Cigana milagreira: documentário desvenda os mistérios da cigana Sebinca Christo, de Lages - Lazer e Cultura - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Cinema29/06/2017 | 09h10Atualizada em 29/06/2017 | 09h15

Cigana milagreira: documentário desvenda os mistérios da cigana Sebinca Christo, de Lages

"Sebinca Christo - As construções de uma devoção", dirigido pelo documentarista Fernando Leão e pelo historiador Lourival Andrade Júnior, estreia nesta quinta-feira no cinema do Centro Cultural Vidal Ramos (Sesc)

Cigana milagreira: documentário desvenda os mistérios da cigana Sebinca Christo, de Lages Fernando Leão / Divulgação/Divulgação
Foto: Fernando Leão / Divulgação / Divulgação

Rabiscados em batom vermelho no túmulo já tantas vezes vandalizado, a maioria dos pedidos e agradecimentos à Sebinca Christo são de ordem amorosa: quem sabe ela possa trazer uma antiga paixão de volta, ou vingar um coração partido. Tem muita gente em Lages que atribui à finada cigana graças alcançadas. Pela primeira vez, a história dessa mulher misteriosa e reverenciada como milagreira na serra catarinense será contada no documentário Sebinca Christo - as construções de uma devoção, dirigido pelo documentarista Fernando Leão e pelo historiador Lourival Andrade Júnior. A estreia será nesta quinta-feira, às 20h, na sala de cinema do Centro Cultural Vidal Ramos (Sesc), em Lages.

Muito se fala sobre a vida e morte da cigana, mas pouco se sabe. Há quem jure ter convivido com ela. Outros contam que ela ajudava as pessoas com chás medicinais e benzeduras. Já as versões sobre a morte de Sebinca são ainda mais diversas e geralmente associadas a fatos violentos.

Foto: Fernando Leão / Divulgação

Foi o historiador Lourival Andrade Júnior que desde 2001 tem estudado a vida de Sebinca — em 2008 ele defendeu tese de doutorado sobre o assunto — e descobriu detalhes da vida da milagreira. Ela era de uma família grega que deixou o país de origem pouco antes do começo da 2ª Guerra Mundial com destino ao Uruguai. Ciganos e nômades, chegaram a Lages nos anos 1930 onde nem sequer chegaram a morar muito tempo. Mas quis o destino que Sebinca morresse e fosse enterrada na cidade em 1965, aos 79 anos.

— Conta-se que, quando ela morreu, foi feita uma grande festa no acampamento cigano — em algumas tradições acredita-se que a morte é apenas uma passagem para outra vida — diz o cineasta Fernando Leão.

Leão conta que até a década de 1970 eram comuns acampamentos ciganos no terreno que hoje é a Praça Joca Neves, no Centro.

— O túmulo dela é um dos mais visitados do Cemitério Municipal Cruz das Almas. E já foi vandalizado muitas vezes. Isso tem muito tem a ver com intolerância religiosa — lamenta.

 

Foto: Raiana Neysa / Divulgação

O documentário tem 22 minutos de duração e remonta fatos que construíram a devoção à Sebinca Christo, com depoimentos de familiares de pessoas que tiveram contato com a cigana e seu bando.


AGENDE-SE

O quê: 
lançamento do documentário Sebinca Christo - as construções de uma devoção
Quando: quinta-feira, às 20h
Onde: sala de cinema do Centro Cultural Vidal Ramos  - Sesc (Rua Vidal Ramos Júnior, 101-107, Centro, Lages)
Quanto: gratuito

Leia também
"A população precisa ser estimulada a consumir cultura" diz novo presidente da Scar de Jaraguá
Podes crer, amizade: livro conta a história do movimento Black Rio

 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaExplosão em condomínio deixa quatro pessoas gravemente feridas em Joinville https://t.co/T4aSar9mFy #LeiaNoSantahá 1 horaRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaCemitério de Gatos de Blumenau é destaque em guia de patrimônio cultural https://t.co/IhvOH2e98d #LeiaNoSantahá 1 horaRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros