"Se cuidem, porque se eu voltar é para fazer mais", diz Lula em Brasília - Política e Economia - Santa

Versão mobile

Presidência12/01/2017 | 20h17Atualizada em 12/01/2017 | 20h17

"Se cuidem, porque se eu voltar é para fazer mais", diz Lula em Brasília

Esta é a segunda vez, em menos de uma semana, que o petista fala abertamente da possibilidade de voltar a concorrer à Presidência

"Se cuidem, porque se eu voltar é para fazer mais", diz Lula em Brasília YASUYOSHI CHIBA/AFP
Foto: YASUYOSHI CHIBA / AFP
Matheus Schuch/RBS Brasília

matheus.schuch@gruporbs.com.br

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) voltou a falar sobre a possibilidade de concorrer à Presidência da República em 2018. Nesta quinta-feira, diante de uma plateia formada por professores, estudantes e sindicalistas, em Brasília, o petista disse que quer "voltar a fazer o país andar".

— Se cuidem, porque se eu voltar para a presidência da República é para fazer mais do que nós já fizemos — disse Lula.

Ovacionado pelo público, o petista criticou o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, chamou o atual governo de "golpista", e afirmou que ninguém vai impedi-lo de "andar pelo país", em possível referência às investigações contra ele.

Leia mais:
"Se preparem, porque, se necessário, eu serei candidato à Presidência", diz Lula
Moro aceita denúncia e Lula vira réu pela quinta vez
Lula, filho dele e mais duas pessoas viram réus na Zelotes

— Quem é que vai tirar o país da lama que ele se encontra? — perguntou o ex-presidente. A plateia gritou: "Lula, Lula".

O petista participou da abertura do 33º Congresso Nacional da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE).

À plateia de educadores e sindicalistas, Lula também criticou o investimento em presídios:

— O dinheiro que economizaram no passado em educação, estão gastando agora em presídios — discursou.

Além de citar medidas na área de educação adotadas em seu governo, Lula mencionou exemplos de países que, no entendimento dele, têm exemplares modelos de gestão na área, como Cuba, Peru e Bolívia. 

— O atraso que nós temos que enfrentar é porque a elite brasileira nunca gostou e nunca quis que o pobre estudasse — opinou.

Diferente do discurso em um evento realizado na quarta-feira, na Bahia, nesta quinta Lula não mencionou nominalmente a Lava-Jato e outras investigações da qual é alvo. Ele é réu em cinco inquéritos que apuram esquemas de corrupção.

Leia as últimas notícias de Política

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaColombo apoia reforma da previdência e vai articular com deputados de SC https://t.co/ATbeODUwiF #LeiaNoSantahá 1 horaRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaCarolina Bahia: desarticulação política  https://t.co/AENxgFg3xs #LeiaNoSantahá 1 horaRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca