Defesa de Dilma no TSE questiona perícia da Polícia Federal em gráficas - Política e Economia - Santa

Versão mobile

Campanha eleitoral de 201407/02/2017 | 18h59Atualizada em 07/02/2017 | 18h59

Defesa de Dilma no TSE questiona perícia da Polícia Federal em gráficas

Advogados da ex-presidente solicitam que seja feita uma perícia complementar além de diligências nas empresas subcontratadas

Defesa de Dilma no TSE questiona perícia da Polícia Federal em gráficas Alvarélio Kurossu/Agencia RBS
Foto: Alvarélio Kurossu / Agencia RBS
Agência Brasil
Agência Brasil

A defesa da ex-presidente Dilma Rousseff protocolou duas petições no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em que aponta falhas na perícia contábil e no relatório realizado pela Polícia Federal (PF) sobre as gráficas que prestaram serviços para a chapa Dilma-Temer na campanha presidencial de 2014.

As petições solicitam ao ministro Herman Benjamin, relator no TSE da investigação sobre irregularidades nas contas de campanha de Dilma-Temer, que seja feita uma perícia complementar, incluindo documentos fiscais e de transporte que comprovariam a entrega dos produtos gráficos contratados.

Leia mais
Defesa diz ao TSE que Temer e PMDB não foram responsáveis por contratar gráficas
PF pede provas ao TSE para abrir investigação sobre contabilidade da chapa
Defesa de Dilma pede acesso a documentação produzida em ação da PF

Em relação ao relatório, a defesa de Dilma aponta que a PF teria desconsiderado o valor exato pago pela chapa Dilma-Temer pelos serviços prestados e também ignorado a subcontratação de serviços de outras empresas pelas gráficas contratadas na campanha — Focal, VTPB e Red Seg.

Segundo o advogado de Dilma Rousseff no processo, Flavio Crocce Caetano, está "demonstrado no processo, com inúmeros documentos, que as gráficas produziram e entregaram todo o material contratado para a campanha de Dilma e Michel Temer". Para comprovar a regularidade dos serviços prestados, ele solicita que sejam realizadas diligências nas empresas subcontratadas, que seriam a Grafitec, Margraf, Ultraprint, Vitalia, Paperman e CRLS.

Na sexta-feira, a defesa do presidente Michel Temer também se manifestou ao TSE, sustentando que a campanha eleitoral do PMDB não teve relação com os pagamentos suspeitos feitos a gráficas que prestaram serviços para a chapa Dilma-Temer.

Em dezembro de 2014, as contas da campanha da chapa foram aprovadas com ressalvas, por unanimidade, no TSE. No entanto, o processo foi reaberto porque o PSDB questionou a aprovação, por entender que há irregularidades nas prestações de contas apresentadas. Conforme entendimento atual do TSE, a prestação contábil do presidente e do vice é julgada em conjunto.

Leia as últimas notícias de Política

*Agência Brasil

 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaTécnicos do TCE querem aumentar valor da dívida do governo com municípios após pedaladas https://t.co/toNYgQeJOS #LeiaNoSantahá 37 minutosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaUm terço do lixo destinado à coleta seletiva de SC não é aproveitado por descarte incorreto https://t.co/qFi9PVIqu0 #LeiaNoSantahá 49 minutosRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros