Com participação de Caetano Veloso e sem alarde, Fresno lança novo disco; ouça - Lazer e Cultura - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Megalomania roqueira13/10/2016 | 21h36Atualizada em 13/10/2016 | 21h41

Com participação de Caetano Veloso e sem alarde, Fresno lança novo disco; ouça

"A sinfonia de tudo que há" foi disponibilizado em serviços de streaming e gratuitamente no YouTube; show de lançamento em Porto Alegre está marcado para 18 de dezembro, no Opinião

Com participação de Caetano Veloso e sem alarde, Fresno lança novo disco; ouça Rafael Kent/Divulgação
Fresno lançou o sétimo disco de sua carreira, dois anos depois do EP "Eu sou a maré viva" Foto: Rafael Kent / Divulgação

A megalomania de Lucas Silveira não arrefeceu, pelo contrário: a começar pelo título, A sinfonia de tudo que há, novo disco da Fresno, mantém a tendência de grandiosidade dos trabalhos anteriores da banda gaúcha, mas avança em direção a novos caminhos. Lançado nas mídias digitais na madrugada desta quinta-feira, sem muito alarde, o álbum reúne baladas com orquestras, rockões com cama de guitarras e uma parceria com um dos maiores nomes da história da música nacional, Caetano Veloso, na faixa Hoje eu sou trovão (ouça o álbum completo no player abaixo).

Se a Fresno nasceu e cresceu na (e também por causa da) internet, o lançamento de Sinfonia... manteve a regra. Anunciado com antecedência nas redes sociais do grupo, o disco gerou expectativa crescente entre os fãs – horas antes de divulgar de fato o álbum, o vocalista Lucas Silveira deu uma espécie de entrevista coletiva aos fãs por meio de um vídeo no Facebook, com direito a prévias das faixas.

Leia mais:
Rock de Porto Alegre apresenta força com lançamentos recentes
Selos independentes movimentam cena de rock do Rio Grande do Sul
Nobel consagra Bob Dylan como gigante da música e da poesia  

– Minha expectativa é das maiores possíveis, porque esse disco foi muito difícil de gravar. A gente queria fazer um negócio diferente de tudo que a gente já fez, e fazer um bagulho diferente quando tu já fez muitas coisas é bastante difícil – disse o vocalista. – Eu comecei a escrever músicas em 2013. Tem músicas desse disco que inclusive são de antes. Daí um amigo meu falou em escrever um musical, eu quis escrever um musical, escrevi muitas músicas loucamente e, a partir daí, fiquei com vontade de fazer músicas que contem uma história. Isso não precisa ficar claro, mas eu queria contar uma história, e o disco conta uma história, em ordem – finalizou.

Lucas acabou de lançar The life and death of Beeshop, segundo disco de seu projeto solo, Beeshop. Com a Fresno, havia lançado o EP Eu sou a maré viva, em 2014, e o disco Inifito, em 2012. A sinfonia de tudo que há é o sétimo disco da banda. Com 11 faixas, o disco passa por rocks já bastante característicos da Fresno, com riffs fortes e elementos eletrônicos (Deixa queimar), momentos de violão e voz (O ar tem praticamente só esses dois elementos) e composições épicas, que remetem à ideia de sinfonia (Poeira estelar e Axis mundi, por exemplo). Nas letras, a recente imersão de Lucas em assuntos espaciais segue recorrente, com usos dessa metáfora para falar sobre a insignificância do homem perante a grandiosidade do universo.

 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaPedro Machado: a Chapecoense é uma unanimidade https://t.co/w9WYf5SyKn #LeiaNoSantahá 7 diasRetweet
  • santacombr

    santacombr

    Santa"Pode-se tentar calar o juiz, mas nunca se conseguirá calar a Justiça", reage Cármen Lúcia https://t.co/JZDSmNAMoY #LeiaNoSantahá 7 diasRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros