Metade dos adolescentes de SC ainda não tomou as duas doses da vacina contra HPV    - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

 

Prevenção 06/09/2018 | 15h23Atualizada em 06/09/2018 | 15h28

Metade dos adolescentes de SC ainda não tomou as duas doses da vacina contra HPV   

No total, 336 mil pessoas ainda precisam tomar alguma das doses da imunização que previne contra o câncer do colo de útero


 FLORIANÓPOLIS, SC, BRASIL, 30-03-2017 - Campanha de vacinação contra o HPV tem pouca adesão entre os adolescentes de Santa Catarina.
Foto: Felipe Carneiro / Agencia RBS

Mais da metade dos adolescentes catarinenses ainda não tomaram as duas doses da vacina contra HPV. Completar o esquema vacinal é fundamental para estar protegido de diferentes tipos de câncer relacionados ao HPV, entre eles o de colo de útero. O público-alvo da imunização são meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos. 

Se considerar a população-alvo para 2018 e os que não se vacinaram anteriormente, o Estado precisa imunizar 336 mil pessoas, informa a Diretoria de Vigilância Epidemiológica de SC (Dive-SC). No total 180,6 mil adolescentes não receberam nenhuma das doses e 155,4 mil precisam receber a segunda dose em SC.  

A meta da vacinação contra HPV é de 80%, porém apenas 46,8% das meninas catarinenses completaram o esquema vacinal entre 2014 e setembro deste ano. Entre os meninos, o índice é ainda mais baixo, já que a imunização começou no ano passado. Apenas dois a cada 10 adolescentes (22,6%) tomaram as duas doses. 

— Adolescentes não procuram a unidade de saúde, é a faixa etária mais saudável, então raramente vão ao posto. Então inevitavelmente a gente tem que levar a vacina onde eles estão, que é na escola — reforça a gerente de Imunização da Dive/SC, Vanessa Vieira da Silva.

Ela cita que os municípios que são responsáveis pelas ações, que geralmente ocorrem em março e setembro nas unidades escolares. Mafra, Joinville e Lages são alguns dos municípios que fizeram essa mobilização, segundo Vanessa. 

A gerente de imunização acrescenta que já foram aplicadas 500 mil doses de vacina contra HPV no Estado e não foi registrado nenhum efeito adverso. A vacina está disponível nos postos de saúde durante o ano todo e as duas doses devem ser aplicadas com intervalo de seis meses. 

Nesta terça-feira  o Ministério da Saúde lançou  uma Campanha Publicitária de Mobilização e Comunicação para a Vacinação do Adolescente contra a doença. A vacina utilizada no país previne 70% dos cânceres do colo útero, 90% de câncer anal, 63% do câncer de pênis, 70% dos cânceres de vagina, 72% dos cânceres de orofaringe e 90% das verrugas genitais.  

Foto:


Prevalência do HPV no Brasil 

Segundo estudo realizado pelo projeto POP-Brasil em 2017, a prevalência estimada do HPV no Brasil é de 54,3 %. O estudo entrevistou 7.586 pessoas nas capitais do país. Os dados da pesquisa mostram que 37,6 % dos participantes apresentaram HPV de alto risco para o desenvolvimento de câncer.

O estudo indica ainda que 16,1% dos jovens tem uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST) prévia ou apresentaram resultado positivo no teste rápido para HIV ou sífilis. Os dados finais deste projeto serão disponibilizados no relatório a ser apresentado ao Ministério da Saúde até o final do ano.

 
Quem deve se vacinar

Meninas de 9 a 14 anos
Meninos de 11 a 14 anos
Pessoas de 9 a 26 anos vivendo com HIV
Transplantados
Oncológicos
Quem não completou as duas doses também pode atualizar o esquema vacinal


O que é
O Papilomavirus Humano (Human papillomavirus), conhecido também como HPV é um vírus de fácil disseminação e que se instala na pele e mucosas de homens e mulheres.  Na maioria das vezes, a transmissão se dá através da relação sexual desprotegida 

Leia também:

 HPV: mais de metade da população brasileira está infectada, revela estudo preliminar

 Mais de 152 mil catarinenses da zona rural devem ser vacinados contra a febre amarela  

 Florianópolis prorroga campanha de vacinação contra sarampo e pólio 

 
Jornal de Santa Catarina
Busca