Pessoas ficam horas na fila para garantir ao menos um pouco de combustível em Blumenau - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

 

Reabastecimento30/05/2018 | 18h32Atualizada em 30/05/2018 | 18h40

Pessoas ficam horas na fila para garantir ao menos um pouco de combustível em Blumenau

Caminhões começam a abastecer os postos na manhã desta quarta-feira

 

 Blumenau - SC - Brasil - 30052018 - Posto R1 na rua Bahia começou a abastecer veículos. Eduardo da Cruz
Corretor de câmbio Eduardo da Cruz, 30 anos, esperou três horas e meia na fila do posto para conseguir abastecerFoto: Patrick Rodrigues / Jornal de Santa Catarina

Depois de cinco dias sem trabalhar, Leonardo Vieira, 24 anos, conseguiu nesta quarta-feira ao menos um pouco de combustível para voltar às atividades. O motoboy ficou mais de duas horas na fila de um posto no bairro Salto Weissbach, o primeiro a receber combustível para venda em Blumenau. Segundo os responsáveis pelo estabelecimento, as filas começaram ainda na noite de terça-feira e, nesta quarta-feira quando o abastecimento começou, por volta das 11h40min, carros e motos se enfileiravam às margens das ruas Água Branca e Bahia.

Quatro caminhões-tanques saíram da base da distribuidora em Itajaí nesta quarta-feira pela manhã e começaram a abastecer os postos da cidade. A informação é do presidente do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Blumenau (Sinpeb), Júlio César Zimmermann. Porém, ele não sabe precisar ainda quantos locais já estão comercializando o produto, mas afirma que a expectativa é que o serviço volte ao normal gradativamente.

Em nota, a Polícia Militar de Blumenau informou que trabalhava com a previsão de que a distribuição nos postos ocorra durante a noite desta quarta-feira, simultaneamente em vários locais. Para atender a demanda dos motoristas com o primeiro comboio liberado, a orientação da PM é para que as vendas sejam limitadas a R$ 100 por cliente e recomenda ainda que as pessoas procurem sem pressa e de forma ordeira aos postos.

No local em que Leonardo abasteceu, a gasolina era vendida por R$ 3,92, mesmo valor anterior à paralisação dos caminhoneiros. Para ele, que ganha a vida rodando pelas estradas da cidade, o valor pesa no bolso e consome parte do que ganha.

– Ganho R$ 80 por dia e, às vezes, gasto R$ 40 com abastecimento. É complicado – diz o motoboy.

A compradora Jéssica Lopes, 25 anos, também enfrentou a fila. Assim como muitos blumenauenses, ela teve dificuldades para ir trabalhar e assim que soube que o posto tinha combustível correu para garantir ao menos o que estava sendo liberado.

– Tenho R$ 90. Acho que dá pelo menos meio tanque – conta.

O galão de plástico no banco do carona mostrava que Eduardo Lima da Cruz, 30 anos, fez o possível para continuar com o mínimo de combustível no tanque. Apesar do esforço, nesta quarta-feira a gasolina que tinha foi o suficiente apenas para ele chegar ao posto. Lá, o corretor de câmbio ficou três horas e meia até alcançar a bomba. O que só foi possível porque ganhou folga, já que não tinha como ir trabalhar.

– Compreendo até certo ponto a mobilização, mas depois que foi feito o acordo começaram a colocar muita coisa no meio. Perdeu o foco – pondera.

Enquanto o abastecimento começa a ser normalizado, quem precisa encher o tanque recomenda:

– Não adianta ir agora para ficar na fila. Tem que esperar chegar a outros postos e fazer de forma ordeira – fala o motorista de aplicativo Alcir Moraes dos Anjos, que viu o carro entrar na reserva justamente no dia em que o serviço volta a ser restabelecido.

Acompanhe a situação do Vale em virtude da paralisação dos caminhoneiros

 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaJovem morre após colisão em árvore na BR-470, em Trombudo Central, no Vale do Itajaí https://t.co/5tn8POfN57 #LeiaNoSantahá 2 diasRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaÀs 18h, os brinquedos da Planetapeia vão percorrer os setor do Parque Vila Germânica. Às 19h será a vez de atrações… https://t.co/hdgiMphZqbhá 10 diasRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca