Baixo movimento no comércio e falta de ônibus: semana começa com mudança na rotina dos blumenauenses - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

 

Paralisação28/05/2018 | 12h51Atualizada em 28/05/2018 | 13h02

Baixo movimento no comércio e falta de ônibus: semana começa com mudança na rotina dos blumenauenses

Transporte coletivo com horários diferenciados é o que mais afeta a população

Baixo movimento no comércio e falta de ônibus: semana começa com mudança na rotina dos blumenauenses Adriano Lins/Jornal de Santa Catarina
Foto: Adriano Lins / Jornal de Santa Catarina

Após sete dias de greve dos caminhoneiros, os efeitos da paralisação dos caminhoneiros são sentidos pela população de Blumenau. O cenário na manhã desta segunda-feira era de um dia atípico e as poucas pessoas e veículos nas ruas denotavam que a rotina foi alterada.

O principal impacto foi no transporte público, que desde a última quinta-feira funciona com horário reduzido. A medida visa garantir o serviço por mais tempo para a população. A mudança nos horários confundiu a população, como é o caso da vendedora Marcelle da Rosa, que trabalha no período da noite e trocou de turno para conseguir utilizar o transporte público, mas ao chegar no Terminal da Fonte, após às 8h, verificou que não tinha ônibus para ir ao trabalho, no bairro Itoupava Norte.

— Ontem (domingo) já não pude trabalhar, pois não havia ônibus. Agora terei que pegar um Uber para ir trabalhar, eu achei que era o contrário, que neste horário teria transporte — conta.

Começo da semana em Blumenau no oitavo dia de paralisação dos caminhoneiros. wilsony Pedro, aposentado
O aposentando Wilsony ficou sem transporte público para voltar pra casaFoto: Adriano Lins / Jornal de Santa Catarina

O aposentado Wilsony Pedro da Silva foi para o Centro de carona com o filho e pretendia retornar de ônibus, mas também foi surpreendido pela falta de transporte público após às 8h da manhã.

— Moro na Velha e agora terei que esperar, não tem o que fazer — afirma o aposentado, que é favorável a paralisação dos caminhoneiros.

Teve usuário do transporte público que chegou ao terminal e teve que seguir o trajeto a pé. Caso de Edson Gil Pereira, que começou a trabalhar na quinta-feira em um estacionamento. Ele saiu cedo de casa, no bairro Bela Vista, em Gaspar, com o intuito de pegar um ônibus para o trabalho, na Velha. Mas com a alteração ficou sem transporte para trabalhar.

Para muitos o jeito foi sair de casa mais cedo. O vigilante Valdemar Kraus começa a trabalhar às 10h e antecipou a saída de casa em uma hora.

— Vim do bairro da Glória e desde quinta-feira estou vindo mais cedo, pra não perder o transporte. Espero que melhore para todo mundo, mesmo que essa paralisação esteja afetando nosso dia a dia — explica.

Começo da semana em Blumenau no oitavo dia de paralisação dos caminhoneiros. Walter Nunes, pedreiro de bicicleta
Foto: Adriano Lins / Jornal de Santa Catarina

Quem estava sem gasolina e ficou sem o transporte público, teve que improvisar. O pedreiro Walter Nunes, que mora no Vorstadt e precisou ir ao Centro resolver uns problemas, tirou a bicicleta que estava guardada da garagem, pois a moto estava sem gasolina.

— O problema é se furar o pneu da bicicleta, daí terei que jogar ela no mato — brinca o trabalhador.

Começo da semana em Blumenau no oitavo dia de paralisação dos caminhoneiros. Guilherme Henrique, vendedor.
Vendedor Guilherme Henrique diz que desde quinta-feira teve redução na clientela da loja Foto: Adriano Lins / Jornal de Santa Catarina

A tradicional Rua XV de Novembro, conhecida pelo fluxo intenso de pessoas parecia estar aberta em dia de feriado: poucos se aventuravam pelas calças da via. E isso reflete nas vendas, como aponta o funcionário de uma loja de acessórios para celulares:

— Desde sexta-feira está assim, tivemos uma redução de 50% no movimento e a tendência é piorar, ainda mais sem ônibus. Pra vir trabalhar, acordei uma hora mais cedo e a loja vai acabar fechando antes do hoário normal para os funcionários irem pra casa. É algo que está afetando todos — conta Guilherme Henrique de Oliveira.

A prefeitura de Blumenau confirmou em entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira que o transporte coletivo vai continuar nesta terça-feira com horários diferenciados.

Períodos com transporte coletivo nesta terça-feira, dia 29:

- 3h40 às 4h30

- 6h às 8h

- 11h às 14h

- 17h às 19h

- 21h30 às 22h45

Indaial altera horários do transporte público

O transporte coletivo municipal de Indaial também sofrerá alterações em alguns horários, com o intuito de manter o sistema operando até quarta-feira. As mudanças priorizam os horários de transporte dos trabalhadores e estudantes. Com isso, não haverá transporte coletivo nos seguintes períodos: das 8h às 11h, das 15h às 17h e das 18h30min às 21h.

 Leia mais
Defesa Civil de Blumenau e Blumob vão negociar com manifestantes passagem de combustível 

 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaDupla é detida furtando fiação elétrica na Itoupavazinha, em Blumenau https://t.co/ySFt0VAFa0 #LeiaNoSantahá 15 horas Retweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaTia e sobrinha morrem em acidente em Rio dos Cedros; segundo a PM, motorista estava embriagado https://t.co/3zinKNdSmA #LeiaNoSantahá 17 horas Retweet
Jornal de Santa Catarina
Busca