Em derrota do governo, reforma trabalhista é rejeitada em comissão do Senado - Política e Economia - Santa

Versão mobile

Política20/06/2017 | 12h48Atualizada em 20/06/2017 | 15h18

Em derrota do governo, reforma trabalhista é rejeitada em comissão do Senado

Com a rejeição do relatório, texto alternativo do senador oposicionista Paulo Paim (PT-RS) foi aprovado em votação simbólica

Em derrota do governo, reforma trabalhista é rejeitada em comissão do Senado Marcos Oliveira/ Agência Senado/
Foto: Marcos Oliveira/ Agência Senado
Estadão Conteúdo e Zero Hora

A Comissão de Assuntos Sociais do Senado (CAS) rejeitou o relatório da reforma trabalhista nesta terça-feira, 20. Com um placar apertado, 10 senadores votaram pela rejeição do projeto e nove parlamentares votaram pela aprovação do relatório produzido por Ricardo Ferraço (PSDB-ES).

Com a rejeição do relatório de Ferraço, a presidente Marta Suplicy (PMDB-SP) colocou em votação um texto alternativo, do senador oposicionista Paulo Paim (PT-RS), que foi aprovado em votação simbólica. 

O resultado representa uma derrota para o governo Michel Temer. Ainda assim, mesmo com o revés na CAS, o projeto segue normalmente para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e, por fim, deverá passar pelo plenário do Senado.

Leia mais:
Sindicatos protestam contra reformas do governo Temer no Salgado Filho
Paim encerra leitura de voto que rejeita reforma trabalhista
Reforma trabalhista é aprovada na  Comissão de Assuntos Econômicos

O placar surpreendeu governistas e a própria oposição, que comemorou muito. Senadores governistas trabalhavam com a expectativa de que o texto pudesse ser aprovado por placar de 11 a 8 ou com vantagem de 12 a 8, conforme o quórum da votação.

Após o fim da sessão na CAS, o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), admitiu que o resultado é uma derrota para o governo. No entanto, disse que "nada muda" na prática, porque os três relatórios – da CAE, da CAS e da CCJ – serão enviados a plenário e analisados separadamente.

— Não muda nada, não muda a posição do governo, não muda o plano de aprovar — disse Jucá.

O projeto vai para a Comissão de Constituição e Justiça na quarta-feira (21). Lá, será apresentado o parecer do relator do tema nessa comissão, que é Jucá. A expectativa é de que será concedida vista coletiva, para os senadores terem mais tempo de se articularem.

 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaSemana deve ser de sol e tempo seco em grande parte de SC https://t.co/H1Di1D20mh #LeiaNoSantahá 2 horas Retweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaCom lotação flexibilizada, Penitenciária de Florianópolis recebe presos no fim de semana https://t.co/93HtJay3Ii #LeiaNoSantahá 2 horas Retweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros