Quatro Vidas de um Cachorro: vídeo de maus-tratos foi manipulado, diz organização de defesa dos animais - Lazer e Cultura - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Cinema07/02/2017 | 11h27Atualizada em 07/02/2017 | 11h57

Quatro Vidas de um Cachorro: vídeo de maus-tratos foi manipulado, diz organização de defesa dos animais

Instituição de defesa dos animais diz que o vídeo "descaracterizou o que aconteceu no set" 

Quatro Vidas de um Cachorro: vídeo de maus-tratos foi manipulado, diz organização de defesa dos animais Reprodução / TMZ/TMZ
Cena do set de gravação envolvendo um cachorro causou revolta nas redes sociais Foto: Reprodução / TMZ / TMZ

O vídeo que parece mostrar um cachorro estressado e amedrontado no set de gravação do filme Quatro Vidas de um Cachorro foi "deliberadamente editado com o propósito de desinformar o público e provocar revolta", concluiu uma investigação imparcial promovida pela American Humane, uma organização de defesa dos animais. O comunicado pode ser lido na íntegra no site da instituição.

Leia mais:
Vídeo mostra cão sendo maltratado durante gravação de cena do filme 

No final de janeiro, às vésperas da estreia do filme no cinema, um vídeo viralizou na internet. Nas imagens, o cachorro que protagoniza o longa aparece sendo jogado por um produtor dentro de uma piscina de ondas, aparentemente contra a sua vontade. Em outro momento, o cão aparece afundando na água, antes de ser retirado rapidamente pelos profissionais do set. A montagem teria sido feita com imagens de dois dias de filmagens.

Em comunicado, a American Humane afirma que nenhum animal foi ferido durante as gravações e, mesmo nas cenas do vídeo em questão, diversas medidas preventivas estavam em ordem para garantir a diminuição de qualquer problema. O cachorro das cenas teria sido selecionado por sua afinidade com água, já que havia participado por seis semanas de situações parecidas sem demonstrar stress. Na primeira cena, após demonstrar sinais de stress, as gravações foram suspensas. Na segunda, depois de submergir, o cachorro foi aquecido e submetido a exames que não mostraram qualquer sinal de stress – segundo o relatório, o cachorro queria voltar para a água logo após o procedimento.

O relatório aponta ainda que, além de um representante da American Humane, outros cinco especialistas em saúde animal estavam presentes no set de filmagem. "As decisões do indivíduo ou indivíduos que capturaram e deliberadamente editaram as filmagens e depois esperaram mais de 15 meses para liberar o vídeo manipulado apenas dias antes da estreia do filme levantam sérias questões sobre seus motivos e ética", diz o comunicado.

Leia outras notícias em ZH

 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaRelembre os primeiros meses do governo Trump em 10 tuítes https://t.co/PzbXM8m640 #LeiaNoSantahá 16 minutosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaProtesto de pescadores contra lista de espécies em extinção bloqueia a BR-101 no Litoral Norte https://t.co/6IBUwplZ7Q #LeiaNoSantahá 45 minutosRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros