Manifestantes entram em confronto com a polícia em frente ao Congresso Nacional - Política e Economia - Santa

Brasília29/11/2016 | 18h15Atualizada em 29/11/2016 | 20h39

Manifestantes entram em confronto com a polícia em frente ao Congresso Nacional

Protesto é contra MP do Ensino Médio, PEC do Teto e alterações no pacote anticorrupção, os dois últimos com votação marcada para esta terça-feira

Estadão Conteúdo e Agência Brasil

A manifestação que ocorria desde as 16h em frente ao Congresso Nacional resultou em tumulto. O protesto é contra a MP do Ensino Médio, a PEC que fixa um teto para os gastos públicos e alterações no pacote anticorrupção. As duas últimas matérias têm votação prevista para esta terça, no Senado e na Câmara, respectivamente. Os manifestantes carregam faixas pedindo "Fora Temer".

Por volta das 18h, o conflito foi conflagrado quando um grupo de manifestantes virou dois carros, um da Record TV e outro que pertence à família de um policial legislativo que trabalha na Câmara. Os carros tiveram vidros quebrados e partes externas danificadas. Outros veículos foram danificados, pelo menos dois foram incendiados.

Leia também:
CAE do Senado aprova redução de salário para parlamentares
Saiba o que pode mudar com a PEC do teto dos gastos públicos

A polícia reagiu disparando bombas de efeito moral e de gás lacrimogêneo. Houve confronto e os policiais dispersaram parte dos manifestantes, que se saíram correndo no gramado em frente ao Congresso.

Após a dispersão, um grupo de manifestantes voltou a entrar em confronto com policiais na Esplanada dos Ministérios por volta das 18h50min. A ação policial na Esplanada envolve o uso da cavalaria, tropa de choque e bombas de gás. 

Manifestantes acusam a polícia de ter agredido uma das pessoas que invadiu o espelho d'água do Congresso, o que supostamente teria iniciado o conflito. Outra versão cita que o embate começou após alguns manifestantes terem virado um veículo estacionado nos arredores do Congresso Nacional.

Houve quebradeira dos edifícios públicos na Esplanada e equipamentos urbanos, como paradas de ônibus e lixeiras. Por outro lado, testemunhas afirmam que houve excesso dos policiais. Pessoas que se refugiaram atrás dos Ministérios que apenas aguardavam os ânimos se acalmarem foram atingidas por bombas de efeito moral.

Os estudantes fizeram uma barricada com fogo em frente à Catedral e em alguns momentos eles dançam e entoando gritos de guerra contra a polícia. A polícia neste momento aguarda e alguns manifestantes que estavam em um carro de som dizem que há feridos e precisam de apoio para socorrê-los. Ainda não se sabe o número de feridos.

De acordo com a Polícia Legislativa e da Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal, são cerca de 10 mil pessoas no ato. 


 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaPedro Machado: a Chapecoense é uma unanimidade https://t.co/w9WYf5SyKn #LeiaNoSantahá 5 diasRetweet
  • santacombr

    santacombr

    Santa"Pode-se tentar calar o juiz, mas nunca se conseguirá calar a Justiça", reage Cármen Lúcia https://t.co/JZDSmNAMoY #LeiaNoSantahá 5 diasRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros