Napoleão Maia vota contra cassação da chapa Dilma-Temer no TSE - Política e Economia - Santa

Versão mobile

Empate09/06/2017 | 17h26Atualizada em 09/06/2017 | 17h27

Napoleão Maia vota contra cassação da chapa Dilma-Temer no TSE

Magistrado também votou contra a inclusão das delações da Odebrecht no processo e disse que não há provas suficientes para comprovar uso de recursos ilegais para financiar campanha

Napoleão Maia vota contra cassação da chapa Dilma-Temer no TSE Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil/Agência Brasil
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil / Agência Brasil
Agência Brasil
Agência Brasil

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Napoleão Maia votou hoje (9) contra a cassação da chapa Dilma-Temer, vencedora das eleições de 2014. Com o voto do ministro, o placar da votação está empatado em 1 a 1. Faltam os votos de cinco ministros.

Em seu voto, Maia votou contra a inclusão das delações de executivos da Odebrecht no processo e disse que não há provas suficientes para comprovar que a campanha eleitoral usou recursos ilegais de propina para financiar a disputa. De acordo com o ministro, as provas são somente ilações.

Leia mais
"Que sobre eles desabe a ira do profeta", diz Napoleão sobre delatores da JBS que o citaram
Relator vota pela cassação da chapa Dilma-Temer em julgamento no TSE
"Agora, até fita sem perícia vale": curiosidades do 4º dia de julgamento no TSE

— Se for aceito isso, abre um leque infinito de punições para todo mundo que foi eleito com essa poupança (propina) — disse.

O ministro também entendeu que, nos casos de processos eleitorais, as provas devem ser limitadas ao pedido inicial. Maia também ressaltou que garantir a defesa das partes não significa concordar com suas condutas. 

— O garantismo é uma coisa, a impunidade é outra.

Na sequência da sessão, deverão votar os ministros Admar Gonzaga, Tarcisio Vieira, Rosa Weber, Luiz Fux, e o presidente do tribunal, Gilmar Mendes.

Na sessão desta manhã, o relator do processo, ministro Herman Benjamin, votou pela cassação da chapa por abuso de poder político e econômico pelo recebimento de propina para financiar parte da campanha. Ele ponderou, no entanto, que os crimes atribuídos à chapa vencedora também foram praticados por outros partidos.

Leia as últimas notícias sobre o julgamento da chapa Dilma-Temer

 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaDepois de amanhecer gelado, temperaturas podem chegar a 24ºC em Santa Catarina  https://t.co/h5QU3Ox1zx #LeiaNoSantahá 8 horas Retweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaDiante da superlotação, moradores da Serra de SC oferecem hospedagem alternativa aos turistas https://t.co/JGBQBGYO6N #LeiaNoSantahá 8 horas Retweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros