Lideranças apontam 10 prioridades para o próximo prefeito de Blumenau - Política e Economia - Santa

Eleições 201601/10/2016 | 14h01

Lideranças apontam 10 prioridades para o próximo prefeito de Blumenau

Saiba o que especialistas e entidades esperam em diferentes áreas

“É nos municípios que as coisas acontecem”. A frase, cada vez mais repetida por políticos, sobretudo em tempos de campanha eleitoral, mostra que as prefeituras ainda são os grandes oráculos dos contribuintes no dia a dia das cidades e quando eles precisam buscar algum serviço público. Seja ao enfrentar dificuldades como baixo efetivo policial e falta de medicamentos, em que as maiores atribuições de gerenciamento cabem ao Estado, ou em aspectos como educação e transporte coletivo, em que o município possui forte autonomia, a prefeitura é o primeiro canal ao qual o cidadão costuma recorrer.

No domingo o eleitor blumenauense começará a conhecer quem estará à frente da cidade pelos próximos quatro anos. Em caso de segundo turno, a resposta definitiva virá apenas no dia 30. Algo certo é que o vencedor irá enfrentar, ao menos no período inicial, um cenário de diminuição na arrecadação. Como o primeiro passo para superar um problema muitas vezes é identificá-lo, o Santa consultou professores, especialistas e lideranças de entidades de Blumenau para apontar desafios que precisarão estar na agenda da próxima gestão. Prioridades capazes de permitir avanços para a cidade, orientar os futuros gestores e ajudar a população na missão de cobrar o poder público, algo tão importante para a cidadania quanto o gesto de votar com consciência.

Segurança pública: pressão por aumento de efetivo policial

O baixo número de contingente na Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros é considerado pelas lideranças o principal problema de segurança pública em Blumenau. Como a distribuição e custeio das polícias é atribuição do Estado, o papel que deve caber ao próximo prefeito é o de cobrar o governo estadual para a vinda de mais policiais e bombeiros. Uma das possibilidades para isso seria que um maior número de policiais em treinamento na academia e em batalhões fosse destinado a Blumenau.

Já a criação da Guarda Municipal, solução mais alardeada pela maioria dos candidatos para a segurança em esfera municipal, é vista com ressalva pelas entidades pelo impacto financeiro que poderia gerar ao município em momento de orçamento apertado. A mesma pressão no governo do Estado também deve ser necessária para a conclusão do Complexo Penitenciário. A obra é necessária para permitir a desativação do Presídio Regional, prometida pelo Estado para 2018.

Mobilidade: um novo modelo de transporte coletivo para melhorar o serviço

Assunto do ano em Blumenau e um tema explorado à exaustão na campanha eleitoral, a mudança na concessão do transporte coletivo será um desafio a ser conduzido na próxima administração. Para as entidades, enquanto o formato emergencial permanecer é difícil pensar em melhora. A grande aposta é no lançamento rápido da licitação e na elaboração de um edital completo, que não possua vícios e permita a obtenção de ônibus novos e mais rotas pelo município.

Ar-condicionado em linhas que percorrem a região central e formato integrado com municípios da região como Indaial, Gaspar, Timbó e Pomerode são outros pontos citados por lideranças para melhorar o modelo de transporte coletivo.

Saúde: Ampliar e fortalecer a cobertura das equipes de Estratégia de Saúde da Família

Na área da saúde o entendimento clássico é o de priorizar ainda mais a atenção básica para evitar que muitos pacientes precisem recorrer aos hospitais ou a especialidades em casos de complicações. Nesse sentido, um dos avanços considerados importantes por integrantes do Conselho de Saúde de Blumenau é a ampliação e o fortalecimento das equipes de Estratégia de Saúde da Família (ESF), que hoje ainda não alcançam 100% do município.

Esse é um dos temas em que os esforços não dependem apenas do governo local. Isso porque o município tem projeto elaborado para a criação de 21 novos postos, mas as propostas aguardam por uma janela de projetos do Ministério da Saúde, que auxilia na construção.

A volta dos mutirões de cirurgias em parceria com o Estado — que chegou a suspender o programa este ano — para desafogar procedimentos de média complexidade e a extensão dos horários dos três ambulatórios-gerais que não atendem até a meia-noite também são vistas como avanços para a saúde.

Infraestrutura: melhorias no Aeroporto Quero-Quero

O aeroporto é importante no deslocamento de órgãos para transplante e no próprio sistema de transporte e movimentação ligados à economia. O presidente da Associação Empresarial de Blumenau (Acib), Carlos Tavares d’Amaral, defende o cercamento e o balizamento para permitir o uso noturno da pista, além da execução do projeto que envolve o corte de parte de um morro e a retirada de uma antena.

Outro investimento apontado por ele é preservar o sítio aeroportuário, o que permitiria uma futura ampliação da pista para a cabeceira sul. Isso exigiria um desvio da Rua Dr. Pedro Zimmermann, que para o empresário já precisa estar incluída na revitalização projetada pela prefeitura com o Corredor Norte.

Infraestrutura: projeto para construção da ligação Velha-Garcia

O assunto é um sonho de décadas e quase unanimidade entre as lideranças de Blumenau. Em cenário de poucos investimentos do governo federal e mesmo do município, a receita apontada é a redução de gastos com cargos de confiança para permitir uma margem maior para infraestrutura, área em que a obra é vista como estratégica. A atual administração elaborou um estudo do traçado. Além da Velha-Garcia, a conclusão do prolongamento da Rua Humberto de Campos, iniciado na atual gestão, e os projetos de anéis periféricos de ligação entre bairros e sobretudo os acessos à cidade também são apontados como avanços essenciais.

— É um projeto que tem que sair do papel, independentemente de quem vai ser o prefeito que vai executar. Temos que ter ao menos o projeto para amanhã ou depois levá-lo adiante, tentar viabilizar — avalia o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Blumenau, Helio Roncaglio.

Infraestrutura: definição do projeto e construção de nova ponte no Centro

Tema central da eleição de 2012, os projetos que envolvem a construção de uma nova ponte no Centro são considerados como um avanço que já precisaria ter sido superado para a mobilidade na região central de Blumenau.

Para as entidades, as duas pontes podem ajudar a diminuir os congestionamentos na região e precisam ter as situações definidas e viabilizadas. O presidente da Associação Empresarial de Blumenau (Acib), Carlos Tavares d’Amaral, acrescenta ainda a necessidade de um sistema de binário na ligação entre Centro e Ponta Aguda, que ajudaria tanto na possível ponte entre as ruas Rodolfo Freygang e Chile quanto no traçado entre as ruas Itajaí e Paraguay.

Turismo: buscar recursos e articular a construção do Centro de Convenções

Embora também deva ser construído com recursos estaduais, o Centro de Convenções é considerado fundamental para alavancar o turismo de eventos em Blumenau. Além de aumentar a capacidade para receber feiras e congressos e diversificar o perfil de eventos além dos festivais gastronômicos, o espaço ajudaria a cidade a competir com destinos como Balneário Camboriú, que no próximo ano contará com um grande centro de eventos, às margens da BR-101.

De quebra, também pode atrair mais empreendimentos para a rede hoteleira, ainda considerada abaixo do ideal. A possível construção do Mercado Público, o cumprimento das metas do plano municipal e uma exploração regional da identidade do Vale Europeu também surgem como caminhos para a próxima gestão administrar o turismo.

Gestão: redução de cargos e custos das estruturas do Legislativo e do Executivo

Ao longo da campanha este tema foi bastante defendido pelas entidades empresariais, pois acreditam que no atual cenário econômico a austeridade nos gastos públicos é a única forma de garantir investimentos em áreas para o desenvolvimento, como a infraestrutura. A diminuição dos repasses para a Câmara de Vereadores de 6% para 3% do orçamento municipal e o corte de assessores, cargos de confiança e comissionados são os principais pedidos para os novos ocupantes do Legislativo e Executivo.

Educação: Mais vagas na educação infantil na faixa de 0 a 3 anos

O assunto foi de longe um dos mais mencionados na campanha eleitoral deste ano. A fila atual por vagas em Centros de Educação Infantil (CEIs), que até sexta-feira estava em 4.937, segundo o Portal da Transparência, acende a luz de alerta para o problema.

A grande demanda por cobertura hoje se concentra nas crianças de zero a dois anos. Durante a campanha, propostas de construção de espaços públicos, parcerias com ONGs e iniciativa privada e apoio às creches domiciliares foram apontadas como alternativas para caminhar em direção à solução do problema. Conforme especialistas, a melhor alternativa seria o investimento público em educação infantil — do governo federal na construção de espaços e do município no custeio das novas creches. A manutenção, aliás, é vista com precaução pelo fato de o ensino infantil ser a etapa mais cara para a gestão pública.

Desenvolvimento econômico: agilizar aprovações e liberações para abertura de empresas, construções e reformas

Uma das queixas dos empresários, segundo o presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), Helio Roncaglio, ainda é relacionada à demora em liberações para aberturas de empresas, construções ou reformas. Para ele, isso por vezes compromete o desenvolvimento empresarial. A Praça do Empreendedor foi criada no ano passado justamente para tentar dar mais celeridade a parte desse processo. No caso das licenças ambientais, há espaço para torná-las mais dinâmicas.

(Fontes: Adriana Corrêa, pedagoga, mestre em Educação e professora de Currículo e Didática do Departamento de Educação da Furb. Bernard Van de Meene, presidente do Conselho Municipal de Saúde. Carlos Tavares d’Amaral, presidente da Associação Empresarial de Blumenau (Acib). Helio Roncaglio, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Blumenau. Kátrin Aline Osti, coordenadora do Complexo de Saúde da Furb e representante da universidade no Conselho Municipal de Saúde. Rita Buzzi Rausch, diretora do Centro de Ciências da Educação, Artes e Letras da Furb. Romualdo Paulo Marchinhacki, presidente da OAB Blumenau.  Ulrich Kuhn, presidente do Sindicato das Indústrias de Fiação, Tecelagem e do Vestuário de Blumenau (Sintex). Vivian Kreutzfeld, presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Fiação e Tecelagem de Blumenau (Sintrafite).

JORNAL DE SANTA CATARINA - JORNAL DE SANTA CATARINA

 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaPedro Machado: a Chapecoense é uma unanimidade https://t.co/w9WYf5SyKn #LeiaNoSantahá 5 diasRetweet
  • santacombr

    santacombr

    Santa"Pode-se tentar calar o juiz, mas nunca se conseguirá calar a Justiça", reage Cármen Lúcia https://t.co/JZDSmNAMoY #LeiaNoSantahá 5 diasRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros