PF diz que ministro da Justiça não é avisado com antecedência de ação na Lava-Jato - Política e Economia - Santa

Polêmica26/09/2016 | 11h17Atualizada em 26/09/2016 | 11h17

PF diz que ministro da Justiça não é avisado com antecedência de ação na Lava-Jato

Ministro Alexandre de Moraes disse, em ato de campanha, que "esta semana vai ter mais", se referindo à operação

— Teve a semana passada e esta semana vai ter mais, podem ficar tranquilos. Quando vocês virem esta semana, vão se lembrar de mim. 

Feita no domingo após um comício, a declaração do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, sobre a Operação Lava-Jato, levantou dúvidas sobre se a Polícia Federal havia modificado o hábito de não avisar com antecedência o ministério das operações. Horas depois, o ministério disse que a declaração foi uma "força de expressão"

Em nota nesta segunda-feira, a PF disse que não mudou os padrões de divulgação da informação na 35ª fase: apenas os envolvidos diretamente saberiam. Confira a nota na íntegra: 

Em relação à 35ª fase da Operação Lava Jato, a Polícia Federal esclarece que adotou o mesmo padrão de compartimentação e cuidado com a informação que caracterizaram as quase 500 operações deflagradas este ano.

Somente as pessoas diretamente responsáveis pela investigação possuem conhecimento de seu conteúdo.

Da mesma forma, as datas de desencadeamento das operações especiais de polícia judiciária são acompanhadas apenas pelos responsáveis pela coordenação operacional.

Como já foi amplamente demonstrado em ocasiões anteriores, o Ministério da Justiça não é avisado com antecedência sobre operações especiais. No entanto, é sugerido ao seu titular que não se ausente de Brasília nos casos que possam demandar sua atuação, não sendo informado a ele os detalhes da operação.

A Polícia Federal, instituição do Estado brasileiro, reafirma sua atuação de acordo com o Estado Democrático de Direito.

 
 
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros