Netanyahu diz que governo é estável, apesar da ameaça de processo - Mundo - Jornal de Santa Catarina - Jornal de Santa Catarina: notícias de Blumenau, Vale do Itajaí e SC
 

Jerusalém14/02/2018 | 09h29

Netanyahu diz que governo é estável, apesar da ameaça de processo

AFP
AFP

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, garantiu nesta quarta-feira (14) que a coalizão de governo é "estável", apesar da ameaça de processO por corrupção que pesa contra ele.

"Posso tranquilizá-los: a coalizão é estável, e nem eu nem ninguém temos o projeto de eleições (antecipadas). Vamos continuar trabalhando juntos (...) até o fim do mandato" previsto para 2019, declarou Netanyahu, em um discurso em Tel Aviv.

Na terça-feira (13), a Polícia israelense recomendou à Justiça o indiciamento de Netanyahu por corrupção, fraude e abuso de confiança em dois casos, após dois anos de investigação.

Hoje, um ministro-chave do Executivo de Netanyahu criticou o premiê israelense, mas disse que vai permanecer na coalizão.

"Aceitar, durante um longo período, presentes que representam grandes quantias, é possivelmente não estar à altura" do que se espera de uma pessoa que deve dar o exemplo, alfinetou o ministro da Educação, Naftali Bennet, líder do partido Lar Judeu, um dos pilares da coalizão.

Em um dos processos, Netanyahu é acusado de receber presentes - como charutos caros, dos quais é um grande apreciador - de personalidades endinheiradas, como James Packer, um bilionário australiano, ou Arnon Milchan, produtor de cinema israelense que trabalha em Hollywood.

O valor total desses presentes foi avaliado em milhares de dólares.

A Polícia também considerou que houve corrupção no acordo secreto que Netanyahu teria tentado firmar com o proprietário do "Yediot Aharonot", o mais importante jornal israelense por assinatura, para uma cobertura favorável a seus interesses.

Agora, a decisão de processar o premiê de 68 anos depende do procurador-geral, Avishai Mandelblit, e pode levar semanas, ou meses.

Durante a investigação, Netanyahu não parou de alegar inocência, repetindo sem parar: "Não acontecerá nada, porque não aconteceu nada".

O primeiro-ministro israelense também atacou duramente seu ex-ministro das Finanças Yair Lapid, apresentado como testemunha-chave em um dos casos, pois "prometeu me derrubar a qualquer preço", segundo Netanyahu.

Lapid aparece nas pesquisas como um dos principais adversários de Netanyahu em caso de eleição.

jlr-lal/mer/me.zm/tt

* AFP

 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaDefinidos os duelos das quartas de final da Copa Cidade de Blumenau de Futebol Sub-17 https://t.co/Tou28C4Zzghá 2 horas Retweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaDamares Alves diz que sofreu abusos sexuais na infância e que tentou se matar   https://t.co/lb11cS5cEahá 2 horas Retweet

Mais sobre

Jornal de Santa Catarina
Busca