Líderes comunitários criticam rapidez na tramitação dos projetos do pacotão de Gean Loureiro - Política e Economia - Santa

Em Florianópolis27/01/2017 | 19h40Atualizada em 27/01/2017 | 23h32

Líderes comunitários criticam rapidez na tramitação dos projetos do pacotão de Gean Loureiro

Segundo associações de moradores, faltou  discussão com a sociedade

Líderes comunitários criticam rapidez na tramitação dos projetos do pacotão de Gean Loureiro Leo Munhoz/Agencia RBS
Segundo associações de moradores, faltou discussão com a sociedade. Votações na Câmara estão no quarto dia Foto: Leo Munhoz / Agencia RBS

Embora alegue estar sendo encorajado pela população a seguir com o pacotão, que tramita em regime de urgência na Câmara de Florianópolis, o prefeito Gean Loureiro (PMDB) encontra resistência não apenas entre servidores e sindicatos. Líderes comunitários ouvidos pela reportagem alegam que faltou diálogo com a população e que, como há muitos temas importantes em jogo, deveria ter sido dado mais tempo para que os vereadores analisassem os projetos.

Para o ex-presidente e atual diretor da Associação de Moradores de Santo Antônio de Lisboa (Amsal), Cláudio Andrade, muitas medidas são necessárias, porém era necessário uma discussão mais ampla e não uma aprovação de maneira "atropelada". 

— Por outro lado, entende-se que uma medida urgente é necessário. Passamos todo o governo do César Souza Júnior (PSD) pedindo melhorias e foi uma negação absoluta, sempre com a justificativa de que não havia dinheiro. Se algo não foi feito e isso continuar por mais quatro anos, vai ser um caos na cidade. Porém o prefeito, se ele alega ter apoio da maioria, deveria ouvir mais todo mundo. Talvez realizar um plebiscito, para que toda a população possa emitir sua opinião — diz Andrade.

Outro líder comunitário que não concorda com o que chamou de "falta de diálogo" com a população é Rodrigo Ferreira, presidente da Associação de Moradores de Coqueiros (Pró-Coqueiros). Segundo ele, o pacotão foi apresentado de maneira autoritária.

— Todo mundo ficou perplexo entre os líderes comunitários aqui da orla de Coqueiros.  Teve uma repercussão muito negativa. Ele levou para a Câmara porque sabia que tinha maioria e passou como um trator político. Nossa maior crítica é em relação aos projetos que afetam o Plano Diretor, que só foram retirados por uma decisão judicial. Ficamos admirados com a falta de sensibilidade — diz Ferreira.

Para Ari Maravilha, da Associação de Moradores da Lagoa da Conceição (Amola), embora algumas medidas estejam corretas, elas não poderiam ser feitas a "toque de caixa":

— O prefeito falhou quando quis botar tudo muito rápido.

 A opinião é compartilhada com o presidente do Conselho Comunitário da Barra da Lagoa, Adanir Gonçalves. Segundo ele, a maior parte do bairro está descontente e muitas medidas são desconhecidas da população, pela falta de divulgação e diálogo.

— Como diz o manezinho, o Gean chegou metendo o pé na porte. Está tudo sendo aprovado num corre-corre. É preciso mais transparência — opina. 



 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaNova temporada de "Stan Lee's Lucky Man" e outras atrações para ver na TV na noite desta sexta-feira https://t.co/wlzbNnk0M5 #LeiaNoSantahá 43 minutosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaJoinville ganha primeira sala de orações e dá início ao Centro Islâmico https://t.co/PMivhcWuPB #LeiaNoSantahá 1 horaRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros