Aumento no número de focos de Aedes aegipty acende alerta em Blumenau - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

 

Saúde10/05/2018 | 21h15Atualizada em 10/05/2018 | 21h15

Aumento no número de focos de Aedes aegipty acende alerta em Blumenau

Pontos em que o mosquito foi encontrado passou de 93 para 111

 

Rios Zika outbreak matches Asian virus: study(FILES) This file photo taken on January 25, 2016 shows an Aedes Aegypti mosquito photographed on human skin in a laboratory of the International Training and Medical Research Training Center (CIDEIM) in Cali, Colombia.  The mosquito-borne Zika virus behind last years outbreak in Rio de Janeiro closely resembles another strain from Asia and may have been introduced by Pacific Island athletes, researchers said April 12, 2016. Their report in the journal PLOS Neglected Tropical Diseases offers the first detailed analysis of the outbreak in a Latin American city, and gives further weight to the hypothesis that Zika may have been brought to Brazil by foreign visitors who came to compete in a canoe championship in late 2014. / AFP PHOTO / LUIS ROBAYOEditoria: HTHLocal: CaliIndexador: LUIS ROBAYOSecao: epidemic and plagueFonte: AFPFotógrafo: STR
Mosquito é o transmissor de ao menos três doenças.Foto: LUIS ROBAYO / AFP

O aumento no número de focos de Aedes aegitpy em Blumenau gera um alerta na Vigilância Epidemiológica. Os casos aumentaram de 93 em todos o ano passado para 111 apenas nos cinco primeiros meses deste ano. Embora não esteja entre as cidades infestadas pelo mosquito, o número desperta a atenção por parte da coordenação de Prevenção e Combate à Dengue.

Conforme Eleandra Casani, coordenadora do programa, os bairros Salto Weissbach e Itoupavazinha a situação é mais preocupante, onde foram registrados 40 focos – 36% do total de Blumenau. É justamente nesses bairros que ocorrem ações mais específicas por parte da Secretaria de Saúde para prevenir o mosquito que é transmissor de doenças como dengue, zika e chikungunya. 

– As regiões do Badenfurt, Itoupava Central, Salto do Norte, Do Salto e Passo Manso são outros que constam na nossa lista de prioridade – destaca Eleandra.

Como eliminar os criadouros do mosquito

Mantenha as calhas para água da chuva desentupidas;
Bloqueie o cano de sustentação da antena parabólica para que não acumule água em seu interior;
Guarde pneus velhos e outros objetos que possam acumular água em locais secos e abrigados da chuva;
Lave semanalmente, com escova, a parte interna dos tanques utilizados para armazenar água;
Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usar, coloque areia até a borda;
Troque, semanalmente, a água dos vasos com plantas aquáticas e lave a parte interna do vaso com escova;
Plantas como bromélias devem ser evitadas porque acumulam água;
Mantenha a caixa d'água com a tampa completamente vedada. Retire a água acumulada na laje;
Elimine qualquer objeto que possa acumular água, como as partes de garrafas de vidro utilizadas em cima do muro;
Lave, com escova, os potes de comida e de água dos animais uma vez por semana, no mínimo;
Trate a água de piscinas com cloro e limpe-as uma vez por semana. Utilizar uma capa como cobertura não impede os focos do mosquito;
Coloque latas, tampas de garrafas, cascas de ovos e outras embalagens vazias em sacos plásticos bem fechados antes de descartá-los. Mantenha-os fora do alcance de animais até o recolhimento;
Mantenha os ralos vedados e desentupidos. 

 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaDuas pessoas morrem em acidente na BR-470, em Ilhota https://t.co/DzntbjJaXo #LeiaNoSantahá 2 diasRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaDois homens são presos após roubo a lotérica no Centro de Gaspar https://t.co/4xM5W69r7C #LeiaNoSantahá 2 diasRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca