Oposição recorre à PGR com representação contra ministro da Justiça - Política e Economia - Santa

Após afirmação sobre a Lava-Jato26/09/2016 | 20h34Atualizada em 26/09/2016 | 20h34

Oposição recorre à PGR com representação contra ministro da Justiça

Deputados e senadores do PT e do PCdoB pedem o afastamento cautelar do ministro por entenderem que Moraes violou o sigilo profissional do cargo

Oposição recorre à PGR com representação contra ministro da Justiça Humberto Pradera/MJ/
No domingo, Alexandre de Moraes disse que haveria uma nova fase da Lava-Jato nesta semana Foto: Humberto Pradera/MJ
Agência Brasil
Agência Brasil

Parlamentares da oposição entraram, nesta segunda-feira, com uma representação na Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes. Os deputados e senadores do PT e do PCdoB pedem o afastamento cautelar do ministro por entenderem que Moraes violou o sigilo profissional do cargo.

Na petição, os parlamentares acusam o ministro de ter conhecimento prévio sobre a 35ª fase da Operação Lava-Jato, deflagrada na manhã desta segunda, quando o ex-ministro da Fazenda e da Casa Civil, Antonio Palocci, foi preso.

Leia mais
Dilma sobre suposto vazamento da Lava-Jato: "Estamos caminhando para o Estado de Exceção"
Após "antecipação" da Lava-Jato, Temer cobra explicações do ministro da Justiça
Oposição quer que ministro da Justiça explique "uso político da PF"

No domingo, ao participar de um evento de campanha em Ribeirão Preto (SP) com o deputado federal e candidato a prefeito Duarte Nogueira (PSDB-SP), o ministro disse que haveria uma nova fase da Lava-Jato nesta semana. A cidade é terra natal e berço político de Palocci.

Durante uma conversa com um dos integrantes do Movimento Brasil Limpo (MBL), que pediam apoio às investigações da Lava-Jato, o ministro disse:

— Pode ficar sossegado. Apoio total à Lava-Jato. Tanto que falam, falam, que quinta teve uma (fase), sexta teve outra, essa semana vai ter mais. Podem ficar tranquilos. [...] Quando vocês virem esta semana, vocês vão lembrar de mim.

De acordo com a petição, as declarações do ministro causam "embaraço às investigações".

"A situação requer medidas de urgência, tanto com o fim de proteção da necessária imparcialidade que a operação exige quanto para evitar exploração eleitoral indevida, e acautelar a sociedade da repetição de condutas do ministro de Estado que, por si só, constituem crime de responsabilidade", acrescentou o texto.

O pedido foi assinado pelos senadores Humberto Costa (PT-PE), Lindbergh Farias (PT-RJ), Gleisi Hoffmann (PT-PR), Ângela Portela (PP-RR), Vanessa Grazziotin (PcdoB-AM), Fátima Bezerra (PT-RN), Jorge Vianna (PT-AC), José Pimentel (PT-CE), Paulo Paim (PT-RS), Regina Sousa (PT-PI) e Randolph Rodrigues (REDE-AP) e pelos deputados federais Jandira Feghali (PCdoB-RJ) e Afonso Florence (PT-BA).

Ministro

Pela manhã, durante um evento em São Paulo, o ministro da Justiça negou que tenha sido informado antecipadamente sobre a nova fase da Operação Lava-Jato e disse que fez uma "afirmação genérica".

Moraes assegurou que, como de costume, foi informado da ação policial após a saída da equipes da Polícia Federal para cumprir os mandados.

— Temos uma praxe já montada no ministério de que, a partir das 6h da manhã, as informações, não só dessa operação, mas de todas que são realizadas no dia são passadas.

Sobre a representação protocolada na PGR, a assessoria do Ministério da Justiça afirmou que o ministro não vai se pronunciar.

Polícia Federal

A Polícia Federal divulgou nota para esclarecer que somente as pessoas diretamente responsáveis pela investigação têm conhecimento de seu conteúdo.

"Como já foi amplamente demonstrado em ocasiões anteriores, o Ministério da Justiça não é avisado com antecedência sobre operações especiais. No entanto, é sugerido ao seu titular que não se ausente de Brasília nos casos em que possam demandar sua atuação, não sendo informados a ele os detalhes da operação", concluiu o comunicado.

Leia as últimas notícias de Política

*Agência Brasil

 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaPedro Machado: a Chapecoense é uma unanimidade https://t.co/w9WYf5SyKn #LeiaNoSantahá 8 diasRetweet
  • santacombr

    santacombr

    Santa"Pode-se tentar calar o juiz, mas nunca se conseguirá calar a Justiça", reage Cármen Lúcia https://t.co/JZDSmNAMoY #LeiaNoSantahá 8 diasRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros