Escritor gaúcho João Gilberto Noll morre aos 70 anos em Porto Alegre - Lazer e Cultura - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Luto na literatura29/03/2017 | 08h09Atualizada em 29/03/2017 | 21h09

Escritor gaúcho João Gilberto Noll morre aos 70 anos em Porto Alegre

Um dos maiores nomes da literatura brasileira contemporânea, autor foi encontrado desacordado em casa

Escritor gaúcho João Gilberto Noll morre aos 70 anos em Porto Alegre Fernando Gomes/Agencia RBS
Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS
Zero Hora
Zero Hora

Reconhecido por sua extensa obra literária, o escritor João Gilberto Noll teve sua morte confirmada pela família na manhã desta quarta-feira. Segundo familiares, o autor foi vítima de um mal súbito enquanto estava sozinho em sua casa. O velório estava previsto para começar às 10h, e o enterro será às 18h no Cemitério João XXIII.

Na terça-feira, o escritor comandaria um curso no espaço multicultural Aldeia, no bairro Santana, em Porto Alegre, mas não apareceu. Amigos também não conseguiram contato por telefone. No fim da noite, a sobrinha Julia Noll encontrou o escritor desacordado em seu apartamento. Nesta manhã, Luiz Noll, o irmão do autor, confirmou o falecimento em postagem no Facebook.

– João Gilberto Noll, meu grande amigo e irmão, nos deixou – escreveu o familiar na rede social. 

Leia mais:
10 livros para conhecer a trajetória de João Gilberto Noll
Obra de João Gilberto Noll ganhou boas adaptações no cinema
Amigos, escritores e personalidades lamentam morte de João Gilberto Noll
João Gilberto Noll fala sobre seus livros e reflete sobre sua carreira na quarta entrevista da série "Obra Completa"
João Gilberto Noll é o quinto autor da série Ao Pé da Estante

Um dos principais autores da literatura contemporânea brasileira, Noll contabilizou em sua carreira, de mais de 30 anos, cinco prêmios Jabuti e 18 livros publicados –  13 romances, três livros de contos e duas experiências voltadas para o público infantojuvenil. Entre os principais livros, estão O Cego e a Dançarina, Harmada Hotel Atlântico, que chegou a virar filme.

O escritor ficou conhecido pelo seu trabalho singular com a linguagem, que tenta apreender imagens e narrativas em fluxo de consciência, mas trabalhadas de modo poético e musical, revelando influências de autores como Clarice Lispector e Raymond Carver.

Além disso, Noll é também muito citado por nomes da nova geração como influência. Autores como Marcelino Freire e Daniel Galera já o apontaram como uma referência importante. Apesar de recluso, o escritor também se mantinha ativo em oficinas literárias, estimulando aspirantes a escrever. Em 2011, foi o homenageado da 4ª FestiPoa Literária, em Porto Alegre, por conta de sua carreira e por fomentar a literatura em nível local.

O início da carreira literária se deu em 1980, depois de frequentar o curso de Letras da UFRGS, onde foi colega e amigo de Caio Fernando Abreu, e trabalhar como jornalista no Rio de Janeiro e em São Paulo. Seu primeiro livro, o volume de contos O Cego e a Dançarina, recebeu os prêmios Jabuti e da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA). A obra mais recente foi o romance Solidão Continental, lançado em 2012.

Os livros de João Gilberto Noll:

O Cego e a Dançarina (1980, contos)
A Fúria do Corpo (1981, romance)
Bandoleiros (1985, romance)
Rastros do Verão (1986, romance)
Hotel Atlântico (1989, romance)
O Quieto Animal da Esquina (1991, romance)
Harmada (1993, romance)
A Céu Aberto (1996, romance)
Canoas e Marolas (1999, romance)
Berkeley em Bellagio (2002, romance)
Mínimos, Múltiplos, Comuns (2003, contos)
Lorde (2004, romance)
A Máquina de Ser (2006, contos)
Acenos e Afagos (2008, romance)
O Nervo da Noite e Sou Eu! (2009, infantojuvenis) 
Anjo das Ondas (2010, romance)
> Solidão Continental (2012, romance)

RELEMBRE A TRAJETÓRIA DE JOÃO GILBERTO NOLL

1946 – Nasce em Porto Alegre.

1953 – Ingressa no Colégio São Pedro.

1954 – Inicia estudos de piano.

1967 – Ingressa na Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

1969 – Abandona o curso de letras. Transfere-se para o Rio. Começa a trabalhar como jornalista na Folha da Manhã e Última Hora.

1970 – Publica seu primeiro conto na antologia Roda de Fogo. Transfere-se para São Paulo.

1971 – Retorna ao Rio, onde escreve sobre literatura, teatro e música na Última Hora.

1974 – Retoma o Curso de Letras na Faculdade Notre Dame, Rio.

1975 – Leciona no curso de comunicação na PUC do Rio.

1979 – Conclui o curso de letras.

1980 – Publica seu primeiro livro, O Cego e a Dançarina. Recebe o Prêmio Jabuti no ano seguinte.

1981 – Publica A Fúria do Corpo.

1982 – Ganha bolsa do Programa de Escritores da Universidade de Iowa, EUA.

1983 – Participa na Alemanha de antologia de contistas brasileiros.

1984 – O cineasta Murilo Salles adapta para o cinema o conto Alguma Coisa Urgentemente, com o título Nunca Fomos Tão Felizes.

1985 - Publica o romance Bandoleiros.

1986 – Retorna a Porto Alegre. Publica o romance Rastros do Verão e reedita O Cego e a Dançarina.

1988 - Recebe bolsa da Fundação Vitae.

1989 - Publica o romance Hotel Atlântico. Reedita o romance Bandoleiros.

1990 – Reedita o romance Rastros do Verão.

1991 – Publica o romance O Quieto Animal da Esquina.

1993 – Publica o romance Harmada. Prêmio Jabuti por Harmada.

1994 – Coordena oficinas literárias na Universidade Federal do Rio de Janeiro.

1995 – Reedita Hotel Atlântico.

1996 – Passa um mês em Berkeley, EUA como escritor visitante da Universidade da Califórnia. Publica o romance A Céu Aberto.

1997 – Convidado para lecionar Literatura Brasileira no Campus de Berkeley da Universidade da Califórnia, EUA. Publica Contos e Romances Reunidos. Publica na Inglaterra a tradução de Hotel Atlântico e Harmada. Ganha o Jabuti por A Céu Aberto

1999 – Publica o romance Canoas e Marolas.

2002 – Recebe Prêmio da Fundação Guggenheim. Publica o romance Berkeley em Bellagio.

2003 – Reedita Harmada. Publica Mínimos, Múltiplos, Comuns.

2004 – Passa dois meses em Londres como escritor-residente no King¿s College onde escreveu o romance Lorde. Publica o romance Lorde. Mínimos, Múltiplos, Comuns ganha menção honrosa no Prêmio Jabuti para livro de contos e crônicas e o Prêmio ABL de Ficção 2004.

2005 – Na edição 100 da revista Bravo!, Lorde aparece como um dos 100 melhores livros em 8 anos. A obra conquista segundo lugar na categoria romance do Jabuti.

2006 – Publica o livro de contos A Máquina de Ser.

2008 – Publica o romance Acenos e Afagos.

2009Acenos e Afagos ganha o segundo lugar no prêmio Portugal Telecom. Noll ganha o prêmio Fato Literário. Publica os livros infantojuvenis O Nervo da Noite e Sou Eu!

2010 – Publica Anjo das Ondas.

2012 – Lança o livro Solidão Continental


Leia outras notícias em ZH

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaBotijão de gás tem reajuste de 6,9% a partir desta terça-feira https://t.co/kePxZPnxsX #LeiaNoSantahá 1 horaRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaBlog do Pancho: Exposição reúne bicicletas antigas em Blumenau https://t.co/LFiZ97O9tAhá 1 horaRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros