Fósseis encontrados no RS levam a descoberta de nova espécie - Jornal de Santa Catarina: notícias de Blumenau, Vale do Itajaí e SC

Versão mobile

Período Triássico15/06/2017 | 15h18Atualizada em 15/06/2017 | 15h26

Fósseis encontrados no RS levam a descoberta de nova espécie

Ossadas estavam espalhadas em diversas coleções pelo Estado

Fósseis encontrados no RS levam a descoberta de nova espécie Voltaire Paes Neto/Divulgação
Foto: Voltaire Paes Neto / Divulgação

Uma análise de fósseis encontrados no Rio Grande do Sul durante os últimos anos descobriu uma nova espécie de um pré-mamífero comum na África no período Triássico médio. Publicado no jornal PLOS One, o achado relata, pela primeira vez, a presença do animal do gênero Aleodon na América do Sul.

Foi durante um trabalho com outro grupo de cinodontes — primeiros animais a terem características que hoje são exclusivas dos mamíferos como sangue quente e pelos no corpo — que o paleontólogo e pós-doutorando da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Agustín Martinelli identificou a presença do gênero africano em fósseis gaúchos. Depois de uma busca por diversas coleções, inclusive algumas esquecidas dos pesquisadores, foram encontrados oito fósseis que originaram a nova espécie. Classificados como "indeterminados" ou como parte do gênero Chiniquodon, as ossadas foram reclassificadas como parte do gênero Aleodon, descoberto pela primeira vez na Tanzânia, na África.

Leia mais:
Fósseis descobertos no RS chamam atenção pelo estado de conservação
Fóssil de réptil anterior aos dinossauros é descoberto no Rio Grande do Sul

— É o mesmo gênero do africano, mas de uma espécie diferente — explicou Martinelli, acrescentando que este é o primeiro registro do gênero na América do Sul.

Batizada de Aleodon cromptoni, uma homenagem a Alfred Crompton, primeiro pesquisador a descrever o gênero, a descoberta da nova espécie fortalece as relações dos continentes africano e americano e também mostra a diversidade de cinodontes que viveram na parte sul do Brasil há 235 milhões de anos.

— Além disso, o estudo serviu para valorizar coleções que às vezes recebem pouca importância — completou.

Martinelli contou com a colaboração de pesquisadores da UFRGS, da Fundação Zoobotânica do RS, da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e do Museu de História Natural de Berlim.

O Aleodon cromptoni


Na imagem, uma comparação com um gato Foto: Voltaire Paes Neto / Divulgação

Os fósseis desse pré-mamífero foram encontrados em diversos municípios gaúchos ao longo das últimas décadas. Candelária, Vale Verde, Bom Retiro e Paraíso do Sul são alguns deles. Parecido com um cachorro de grande porte, o animal tinha caninos avantajados e dentição herbívora e onívora.

 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaLíder trabalhista Corbyn deseja novas eleições no Reino Unido https://t.co/GfrWyDKOf3 #LeiaNoSantahá 9 minutosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaModa que fala: slogans e letras de músicas em look masculino de Paris https://t.co/H6YSHx2Zmr #LeiaNoSantahá 9 minutosRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros