.

Segundo a gerente geral do hospital, ainda não há uma definição sobre como ficará a divisão entre o hospital e a clínica conveniada que presta o serviço no momento. O número de atendimento radioterápico tende a expandir, pois hoje muitos municípios que não possuem o serviço encaminham seus pacientes para outras cidades, como Lages e Florianópolis. A partir da efetivação do serviço devem começar a enviar para Blumenau. Esta divisão deve ser feita pela Secretaria de Estado da Saúde e secretarias municipais.

Cerca de 600 mil brasileiros serão diagnosticados com algum tipo de câncer em 2018. A estimativa é do Instituto Nacional de Câncer (Inca) e do Ministério da Saúde. É a segunda maior causadora de mortes no país, perdendo apenas para doenças do coração e do aparelho circulatório, e suscita a necessidade de tratamento adequado e abrangente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Itajaí também será beneficiada
O início das obras do Plano de Expansão da Radioterapia no Hospital Marieta Konder Bornhausen, em Itajaí, está previsto para o dia 12 de abril de 2018, com previsão de operação para julho de 2019, conforme o Ministério da Saúde. Atualmente, o hospital atende pacientes de toda a região da Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí (Amfri), composta por 11 municípios que totalizam aproximadamente 700 mil habitantes, mas não possuem serviço de radioterapia pelo SUS.

Os pacientes que necessitam do tratamento são encaminhados às unidades hospitalares de Blumenau para o tratamento oncológico. A estimativa inicial é de atender 25 pacientes por dia, número que pode aumentar dependendo da incidência de casos que necessitam de radioterapia.

Foto: Reprodução / Reprodução


Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaBlumenau inaugura curso de tecnologia inclusiva nesta quarta-feira https://t.co/8yE1keYYHH #LeiaNoSantahá 30 minutosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaPRF apreende veículo com mais de R$ 17 mil em débitos na BR-101, em Itapema https://t.co/a46xZki5EE #LeiaNoSantahá 2 horas Retweet
Jornal de Santa Catarina
Busca