AGU diz que defesa de Temer no STF será feita por advogado particular - Política e Economia - Santa

Versão mobile

Investigação30/05/2017 | 23h05Atualizada em 30/05/2017 | 23h05

AGU diz que defesa de Temer no STF será feita por advogado particular

Ministro Edson Fachin, relator da Lava-Jato no STF, autorizou a PF a tomar depoimento do presidente por escrito

Agência Brasil
Agência Brasil

A advogada-geral da União, Grace Mendonça, disse nesta terça-feira (30) que a defesa do presidente Michel Temer no Supremo Tribunal Federal (STF), em inquérito que investiga citação ao peemedebista na delação da JBS, será feita por um advogado particular e não pelo órgão federal.

— A AGU, nesse processo, tem uma missão clara: ela representa judicial e extrajudicialmente a União e presta assessoramento jurídico ao Executivo. O advogado-geral tem a missão de fazer esse aconselhamento ao presidente da República. Mas precisamente sobre o inquérito, ela não atua — disse a ministra após participar do Fórum de Investimentos Brasil 2017, em São Paulo.

Leia mais:
Fachin autoriza PF a interrogar o presidente Michel Temer
Fachin desmembra inquérito de Temer e Loures da investigação sobre Aécio
Governo cobra R$ 1,5 milhão de organizadores de protestos por danos

Nesta terça, o ministro do STF Edson Fachin, relator da Lava-Jato na Corte, autorizou a Polícia Federal (PF) a tomar o depoimento do presidente por escrito. De acordo com a decisão, Temer terá 24 horas para responder aos questionamentos dos delegados após receber as perguntas sobre as citações nos depoimentos de delação da JBS.

— Não posso falar por ele, mas tenho certeza absoluta que o presidente da República fará os esclarecimentos que se fizerem necessários com total tranquilidade e com total segurança porque ele sabe de todo o esforço que vem sendo por ele empreendido no sentido de buscar e restabelecer a normalidade do Estado — disse a advogada-geral da União.

Grace se disse "perplexa" com o fato de um dos delatores da JBS, o empresário Joesley Batista, estar livre e vivendo nos Estados Unidos. 

 — A perplexidade da sociedade brasileira, e acho que todos nós, se voltou em relação a alguns pontos muito claros: primeiro, que toda essa delação culminou não só com essas revelações, mas em especial com a forma em que, na prática, o delator acabou tendo uma nova realidade de vida, praticamente com uma imunidade na expectativa criminal — criticou.

A ministra, no entanto, evitou comentários sobre o fato de o presidente da República ter recebido o empresário, fora da agenda, no Palácio do Planalto, e sobre o teor da conversa. 

— O presidente fará os esclarecimentos necessários para a sociedade brasileira. E esse é um esforço que ele já vem fazendo desde que a notícia veio à luz — disse. 

— Em relação aos diálogos, não posso sequer fazer um juízo seguro porque ainda não há uma prova segura. Acho que qualquer posicionamento, em um momento como esse, tende a ser um posicionamento não formado em bases seguras — ressaltou.

Leia as últimas notícias de Política

*Agência Brasil

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaAo vivo: acompanhe o trânsito em Blumenau nesta terça-feira (26/9) https://t.co/efMiuDoZj4 #LeiaNoSantahá 1 horaRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaVídeo: banda Vox 3 apresenta novas músicas para a Oktoberfest 2017 https://t.co/afH9WzQ3N3 #LeiaNoSantahá 2 horas Retweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros