Com sistema simples de captação da água da calha é possível diminuir o desperdício e a conta no fim do mês - Jornal de Santa Catarina: notícias de Blumenau, Vale do Itajaí e SC

Versão mobile

 

Sustentável01/05/2015 | 08h07

Com sistema simples de captação da água da calha é possível diminuir o desperdício e a conta no fim do mês

Confira dicas para economizar água potável em casa com o uso de uma cisterna

Com sistema simples de captação da água da calha é possível diminuir o desperdício e a conta no fim do mês Rafaela Martins/Agencia RBS
A água da chuva pode ser utilizada nos banheiros e na área externa da casa Foto: Rafaela Martins / Agencia RBS
A casa não foi projetada para receber a estrutura que reaproveita a água da chuva, mas com vontade e dedicação a família Krummenauer colocou de pé o projeto em Blumenau. Com alguns metros de canos, duas caixas d’água e uma bomba de pressão, o sistema funciona há cinco anos.

— Muita coisa é improvisada, mas dar o primeiro passo foi importante. Hoje queremos colocar um filtro, feito com areia e pedras, e aumentar a pressão de saída da água — conta Filipe Monsores Krummenauer, que montou o sistema sozinho.

A mãe dele, a arquiteta Vera Krummenauer, foi a responsável pelo projeto de construção da casa há mais de 15 anos, mas como na época o uso de cisternas não era comum a estrutura não estava preparada para captar a água da chuva.

— É improvisado, mas está funcionando. Na hora que você faz o investimento é caro, mas ele se paga com o tempo. A conta aqui em casa diminuiu 50% depois do reaproveitamento — afirma Vera.

A família usa a água da chuva nos dois banheiros da casa e a cada descarga a economia é de cerca de 20 litros (considerando aquela de válvula, sem caixa acoplada). Dependendo da categoria da residência para o serviço de abastecimento, a economia pode ser de R$ 25 por mês na conta de água. Como na região chove bastante, a cisterna está sempre abastecida.



Vera destaca que no Brasil ainda é caro construir uma casa sustentável, com energia solar e peças recicladas, por exemplo, pois a maioria do material é importada e não há estímulo do Governo para construções totalmente ecológicas. Para usar a água de forma sustentável, o ideal é investir e aguardar pelo retorno a longo prazo.

Para quem quer aproveitar a água da chuva mas não tem uma cisterna, o professor do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental e do Departamento de Engenharia Civil da Furb, Adilson Pinheiro, lembra que o armazenamento também pode ser feito em tanques ou até mesmo em baldes

— As pessoas ainda não colocaram isto no papel, mas usar a água potável para lavar carros, calçadas e em descargas é um grande desperdício. Tanto de água quanto de dinheiro – reforça.

O encanador e eletricista Valério de Souza, que instala este sistema de captação na região, conta por causa que alto custo — pode variar de R$ 2 mil a R$ 3 mil no total — muitas pessoas deixam de armazenar a água da chuva.

— Quase todos os condomínios de Blumenau usam este sistema para descargas, irrigação de plantas e limpeza da parte externa do prédio, mas são poucas as casas que usam este tipo de recurso — conta.

De acordo com o professor Pinheiro, a economia cobre o custo de instalação depois de dois anos.

JORNAL DE SANTA CATARINA

 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaBlumenau terá dois representantes em mostra de cinema infantil https://t.co/xEL6Q1ajDT #LeiaNoSantahá 7 horas Retweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaEleita realeza da 35ª Oktoberfest de Blumenau https://t.co/OUhW8wBjtH #LeiaNoSantahá 7 horas Retweet
Jornal de Santa Catarina
Busca