Piso nacional do magistério só será pago a partir da folha de junho em Santa Catarina - Jornal de Santa Catarina: notícias de Blumenau, Vale do Itajaí e SC

Versão mobile

01/06/2011 | 12h02

Piso nacional do magistério só será pago a partir da folha de junho em Santa Catarina

Governador reúne-se com o ministro da Educação na tarde desta quarta em Brasília

Piso nacional do magistério só será pago a partir da folha de junho em Santa Catarina  James Tavares,divulgação/RBS TV
Colombo e líderes aliados reuniram-se nesta terça para tratar da tramitação da MP da Assembleia Foto: James Tavares,divulgação / RBS TV

O pagamento do reajuste salarial dos professores da rede estadual, prometido para a folha de maio, não saiu e vai ser feito somente no final deste mês.

A justificativa do governo foi que a medida provisória (MP) que prevê alteração dos valores foi assinada pelo governador em exercício, Eduardo Pinho Moreira, quando a folha de maio já estava rodando e não era mais possível alterar. Apesar de já ter validade, líderes da base governista apostam em novas negociações antes de a MP ser votada.

De acordo com a assessoria da Secretaria de Estado da Educação (SED), os valores serão pagos em junho, retroativos a 23 de maio, data de assinatura da MP.

Enquanto isso, a medida continua tramitando na Assembleia Legislativa (AL). Ela não será retirada da votação, mas não há pressa para se fazer isso. A afirmação é do presidente da AL, Gelson Merísio.

— Ela já está valendo, mas não há pressa para votá-la. O prazo ainda pode ser estendido. É preciso negociar — ressaltou.

Isso é o que também defende o líder do PSDB, deputado Dado Cherem. Nesta terça-feira, líderes da base governista tomaram café da manhã com o governador Raimundo Colombo. No encontro, Colombo expôs a falta de dinheiro para atender a reivindicação dos professores, que querem a aplicação do piso para toda a carreira.

— A medida vai ser votada, mas isso não será feito a toque de caixa. Queremos que seja decidido o melhor para todos — observou Cherem.

A MP tem 60 dias para virar lei. Se achar necessário, o Estado pode pedir mais dois meses de prazo. Para o líder do governo, Elizeu Mattos, ficou claro que há uma preocupação por parte do governador em resolver o impasse com os educadores.

— O pedido é que eles voltem às aulas para que as negociações continuem. É preciso ficar claro que não somos o governo. Não somos nós que vamos resolver essa situação — observou o deputado.

Colombo vai ao DF para encontro com Haddad

O governador e o secretário da Educação, Marco Tebaldi, têm um encontro, nesta quarta, em Brasília, com o ministro da Educação, Fernando Haddad. Colombo quer buscar esclarecimentos sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em relação ao pagamento do piso, já que o acórdão, que traz a posição do STF na íntegra, ainda não foi publicado. A reunião está marcada para as 15h, no Ministério da Educação.

Colombo lembrou que, no início do ano, o advogado-geral da União afirmou que o governo federal ajudaria os estados a pagarem o piso do magistério. A medida abrangeu 11 estados e não incluiu Santa Catarina.

DIÁRIO CATARINENSE

Notícias Relacionadas

Especial 01/06/2011 | 10h24

Professores da rede estadual pedem apoio aos vereadores em Joinville

Eles querem que os parlamentares conversem com os deputados estaduais dos partidos sobre votação de medida provisória

Especial 31/05/2011 | 15h58

Colombo pede retomada das aulas

Governador irá a Brasília pedir recursos para cumprir o piso

31/05/2011 | 12h05

Grevistas fazem manifestações nos bairros em Joinville

Nesta terça-feira, manifestantes prometem lotar a Câmara de Vereadores

30/05/2011 | 22h20

Governador é vaiado por professores em Lages, na Serra catarinense

Professores fizeram manifestação em frente ao centro de eventos onde Colombo receberia homenagem

30/05/2011 | 19h34

Dia D da greve dos professores em Santa Catarina termina com passeata no Centro de Florianópolis

Palestra com a professora Amanda Gurgel também marcou o ato

30/05/2011 | 16h18

Professora que virou símbolo da luta por melhores salários apoia catarinenses em greve

Amanda Gurgel, do Rio Grande do Norte, diz que se sente a voz dos educadores

Educação 30/05/2011 | 10h52

Especial: Professores da Apae de Blumenau aderem à greve estadual da categoria

Dos 41 profissionais cedidos pelo Estado, só quatro continuam a trabalhar

Educação 30/05/2011 | 10h25

Especial: Professores programam ato para expor baixos salários dos docentes em Florianópolis

A professora Amanda Gurgel, conhecida no país pelo vídeo no Youtube, é convidada do evento

 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaGoverno de SC pretende desistir de empréstimo de R$ 800 milhões no BB https://t.co/QNhWO9le9T #LeiaNoSantahá 44 minutosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaCarolina Bahia: a coerência de Cármen Lúcia https://t.co/xZgyKRKzuo #LeiaNoSantahá 1 horaRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros