"Não faço música comercial", diz Ana Paula da Silva, vencedora do Prêmio da Música Brasileira  - Lazer e Cultura - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Orgulho catarinense20/07/2017 | 19h55Atualizada em 21/07/2017 | 10h30

"Não faço música comercial", diz Ana Paula da Silva, vencedora do Prêmio da Música Brasileira 

Cantora de Joinville recebeu troféu na categoria de Melhor Cantora de Música Regional. Premiação ocorreu na última quarta, no Rio de Janeiro, e premiou artistas em 35 categorias

"Não faço música comercial", diz Ana Paula da Silva, vencedora do Prêmio da Música Brasileira  1/Agencia RBS
Foto: 1 / Agencia RBS

Fazer música de maneira independente é um propósito para a cantora catarinense Ana Paula da Silva. Por isso, receber um troféu no prestigiado Prêmio da Música Brasileira é um reconhecimento profundo e a certeza de que o caminho a seguir é aquele traçado pela alma de artista. Entre Bethânia, Elza, Chico Buarque e tantos outros ícones da história da MPB que foram indicados e participaram da cerimônia de premiação na última quarta-feira, no Rio de Janeiro, uma brasileira que igualmente faz música (boa) no Brasil teve o prêmio que merecia.

Ana Paula da Silva recebeu o troféu de Melhor Cantora na categoria Regional, para o qual também concorriam a paraense Dona Onete e a paraibana Socorro Lira. A 28ª edição da competição homenageou Ney Matogrosso com shows do próprio camaleão e de músicos como Chico Buarque e Lenine interpretando a obra dele. No total, 79 artistas concorreram em 35 categorias. Entre os vencedores estão Maria Bethânia (Melhor Cantora MPB), Elza Soares (Melhor Canção Popular) e Tom Zé (Melhor Álbum Pop/ Rock/Reggae/ Hip-hop/ Funk e Melhor canção MPB).

A indicação de Ana Paula da Silva ao Prêmio foi pelo álbum Raiz Forte, lançado no ano passado. Em 21 anos de carreira, é o disco mais autoral da cantora que nasceu em Joinville, foi criada em São Francisco do Sul e hoje celebrada e premiada dentro e fora do Brasil.

—A indicação foi através do Raiz Forte, que está me trazendo muitas somas e resposta positiva da crítica. Esse prêmio é um grande reconhecimento, porque não faço música comercial, trabalho com música independente por propósito. Recebo o troféu com a alma em paz, porque é resultado de um trabalho diário — comemora.

Sexto álbum da carreira, Raiz Forte é o trabalho que mais volta o olhar para seu lugar de origem, com canções que falam da avó, da mãe, a filha, a afrobrasilidade. Traz a força do canto e da poesia em instrumentação autêntica e parceiros de peso, como Davi Sartori (piano), Willian Goe (percussão) e André Magalhães. Passeia por ritmos variados, como ijexá, samba, candombe.

— O prêmio é um incentivo para que continue seguindo. Traz a sensação de não me sentir estrangeira dentro do meu próprio país, porque embora esteja fazendo música brasileira, é desconhecida — diz ela.

Em 2016, quando comemorou duas décadas de música, contou ao Diário Catarinense que começou tocando em bares de Joinville. Hoje acumula prêmios importantíssimos da música brasileira, como o de melhor intérprete no Festival Nacional de MPB de São Paulo (2016) e no Prêmio Profissionais da Música (2014). Desde que começou, a artista trabalha de maneira independente e nunca se limitou a realizar apenas o trabalho no palco. Raiz Forte está disponível nas plataformas iTunes, Deezer, Spotfy e Google Play.

No momento, Ana Paula da Silva está em turnê por Santa Catarina com Raiz Forte pelo Circuito Sesc de Música. Nesta quinta, ela faz show em Rio do Sul, sábado em Lages e domingo em Urubici.

Foto: Ag News / Divulgação

Veja a lista de vencedores:

MPB

Álbum
The bridge (Lenine e Martin Fondse Orchestra)

Cantor
Lenine (The bridge)

Cantora
Maria Bethânia (Abraçar e agradecer)

Grupo
MPB4 (O sonho, a vida, a roda viva!)

Melhor canção
Descaração familiar (Tom Zé)

Revelação
BaianaSystem (Duas cidades)

CANÇÃO POPULAR

Álbum
Elza canta e chora Lupi (Elza Soares)

Dupla
Zezé di Camargo e Luciano (Dois tempos)

Grupo
Saulo Duarte e a Unidade (Cine ruptura)

Cantora
Ivete Sangalo (Acústico em Trancoso)

Cantor
Odair José (Gatos e ratos)

POP/ ROCK/ REGGAE/ HIP-HOP/ FUNK

Álbum
Canções eróticas de ninar (Tom Zé)

Grupo
BaianaSystem (Duas cidades)

Cantora
Maria Gadú (Guelã ao vivo)

Cantor
Rael (Coisas do meu imaginário)

SAMBA

Álbum
Samba original  (Pedro Miranda)

Cantora
Roberta Sá  (Delírio no Circo)

Cantor
Zeca Pagodinho (O quintal do Pagodinho: Ao vivo - Vol. 3)

Grupo
Casuarina (7)

REGIONAL

Álbum
Cabaça d'água (Alberto Salgado)

Grupo
Grupo Rodeio (Trilhando o Rio Grande)

Dupla
Zé Mulato e Cassiano (Bem-humorados)

Cantor
Alceu Valença (Vivo! Revivo!)

Cantora
Ana Paula da Silva (Raiz forte)

INSTRUMENTAL

Álbum
A saga da travessia (Letiers Leite e Orkestra Rumpilezz)

Solista
Toninho Ferragutti

Grupo
Letieres Leite e Orkestra Rumpilezz (A saga da travessia)

Arranjador
Letieres Leite (A saga da travessia, de Letieres Leite e Orkestra Rumpilezz)

Projeto visual
Giovanni Bianco (por Amor geral, de Fernanda Abreu)

CATEGORIAS ESPECIAIS

Álbum eletrônico
Craca, Dani Nega e o dispositivo tralha (Craca e Dani Nega)

Álbum infantil
Os saltimbancos sinfônico (Orquestra Petrobras Sinfônica)

Álbum em língua estrangeira
Yentl em concerto (Alessandra Maestrini)

Álbum erudito
Ernesto Nazareth integral (Maria Teresa Madeira)

Álbum projeto especial
Delírio de um romance a céu aberto (Zé Manoel)

Melhor DVD
Rainha dos raios ao vivo (Alice Caymmi)

 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaConcurso da realeza da 35ª Oktoberfest é suspenso em Blumenau https://t.co/AQe1visSGF #LeiaNoSantahá 14 minutosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaVÍDEO: Ana Paula Molverstet é eleita rainha da 35ª Oktoberfest de Blumenau https://t.co/RwebyK5vrM #LeiaNoSantahá 53 minutosRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros