Whirlpool e Embraco de Joinville apostam na inovação como diferencial - Política e Economia - Santa

Versão mobile

Indústria 4.025/05/2017 | 10h50Atualizada em 25/05/2017 | 10h50

Whirlpool e Embraco de Joinville apostam na inovação como diferencial

Produtos considerados inovadores são responsáveis por quase 25% da receita da Whirlpool por exemplo 

Whirlpool e Embraco de Joinville apostam na inovação como diferencial Maykon Lammerhirt/Agencia RBS
Whirlpool de Joinville tem cerca de cinco mil funcionários, que interagem cada vez mais com as novas tecnologias.  Foto: Maykon Lammerhirt / Agencia RBS

Maior fabricante de eletrodomésticos do mundo, a multinacional Whirlpool Corporation, dona das marcas Brastemp, Consul e KitchenAid, conta com mais de 30 sistemas robotizados, entre eles, o robô como serviço na unidade de Joinville. O primeiro deles foi adquirido em 2010 para exercer uma função específica de testes funcionais e de qualidade que não era possível obter por meio de mão de obra.

O complexo da Whirlpool em Joinville tem 287 mil m² de área construída e cerca de cinco mil funcionários, que interagem cada vez mais com as novas tecnologias. A fábrica já possui variados sistemas automatizados, mas a montagem das peças segue feita de forma manual. A maior parte dos serviços robotizados está concentrado na linha de testes do produto final, como refrigeradores, freezers e purificadores de água já montados.

Como a indústria de Joinville se prepara para o futuro em meio à crise

Conheça as indústrias que se instalaram em Joinville desde 1881

Mudança no perfil do trabalhador pode ser benéfica para o mercado de emprego, diz economista

Um dos exemplos é visível no última etapa de produção das cervejeiras, antes da embalagem. Instalado na fábrica desde 2013, o robô colaborativo da ¿linha 9¿ faz um raio-x do produto e realiza em segundos uma série de testes de funcionalidade e qualidade, como o sistema abre e fecha, iluminação, ventilador e possíveis imperfeições. Na sequência, o sistema informatizado apresenta um relatório com da checagem e devolve produto com falhas para a área de conserto. Antes, a verificação era feita de forma manual e por meio visual.

De acordo com Sérgio Silva, diretor de manufatura da Whirlpool, a inovação não trouxe perdas de postos de trabalho, uma vez que os robôs exercem uma função de análise ¿milimétrica¿ que antes não era realizada. Ele também afirma que os operadores das máquinas são capacitados para operarem os robôs e, com isso, ganham maior qualificação profissional e oportunidades de crescimento. A redução das chances dos funcionários desenvolverem problemas ergonômicos também é considerada.

Para vice-presidente da Fiesc, setor industrial passa por uma profunda transformação

Outra mudança efetivada na planta é a troca do papel por tablets e TVs usados para transmitir orientações técnicas operacionais de cada uma das linhas de produção. O procedimento é digital e ocorre na fabricação da B-blend, máquina que produz mais de 20 sabores de bebidas quentes, geladas, com ou sem gás. Fruto de uma joint venture entre Whirlpool e Ambev, o eletrodoméstico, considerado uma das principais inovações do setor na atualidade, também passa pela verificação robotizada antes da embalagem.

Segundo Silva, os impactos tecnológicos e de mercado gerados pelos investimentos em inovação já são mensurados pela empresa. Os produtos considerados inovadores são responsáveis por quase 25% da receita da multinacional. Por ano, de 3% a 4% do faturamento da companhia são investidos na manutenção desses investimentos.

Embraco investe 4% do lucro líquido em Pesquisa e desenvolvimento

Embraco investe cerca de  4% do lucro líquido no desenvolvimento de pesquisas e inovação. Foto: Andre Kopch / Divulgação

Destinar cerca de 4% do lucro líquido em pesquisa e desenvolvimento também é a política adotada pela Empresa Brasileira de Compressores (Embraco), sediada em Joinville, e presente em mais de 80 países. Líder mundial no ramo de compressores para aparelhos de refrigeração, a companhia mantém cerca de 600 funcionários dedicados exclusivamente no desenvolvimento de tecnologias e soluções inovadoras.

Saiba o que é indústria 4.0

As ações são feitas em 47 laboratórios de pesquisa instalados em quatro continentes, muitas em parceria com universidades referência em engenharias. Entre elas está a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), com a qual trabalhos conjuntos são mantidos há 35 anos. Um dos projetos, assinado em 2014 e ainda em andamento, tem como objetivo viabilizar estudos para aumentar a eficiência energética e a sustentabilidade na produção dos compressores.

As pesquisas são realizadas por meio de um convênio entre a Embraco, o Laboratório de Materiais a UFSC (Labmat) e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Região de Joinville tem 19% das empresas de tecnologia de SC 

Empresas de Joinville apostam em tenologias inteligentes na produção

Segundo a empresa, além das pesquisas em inovação, alguns de seus processos já utilizam recursos digitais para `monitorar o processo fabril e gerar informações sobre o funcionamento do seu maquinário¿, capaz de produzir 40 milhões de compressores por ano. A transformação visa reduzir custos e falhas e auxiliar nas tomadas de decisão. 

A Embraco também utiliza a internet industrial para dar suporte ao trabalho dos colaboradores em plataformas fixas ou móveis, como tablets e celulares.

Assim como Pollux e Whirlpool, a companhia diz que as mudanças efetuadas não representaram perdas de vagas. Atualmente, a Embraco contabiliza mais de 11 mil funcionários em todo o mundo,  cinco mil deles na planta Brasil, que abrange a matriz, em Joinville, além da fundição de Pirabeiraba e a fábrica de Itaiópolis.

 
 
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros