Como estão as obras de mobilidade em Blumenau - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

 

Mobilidade25/04/2018 | 22h20Atualizada em 25/04/2018 | 22h20

Como estão as obras de mobilidade em Blumenau

Oito meses após início de projetos do pacote do BID, dois novos terminais e binário das ruas Chile e República Argentina se aproximam da marca de 30% de execução

Como estão as obras de mobilidade em Blumenau Patrick Rodrigues/Jornal de Santa Catarina
Obras do Terminal da Água Verde estão 21,5% concluídas Foto: Patrick Rodrigues / Jornal de Santa Catarina

Os dois novos terminais de ônibus de Blumenau são tidos como estruturas importantes para melhorar o transporte público e a mobilidade urbana na cidade. As duas obras começaram em agosto do ano passado e agora se aproximam da marca de 30% de execução. O Terminal Integrado Norte, que fica no bairro Itoupava Central, já tem 27,2% do cronograma concluído. Os principais avanços foram na parte de drenagem, terraplanagem e na construção de uma ponte na Rua Mário Giese, que aguarda a chegada das últimas partes estruturais e deve ser concluída na primeira quinzena de maio. Já o Terminal Integrado Oeste, no bairro Água Verde, tem 21,5% dos trabalhos efetuados. 

Segundo o secretário de Infraestrutura de Blumenau, Régis Evaloir da Silva, até o momento foram feitos serviços de drenagem, terraplanagem e estaqueamento. A desapropriação de um terreno que fica na área onde será construído o terminal, no entanto, pode ameaçar a sequência da obra a partir do final de maio, quando a continuação dos trabalhos deve exigir parte da área a ser incorporada pelo município. Por enquanto, diz o secretário, Prefeitura e proprietário ainda divergem sobre o valor a ser pago pelo imóvel e não está descartada a chance de o caso parar na Justiça se não houver acordo nas próximas semanas. 

As duas construções fazem parte do pacote de mobilidade com recursos financiados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). As outras três obras que integram o projeto são a duplicação do trecho já existente da Rua Humberto de Campos, a readequação da Rua General Osório, ambas no bairro da Velha, e o binário da Rua Chile e da Rua República Argentina, as duas no bairro Ponta Aguda. Todas devem estar concluídas até agosto de 2019, sob pena de o município ter que renegociar um saldo financeiro com o banco. A maioria dos prazos, no entanto, é de 12 meses. Caso sejam cumpridos, as primeiras obras do pacote estarão prontas em agosto deste ano. 

Das cinco obras elencadas, a que está mais adiantada é a do binário, com 29,9% de execução. A Rua República Argentina recebeu uma primeira camada de asfalto de quatro centímetros e esta semana teve início a retirada de vegetação na Rua Chile, que será prolongada em um trecho de 280 metros à margem do Rio Itajaí-Açu, até próximo ao cruzamento da República Argentina com a Rua México. 

A obra mais demorada promete ser a duplicação da Rua Humberto de Campos, que inclusive exigiu a interdição no trecho entre a Rua 7 de Setembro e o portal do Parque Vila Germânica. Apesar do prazo contratual de dois anos, uma mudança na construção, que passou a usar células pré-fabricadas para a galeria em vez de estruturas montadas com concreto no local, permitiu um ganho de aproximadamente seis meses no cronograma. A intenção da Prefeitura é liberar o trânsito para veículos no trecho hoje bloqueado até setembro deste ano. Existe a possibilidade de a Rua Clara Mantau e o trecho da Rua Humberto de Campos até a Delegacia Regional estarem acessíveis já no final de maio.

As obras

Terminal das Itoupavas
O novo terminal integrado da região Norte ficará entre as ruas Mário Giese e Gustavo Zimmermann, na Itoupava Central. A obra prevê ainda uma rotatória no cruzamento das ruas Doutor Pedro Zimmermann, Mário Giese e Ricardo Georg, uma ponte na Rua Mário Giese e o alargamento da Rua Gustavo Zimmermann no trecho próximo à nova estrutura, que também terá estacionamento para carros e bicicletário.
Ficha técnica
Obra:
Terminal das Itoupavas
Trecho: entre as ruas Mário Giese e Gustavo Zimmermann, na Itoupava Central
Empresa contratada: MJRE Construtora e Compasa do Brasil Distribuidora de Derivados de Petróleo
Valor: R$ 18.410.945,81
Prazo: 14 meses (terminal) e 12 meses (rotatória na Pedro Zimmermann). Ambas começaram em 22 de agosto de 2017
Etapa atual: Até o momento a obra já recebeu drenagem, terraplanagem e alargamento da pista. A ponte já teve as cabeceiras concluídas e aguarda outras partes estruturais, com previsão de ser finalizada na primeira quinzena de maio. A rotatória foi iniciada este mês e deve ficar pronta até o fim do ano.
Evolução: 27,2%

Terminal da Água Verde
Ficará no trevo das ruas General Osório, Johann Ohf e Guilherme Poerner, no bairro Água Verde. Terá uma área de 4.280 metros quadrados (metade coberta) e também terá estacionamento para ônibus, veículos e bicicletas, além de uma área de lazer ao lado.
Ficha técnica
Obra:
Terminal Integrado Oeste
Trecho: entre as ruas Guilherme Poerner, General Osório e Johann Ohf, no bairro Água Verde
Empresa contratada: MJRE Construtora
Valor: R$ 15.503.728,70
Prazo: 14 meses (iniciada em 22 de agosto de 2017)
Etapa atual: Já foram feitos serviços de drenagem, estaqueamento e terraplanagem. Há dificuldade na desapropriação de um terreno que será necessário para a obra a partir do fim de maio
Evolução: 21,5% 

Readequação da General Osório
A obra pretende aumentar a largura dos passeios e a capacidade de tráfego da via no trecho entre a Rua Bahia e a Rua Tóquio, próximo da região alcançada pelo prolongamento da Rua Humberto de Campos. A via passará a ter três faixas em vez das duas atuais – uma delas, reversível.
Ficha técnica
Obra:
Readequação da General Osório
Trecho: Entre as ruas Bahia e Tóquio, nos bairros Velha e Salto Weissbach
Empresa contratada: Compasa do Brasil Distribuidora de Derivados e Petróleo
Valor: R$ 14.169.761,39
Prazo: 14 meses (iniciada em 22 de agosto de 2017)
Etapa atual: a obra começou pelas calçadas e agora recebe instalação de parte da galeria que faz a drenagem pluvial para em seguida receber o novo asfalto. É a que menos avançou percentualmente até o momento.
Evolução: 11,95% 

Duplicação da Rua Humberto de Campos
Entre o pórtico da Vila Germânica e a Rua Marechal Deodoro haverá seis pistas, três em cada sentido – uma para ônibus e as outras duas para os demais veículos. Entre a delegacia regional e o pórtico a pista deve ser alargada para ter duas faixas em cada sentido. Em frente ao pórtico da Vila, a rotatória dará lugar a semáforos e a conversão à esquerda será proibida. A intenção é dar mais fluidez e interligar o trecho ao prolongamento da mesma rua.
Ficha técnica
Obra:
Duplicação da Rua Humberto de Campos, no bairro da Velha
Trecho: entre a Rua 7 de Setembro e a Rua Marechal Deodoro
Empresa contratada: Engeplan Terraplanagem Saneamento e Urbanismo
Valor: R$ 18.156.885,30
Prazo: 24 meses (iniciada em 22 de agosto de 2017)
Etapa atual: a galeria da Rua Clara Mantau já foi concluída e por enquanto o trabalho se concentra na ampliação desta mesma rede de drenagem na Rua Humberto de Campos, no trecho que está fechado para veículos. Por estar usando células pré-moldadas para a galeria e não feitas em concreto moldados in loco, a expectativa do secretário Régis Evaloir da Silva é de que haja um ganho de até seis meses no cronograma. A previsão é liberar o trecho da Rua 7 até a Vila Germânica até setembro, mas a parte inicial dela, até a Delegacia Regional, e a Rua Clara Mantau podem receber asfalto nas próximas semanas e serem liberadas para veículos já no fim de maio.
Evolução: 20,14% 

Binário da Rua Chile
A ideia é fazer um binário da Rua Chile com a Rua República Argentina, no trecho entre a ponte Adolfo Konder e a Rua México. Para isso, a Rua Chile será prolongada até perto do posto de combustíveis que fica na esquina da Rua México. O resto da obra compreende melhorias na República Argentina até o Anel Viário Norte, onde será feita uma rotatória na Rua Luiz Eleodoro da Silva para facilitar o trânsito de quem acessa a cidade pela Rua Silvano Cândido da Silva Sênior (que vai até a BR-470). Além do impacto imediato no trânsito, as obras na região ocorrerão pensando na integração com a futura Ponte do Centro. O projeto contempla também 4,2 quilômetros de ciclovia e calçadas.
Ficha técnica
Obra:
Binário das ruas Chile e República Argentina
Trecho: Ponte Adolfo Konder ao Anel Viário Norte, no bairro Ponta Aguda
Empresa contratada: Consórcio MJRE-SEEL
Valor: R$ 18.092.780,52
Prazo: 12 meses (iniciada em 22 de agosto de 2017)
Etapa atual: A obra que era a mais atrasada no fim do ano passado agora é a que mais avançou – o secretário alega que no começo das obras os percentuais nem sempre representam o trabalho já executado. A Rua República Argentina recebeu uma primeira camada de asfalto de quatro centímetros e esta semana teve início a retirada de vegetação na Rua Chile, que vai ser prolongada em um trecho de 280 metros à margem do Rio Itajaí-Açu, até próximo ao cruzamento da República Argentina com a Rua México. Passeios e ciclovias na República Argentina também já começaram a ser executados, assim como o rebaixamento embaixo da Ponte do Anel Viário Norte para facilitar a passagem de caminhões.
Evolução: 29,9%

* Fonte: Secretaria de Infraestrutura de Blumenau e Secretaria Executiva do Programa de Mobilidade Sustentável e de Projetos Especiais.

 
Jornal de Santa Catarina
Busca