Movimento para Maia substituir Temer ganha força em Brasília  - Política e Economia - Santa

Versão mobile

Articulações07/07/2017 | 09h03Atualizada em 07/07/2017 | 15h23

Movimento para Maia substituir Temer ganha força em Brasília 

Denúncia apresentada contra o presidente por corrupção passiva e perda de capital político do governo mudaram o comportamento do parlamentar

Movimento para Maia substituir Temer ganha força em Brasília  DANIEL TEIXEIRA/ESTADAO CONTEUDO
Foto: DANIEL TEIXEIRA / ESTADAO CONTEUDO
Zero Hora
Zero Hora

Os movimentos para Rodrigo Maia (DEM-RJ) substituir Michel Temer na Presidência da República cresceram na base governista e foram discutidos inclusive na residência oficial do presidente da Câmara, em Brasília. Segundo a Folha de S.Paulo, a denúncia por corrupção passiva apresentada contra Temer e a perda de capital político do governo mudaram o comportamento de Maia.

Primeiro na linha sucessória, o presidente da Câmara começa a ser visto como potencial presidente. O próprio Maia estaria admitindo esse cenário, após ter evitado a discussão nas semanas que se seguiram à delação de executivos da JBS. Publicamente, ele nega.

Leia mais:
Maia já opera com cenário pós-Temer
Em Hamburgo, Temer afirma que "não existe crise econômica no Brasil"
Guilerme Mazui: saída com o centrão


De acordo com a Folha, os movimentos pró-Maia se intensificaram a tal ponto que o Planalto passou a ver o presidente da Câmara com desconfiança. Entre os episódios em que o deputado agiu contra o presidente, estão a defesa, em conversas com parlamentares, da saída do PSDB do governo, a recusa a juntar as denúncias contra o presidente em uma única votação na Câmara e a influência na escolha de Sérgio Zveiter (PMDB-RJ) como relator do processo na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Maia também passou a frequentar menos os palácios do Planalto e do Jaburu e evitou presidir a Mesa da Câmara durante discussões polêmicas. Ele também aparece como "solução" para o setor financeiro e empresarial na aprovação da agenda de reformas. Na quinta-feira (7), o presidente interino do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), disse que Maia "tem condições" de conduzir a transição do país até as eleições de 2018.

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaEm reunião da Fiesc, Jorge Bornhausen comenta reunião com Temer https://t.co/j0VMwIdmqN #LeiaNoSantahá 16 minutosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaEspaço do centro administrativo da Vila Germânica deve dar lugar a mais camarotes no futuro https://t.co/62XJRU4GrS #LeiaNoSantahá 4 horas Retweet
Jornal de Santa Catarina
Busca