'Não usar o voto, nosso principal instrumento de mudança, é aceitar tudo o que está acontecendo', afirma juiz Rafael Maas - Política e Economia - Santa

Cidadania19/09/2016 | 08h02

'Não usar o voto, nosso principal instrumento de mudança, é aceitar tudo o que está acontecendo', afirma juiz Rafael Maas

Juiz eleitoral de Joinville dá dicas sobre como votar de forma consciente

O juiz eleitoral Rafael Maas dos Anjos, da 105ª Zona Eleitoral de Joinville, defende ser fundamental a conscientização política do cidadão ter início quando as pessoas ainda são jovens. Isso passa pela compreensão do processo eleitoral e do sistema no qual estamos inseridos, como tem feito a vereadora mirim Emily, resultando também em um voto consciente nas eleições.

Leia mais matérias sobre política

Segundo o juiz, a sociedade evoluiu muito nos últimos anos ao se interessar mais pela política, o que tem sido demonstrado pelas manifestações nas redes sociais e nas ruas. Ele ressalta que as eleições deste ano são emblemáticas pela situação grave que o País enfrenta, com a crise política e institucional, e pelas reformas que ocorreram na lei eleitoral.

– Não utilizar o nosso maior instrumento de mudança dessa situação é aceitar tudo que está ocorrendo e ficar inerte. A população está se aproximando de poder, através do voto, manifestar sua vontade e escolher seus governantes – explica.

No entanto, para fazer a escolha certa é preciso que os eleitores tenham consciência. O juiz salienta que hoje o eleitor conta com uma série de instrumentos para alcançar informações sobre os candidatos e isso deve ser procurado. Segundo ele, ao buscar esses dados, entender o sistema e conhecer os candidatos, o eleitor precisa refletir sobre o que é importante para ele e ter uma visão global para que possa tomar a melhor decisão na hora do voto.

Dicas do juiz eleitoral Rafael Maas dos Anjos
Conhecer o sistema eleitoral e entender quais são as “regras do jogo”.
Buscar informações sobre os candidatos, que estão todos os dias, de certa forma, se manifestando.
Definir aquilo que se quer, em termos de alguém que vai governar a sociedade.
Ter a iniciatia de ir votar.
Não abandonar a eleição ou votar branco ou nulo, que são votos que não representam nada para a Justiça Eleitoral porque são descartados, e exercer o direito ao voto.
Fiscalizar sempre as condutas de nossos governantes.

CARTILHA DO TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL
Como posso participar das eleições?
Examine as propostas dos candidatos e procure debatê-las em sua comunidade. Fiscalize a campanha e denuncie as irregularidades. Escolha com atenção o candidato que vai representá-lo. Vote consciente.

Como posso escolher meu candidato?
Procure conhecer a história do seu candidato. Observe se o candidato está preocupado com os problemas da comunidade, se participa de organizações comunitárias e busca o progresso de sua cidade. Não vote em candidato que oferece presentes em troca de voto. Escolha aqueles que saibam ouvir opiniões da comunidade, propor leis que alcancem o interesse de todos, fiscalizar a atuação dos governantes e defender melhorias.

O que posso fazer para que o voto em minha cidade seja consciente?
Divulgue que o voto é muito importante e não deve ser trocado por presentes, brindes ou assemelhados. Informe que a urna eletrônica é segura e que ninguém tem como saber em quem você votou. Esclareça que a Justiça Eleitoral garante o sigilo do voto. Explique que é pelo voto que você transfere poder ao candidato. Alerte que o dinheiro do Estado deve ser utilizado, obrigatoriamente, para satisfazer as necessidades da população. Fale sobre a importância de acompanhar as ações dos representantes eleitos.

Quais são as principais irregularidades da campanha eleitoral e como posso denunciá-las?
As principais irregularidades são: troca de voto por dinheiro, material de construção, cesta básica, atendimento médico, cirurgia, emprego ou outros favores diversos; uso do poder político para promover a campanha de um candidato, como a utilização de carros oficiais, funcionários e/ou prédios públicos; ameaça, por exemplo, de demissão ou violência física para obter voto; propaganda no dia da eleição (boca de urna); fixação de cartazes em locais e bens de uso comum, como praças, postes ou árvores. Caso tome conhecimento de alguma irregularidade, denuncie ao juiz ou ao promotor eleitoral. É importante juntar provas da irregularidade, como fotos, folhetos, gravações ou mensagens, que instruirão o processo. Para denunciar, não é necessário que você esteja acompanhado de advogado.

Por que devo votar?
O voto é a forma pela qual todo cidadão pode escolher quem o representará na elaboração de leis e na aplicação do dinheiro público para melhoria do país, dos estados e dos municípios.

A participação do eleitor termina no dia das eleições?
Não, pois o eleitor deve fiscalizar os políticos eleitos, ficar de olho no que está acontecendo e acompanhar os projetos que estão em debate e votação no Legislativo e no Executivo. Apresente sugestões ao vereador que você elegeu. Entre em contato pessoalmente, por carta, telefone ou por e-mail. Participe de forma efetiva.

A NOTÍCIA

 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaMultivacinação: dia D da campanha leva 45 mil crianças aos postos de saúde de Santa Catarina https://t.co/JI1qn5Z11O #LeiaNoSantahá 6 horas Retweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaCampanha de multivacinação leva 4.432 crianças aos postos de Saúde de Joinville na primeira semana https://t.co/j7tgeridV7 #LeiaNoSantahá 8 horas Retweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros