Obras do BID em Blumenau ficarão para o ano que vem - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

 

Infraestrutura23/08/2018 | 11h09Atualizada em 23/08/2018 | 11h19

Obras do BID em Blumenau ficarão para o ano que vem

Um ano após o início das obras de mobilidade e com menos da metade executada, prazo foi adiado para agosto de 2019

Obras do BID em Blumenau ficarão para o ano que vem Patrick Rodrigues/Jornal de Santa Catarina
Obra de duplicação da Rua Humberto de Campos deve ter o primeiro trecho entregue no fim de setembro Foto: Patrick Rodrigues / Jornal de Santa Catarina

Há um ano começavam em Blumenau as cinco obras do pacote de mobilidade anunciado pela prefeitura. Com investimento financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), com cifras acima de R$ 90 milhões, o conjunto de obras iniciou com a previsão de conclusão de algumas partes ainda em 2018, porém, 12 meses depois, a maioria das construções ainda não está nem na metade.

Para não perder os prazos do BID e ter que pagar com o dinheiro dos próprios cofres o restante das obras, a prefeitura protocolou com o banco, a extensão do contrato e tem agora o prazo máximo de agosto de 2019 para finalizar a construção dos dois novos terminais de ônibus (na Itoupava Central e na Água Verde), a readequação da Rua General Osório, a duplicação da Rua Humberto de Campos (entre o portal da Vila Germânica e a Rua Marechal Deodoro) e o binário da Rua Chile.

::: Prolongamento da Rua Humberto de Campos tem data de inauguração definida

Segundo o secretário de Infraestrutura Urbana, Alexandro Fernandes, foi necessário reprogramar as obras por conta do atraso nas desapropriações e pela inclusão de novos trabalhos nos locais. Ele explica que, para aproveitar as intervenções, alguns serviços de drenagem que não estavam previstos foram adicionados.

– Protocolamos e foi tudo aprovado com o BID, os aditivos que não passam do estabelecido por lei de no máximo 25% e o novo prazo. Agora temos o limite de agosto de 2019 e estamos com todas as obras dentro de um cronograma para cumprir essa meta – explica o secretário.

As desapropriações acabaram sendo, segundo Fernandes, o principal gargalo do pacote de obras. A verba do BID não contemplava o custo dessas indenizações e, portanto, a administração municipal precisou buscar outros financiamentos ou orçamento próprio para pagar essa conta. Agora, segundo o secretário, faltam ainda cerca de R$ 12 milhões para as últimas desapropriações na Rua General Osório, no segundo trecho da duplicação da Rua Humberto de Campos – entre as ruas Itapiranga e Marechal Deodoro – e na República Argentina para o binário com a Rua Chile.

  Oktoberfest forçou rapidez em obra

A primeira entrega do pacote deve ser no mês que vem, do primeiro trecho da duplicação da Rua Humberto de Campos, na via entre a Rua 7 de Setembro e a Rua Itapiranga. A obra naquele ponto precisou ser adiantada para que terminasse antes do início da Oktoberfest. Assim, será liberada provavelmente algumas semanas depois da inauguração do prolongamento da Rua Humberto de Campos – que é o novo trecho depois da Rua Marechal Deodoro –, marcada para o dia 7 de setembro.

Por outro lado, a obra que deve ser a última a ficar pronta é a da Rua General Osório – com 22% executados e terrenos no caminho para desapropriar.

– A prefeitura está buscando novas linhas de financiamento para bancar as desapropriações que faltam e colocar todas as obras no ritmo. Por exemplo, os dois terminais estão em fases bem diferentes de execução, mas têm o mesmo contrato. Então vamos acelerar para colocar o Terminal Oeste (na Água Verde) no mesmo nível do Norte (na Itoupava Central) – explicou o secretário de Infraestrutura Urbana.

Detalhes das construções
Confira a seguir como está o andamento de cada obra que integra o pacote:
 

Terminal das Itoupavas
O novo terminal integrado da região Norte ficará entre as ruas Mário Giese e Gustavo Zimmermann, na Itoupava Central. A obra prevê ainda uma rotatória no cruzamento das ruas Doutor Pedro Zimmermann, Mário Giese e Ricardo Georg, uma ponte na Rua Mário Giese e o alargamento da Rua Gustavo Zimmermann no trecho próximo à nova estrutura, que também terá estacionamento para carros e bicicletário.
Ficha técnica
Trecho: entre as ruas Mário Giese e Gustavo Zimmermann, na Itoupava Central
Empresa contratada: MJRE Construtora e Compasa do Brasil Distribuidora de Derivados de Petróleo
Valor inicial: R$ 18.410.945,81
Prazo atualizado: maio de 2019 (iniciada em 22 de agosto de 2017)
Evolução: 52,24%

Terminal da Água Verde
Ficará no trevo das ruas General Osório, Johann Ohf e Guilherme Poerner, no bairro Água Verde. Terá uma área de 4.280 metros quadrados (metade coberta) e também terá estacionamento para ônibus, veículos e bicicletas, além de uma área de lazer ao lado.
Ficha técnica
Trecho: entre as ruas Guilherme Poerner, General Osório e Johann Ohf, no bairro Água Verde
Empresa contratada: MJRE Construtora
Valor inicial: R$ 15.503.728,70
Prazo atualizado: maio de 2019 (iniciada em 22 de agosto de 2017)
Evolução: 19,91%

Readequação da General Osório
A obra pretende aumentar a largura dos passeios e a capacidade de tráfego da via no trecho entre as ruas Bahia e Tóquio, próximo da região alcançada pelo prolongamento da Rua Humberto de Campos. A via passará a ter três faixas em vez das duas atuais – uma delas, reversível.
Ficha técnica
Trecho: entre as ruas Bahia e Tóquio, nos bairros Velha e Salto Weissbach
Empresa contratada: Compasa do Brasil Distribuidora de Derivados e Petróleo
Valor inicial: R$ 14.169.761,39
Prazo atualizado: agosto de 2019 (iniciada em 22 de agosto de 2017)
Evolução: 22,56%

Duplicação da Rua Humberto de Campos
Entre o pórtico da Vila Germânica e a Rua Marechal Deodoro haverá seis pistas, três em cada sentido – uma para ônibus e as outras duas para os demais veículos. Entre a Delegacia Regional e o pórtico a pista deve ser alargada para ter duas faixas em cada sentido. Em frente ao pórtico da Vila, a rotatória dará lugar a semáforos e a conversão à esquerda será proibida. A intenção é dar mais fluidez e interligar o trecho ao prolongamento da mesma rua.
Ficha técnica
Trecho: entre a Rua 7 de Setembro e a Rua Marechal Deodoro
Empresa contratada: Engeplan Terraplanagem Saneamento e Urbanismo
Valor inicial: R$ 18.156.885,30
Prazo atualizado: primeiro trecho (da Rua 7 de Setembro até a Rua Itapiranga) até o fim de setembro de 2018; segundo trecho (da Rua Itapiranga até a Rua Marechal Deodoro) no primeiro semestre de 2019 (iniciada em 22 de agosto de 2017)
Evolução: 39,52%

Binário da Rua Chile
A ideia é fazer um binário da Rua Chile com a Rua República Argentina, no trecho entre a Ponte Adolfo Konder e a Rua México. Para isso, a Rua Chile será prolongada. O resto da obra compreende melhorias na República Argentina até o Anel Viário Norte, onde será feita uma rotatória na Rua Luiz Eleodoro da Silva para facilitar o trânsito de quem acessa a cidade pela Rua Silvano Cândido da Silva Sênior. Além do impacto no trânsito, as obras na região ocorrerão pensando na integração com a futura Ponte do Centro. O projeto contempla 4,2 quilômetros de ciclovia e calçadas.
Ficha técnica
Trecho: Ponte Adolfo Konder ao Anel Viário Norte, no bairro Ponta Aguda
Empresa contratada: Consórcio MJRE-SEEL
Valor inicial: R$ 18.092.780,52
Prazo atualizado: primeiro trimestre de 2019 (iniciada em 22 de agosto de 2017)
Evolução: 48% 

Fonte: Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana

 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaÀs 18h, os brinquedos da Planetapeia vão percorrer os setor do Parque Vila Germânica. Às 19h será a vez de atrações… https://t.co/hdgiMphZqbhá 7 diasRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaO desfile na Rua XV de Novembro, no Centro de Blumenau, está cancelado, mas algumas das atrações vão circular pelos… https://t.co/tTOVJw7lewhá 7 diasRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca