Criança de 11 anos gasta R$ 2 mil reais da tia com roupas para personagem de videogame - Lazer e Cultura - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

 

Parece novela das 719/12/2017 | 13h41Atualizada em 19/12/2017 | 13h46

Criança de 11 anos gasta R$ 2 mil reais da tia com roupas para personagem de videogame

História viralizou no Twitter no último final de semana

Certas histórias narradas no Twitter são dignas de virarem roteiro de novela das sete. Principalmente, por conta da audácia das pessoas envolvidas ao beirar o absurdo. A mais recente delas - e que tem causado boas risadas por onde passa - foi narrada no último final de semana pela usuária @anarcobs, que envolve um primo doido pelo jogo League of Legends (LOL) que gastou nada menos que R$ 2 mil reais em roupas para os personagens do game de RPG.

Se não bastasse isso, a história é toda desenvolvida com uma reunião de família, um amigo espertinho realizando as compras e uma série de memes. A narração soma cerca de 1,5 mil curtidas e quase 800 retuítes.

Tudo começou por volta de 2013, quando o primo de Ana já jogava LOL por cerca de 2 anos, e que começou a pedir dinheiro para comprar roupinhas para o seu personagem:

Após tanta insistência, a tia do menino topou pagar 40 reais em  RP's e deixou o cartão cadastrado na conta do garoto. Passaram dois anos e até que Ana recebe uma ligação meio assustada da mãe:

O fato é que a empresa do cartão de crédito decidiu bloquear a conta porque uma compra suspeita no valor de R$ 2 mil reais no game havia sido feita. Com a descoberta na mesma hora lembraram do primo mais novo (chamado de "Tapadinho" nos tuítes, apenas para saber como referenciar ele sem identificá-lo), Ana e a mãe convocaram uma reunião de família. 

A criança negava até o último e até que a jovem teve uma brilhante ideia:

A história só piora:

E a avó da família sem entender nada:

E mais, o problema não terminava por aí. O chamado "Tapadinho" tinha um cúmplice, um amigo que compartilhava a mesma conta dentro do LOL. Mexendo dentro da conta, o "Jumentinho" (como foi nomeado por Ana nos tuítes) encontrou os dados bancários cadastrados e apenas pediu para o amigo confirmar o CVC do cartão (que ficava largado em cima da mesa da sala). Não é nem preciso dizer o resto:

Por fim, as mães das crianças entraram em contato e tiveram uma longa discussão - mesmo que o CPF cadastrado para finalizar as compras eram da mãe do chamado "Jumentinho". Ana descreveu bem este momento:

Felizmente, a empresa do cartão de crédito aceitou a história e realizou o estorno das compras dentro do jogo. E, apesar de toda a novela, as duas crianças continuam amigas:

A conclusão, de toda esta história, é muito simples (e hilária):


 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaDefinidos os duelos das quartas de final da Copa Cidade de Blumenau de Futebol Sub-17 https://t.co/Tou28C4Zzghá 7 horas Retweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaDamares Alves diz que sofreu abusos sexuais na infância e que tentou se matar   https://t.co/lb11cS5cEahá 7 horas Retweet
Jornal de Santa Catarina
Busca