Aécio Neves é denunciado por corrupção passiva e obstrução de Justiça - Política e Economia - Santa

Versão mobile

Operação Patmos02/06/2017 | 18h01Atualizada em 02/06/2017 | 19h18

Aécio Neves é denunciado por corrupção passiva e obstrução de Justiça

Irmã do parlamentar, Andrea Neves, o primo, Frederico Pacheco, e Mendherson, ex-assessor do senador Zezé Perrela, também foram denunciados

Aécio Neves é denunciado por corrupção passiva e obstrução de Justiça Geraldo Magela/Agência Senado/Divulgação
Foto: Geraldo Magela / Agência Senado/Divulgação
Agência Brasil
Agência Brasil

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou hoje (2) denúncia ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o senador afastado Aécio Neves (PSDB) pelos crimes de corrupção e obstrução da Justiça. Na denúncia, a PGR acusa Aécio Neves de solicitar R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista, um dos delatores da JBS. Após oferecer a denúncia, Janot pediu nova autorização para investigar Aécio , desta vez por lavagem de dinheiro.

A irmã do parlamentar, Andrea Neves, o primo de Aécio, Frederico Pacheco, e Mendherson, ex-assessor do senador Zezé Perrela (PMDB-MG), também foram denunciados. Todos foram citados na delação premiada da JBS. De acordo com o procurador, o recebimento do valor teria sido intermediado por Frederico e Mendherson, que teria entregue parte dos recursos em uma empresa ligada ao filho de Perrella. A denúncia está baseada em gravações feitas pela Polícia Federal, durante uma ação controlada.

Andrea teria feito o primeiro contato com o empresário. O tucano indicou seu primo Frederico para receber o dinheiro. Mendherson também teria participado. O dinheiro foi entregue pelo diretor de Relações Institucionais da JBS, Ricardo Saud, um dos sete delatores. Ao todo, foram quatro entregas de R$ 500 mil cada uma.

Leia mais
PGR pede abertura de inquérito para investigar Aécio por lavagem de dinheiro
"O PSDB não é madame Bovary", diz Aloysio sobre possível saída da base

PF apreende na casa de Aécio comprovantes de depósito identificados como "cx 2"

A denúncia será analisada pelo ministro Marco Aurélio e julgada pela Primeira Turma do Supremo, composta pelos ministros Alexandre de Moraes, Rosa Weber, Luís Roberto Barroso e Luiz Fux. A data ainda não foi definida.

A defesa do senador afastado têm alegado que o pedido de dinheiro a Joesley Batista, feito em conversa gravada pelo delator, foi um empréstimo. Em vídeo divulgado recentemente, Aécio disse que o valor se referia à venda de um apartamento da família dele a Joesley. Segundo ele, a partir daí Joesley teria armado uma situação na qual o empréstimo de R$ 2 milhões pareceria um ato ilegal. O senador nega que tenha havido qualquer contrapartida pelo empréstimo, descaracterizando atos de corrupção.

Leia as últimas notícias sobre a delação da JBS

 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaDeschamps aborda os desafios da flexibilização de currículo no ensino médio durante congresso em SP https://t.co/6IDi19F0Ad #LeiaNoSantahá 20 minutosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaBurocracia trava início da operação dos escâneres corporais em 14 unidades prisionais de SC https://t.co/7d9bIJy109 #LeiaNoSantahá 26 minutosRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros