Mensalidade sobe acima da inflação nas instituições particulares de Blumenau - Jornal de Santa Catarina: notícias de Blumenau, Vale do Itajaí e SC

Vers?o mobile

 
 

Educação privada10/10/2014 | 07h03

Mensalidade sobe acima da inflação nas instituições particulares de Blumenau

Mensalidades do ensino infantil ultrapassam a casa de R$ 470 para carga de meio período

Mensalidade sobe acima da inflação nas instituições particulares de Blumenau Roni Rigon/Agencia RBS
Foto: Roni Rigon / Agencia RBS
Quem quiser ou precisar investir na rede privada de ensino, como as famílias afetadas pela mudança no atendimento de crianças com cinco anos na rede municipal, vai ter de destinar uma parcela maior do orçamento doméstico para a educação dos filhos em 2015.

A mensalidade nas creches e escolas particulares de educação infantil ficará acima da inflação. Com base em oito instituições pesquisadas, os aumentos oscilam entre 8% e 12% — acima dos 6,5% previstos pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Em média, as mensalidades ultrapassam os R$ 470 para carga horária de meio período e a soma cresce conforme os serviços oferecidos. O ensino integral é um deles. Os pais que deixarem os filhos o dia todo na escola terão de desembolsar mais de R$ 700 por mês.

No Colégio Expressão, por exemplo, a mensalidade para o período integral é R$ 765,90. No Colégio Sagrada Família mesmo com um dos menores aumentos de Blumenau — 7,97% — o ensino infantil em meio período custa R$ 542 e se a criança ficar todo o dia na escola e receber almoço e lanche de manhã e à tarde, os pais terão de desembolsar R$ 1.022.

A diretora do Colégio Menino Jesus, Daniela Rodrigues Tonn, explica que o aumento de 12% na mensalidade de 2015 (a partir de R$ 410 no período parcial e R$ 731 no integral) foi definido após análise dos custos e do balanço com gastos.

— Com este aumento vamos conseguir fazer melhorias no local e no ensino, além de contemplar os profissionais que trabalham diretamente com as crianças — reforça.

O reajuste também tem relação com o crescimento da demanda na rede privada. Em agosto a prefeitura anunciou que a partir do ano que vem só atenderá as crianças de cinco anos por meio período e não mais no turno integral.

— Percebemos um aumento significativo nas visitas à escola. Eles pedem pelo período integral na unidade da Itoupava Seca e também pelo meio período de recreação, que oferecemos na unidade da Escola Agrícola — observa a diretora da Princesa Isabel Educação Infantil, Heloisa Schuster.

Instituições precisam explicar aos pais motivos do acréscimo

O professor e economista Nazareno Schmoeller avalia que se há uma grande procura na área é natural que as mensalidades aumentem. Sobre os percentuais acima da inflação, o especialista explica que cada ramo tem sua planilha de custos e tenta listar preços e itens que pode controlar.

— Este valor (reajuste) deve ser revertido também para a qualificação dos professores — sugere o economista.

De acordo com o órgão de defesa do consumidor Estadual (Procon-SC), as instituições de ensino podem aplicar reajustes acima do índice nacional, mas precisam explicar aos pais os motivos do acréscimo.

O presidente do Sindicato das Escolas Particulares de Santa Catarina (Sinepe-SC), Marcelo Batista de Sousa, recomenda que os colégios elaborem planilhas de despesas que sirvam como parâmetro para o aumento.

JORNAL DE SANTA CATARINA

Notícias Relacionadas

Educação  10/10/2014 | 07h33

Cadastro para vagas na rede pública de Blumenau vai até dia 31

Comissão de matrículas irá estabelece o calendário escolar de 2015

Educação privada 10/10/2014 | 07h25

O que as famílias precisam observar ao escolher a escola particular

Confira o que é preciso levar em conta na hora de optar por uma instituição

 
Jornal de Santa Catarina
Busca