Desdobramento da Lava-Jato investiga fraudes na merenda escolar no Rio - Política e Economia - Santa

Versão mobile

Operação Ratatouille01/06/2017 | 07h17Atualizada em 01/06/2017 | 11h05

Desdobramento da Lava-Jato investiga fraudes na merenda escolar no Rio

Investigações indicam o pagamento de pelo menos R$ 12,5 milhões em propina por um empresário do ramo de alimentação

Agência Brasil
Agência Brasil

A Polícia Federal realiza na manhã desta quinta-feira (1) um desdobramento da Lava-Jato no Rio de Janeiro. Denominada de Ratatouille, a operação tem finalidade de desarticular um esquema criminoso de desvio de recursos destinados ao fornecimento de merenda escolar e alimentação de detentos nos presídios no Estado do Rio, tendo como contrapartida o pagamento de propina a autoridades públicas.

Segundo o G1, foi preso o empresário Marco Antônio de Luca, ligado às empresas de alimentos Masan e Milano, que pertencem ao mesmo grupo familiar. Elas forneciam também alimentação para hospitais públicos do Estado e para o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) durante os Jogos Olímpicos do ano passado. Nos últimos 10 anos, as duas empresas tiveram contratos superiores a R$ 700 milhões com o governo do Rio de Janeiro.

Leia mais:
Acordo de leniência da J&F é alvo de críticas de especialistas
Fachin diz que Temer pode não responder perguntas da Polícia Federal
TRF mantém condenação do ex-deputado André Vargas, mas reduz pena

Os policiais federais cumprem um mandado de prisão preventiva e nove mandados de busca e apreensão nos bairros da Barra da Tijuca, Ipanema e Leblon, na Capital, e nas cidades de Mangaratiba e Duque de Caxias.

As investigações, iniciadas há seis meses, indicam o pagamento de pelo menos R$ 12,5 milhões em vantagens indevidas a autoridades públicas por um empresário do ramo de alimentação que mantinha contratos com o governo.

De acordo com a PF, o nome da operação remete a um prato típico da culinária francesa, em referência a um jantar em restaurante de alto padrão em Paris, no qual estavam presentes diversas autoridades públicas e empresários que possuíam negócios com o Estado.

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaSecretaria da Fazenda de SC pode ter mudança até o final de setembro https://t.co/FRlXNpk0RU #LeiaNoSantahá 2 horas Retweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaEmpréstimo da Celesc com BID e Agência Francesa está ameaçado  https://t.co/ZfiQSrW0RT #LeiaNoSantahá 3 horas Retweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros