Carolina Bahia: saldão do Temer - Política e Economia - Santa

Versão mobile

Política24/08/2017 | 02h10Atualizada em 24/08/2017 | 02h10

Carolina Bahia: saldão do Temer

Pacote de privatizações é o desespero por receitas extraordinárias para fazer caixa e uma tentativa de acalmar os mercados

Carolina Bahia: saldão do Temer Sergio Lima/AFP
Foto: Sergio Lima / AFP

Na falta da reforma da Previdência, o governo Temer oferece um pacote de privatizações. Em primeiro lugar, é o desespero por receitas extraordinárias para fazer caixa. Mas também é uma tentativa de acalmar os mercados, depois do aumento no rombo do orçamento e do evidente fracasso em levar adiante as mudanças nas aposentadorias. E deu certo. A reação dos mercados foi positiva diante do anúncio da venda da Eletrobras. Encorajado pela boa receptividade, o Planalto ofereceu um pacotão que vai de aeroportos à Casa da Moeda. Quem está acostumado com os balões de ensaio da equipe de Temer duvida que plano se concretize totalmente. Negócios atrativos, como aeroportos e setor de energia, sim, deverão ir a leilão até o final do próximo ano. Privatização não é palavrão e pode representar eficiência para determinados setores. O que preocupa é o improviso e um plano estratégico sobre áreas que devem ou não sair do controle estatal. E há o risco de que o governo relaxe no ajuste fiscal. Receitas extraordinárias acabam rapidamente. Se a equipe econômica não conseguir fazer o dever de casa, só as privatizações não vão colocar o país nos eixos.

Esperado
O ministro Alexandre de Moraes não surpreendeu: ele negou pedido da OAB para que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), acelerasse análise de pedidos de impeachment contra Temer. Só para lembrar: Moraes foi ministro de Justiça e é amigo do presidente da República.

Quase solitários
Apesar da posição da bancada do PMDB de Santa Catarina contra o Distritão, a liderança do partido na Câmara negociou até o fim para tentar emplacar o modelo eleitoral. O impasse continuou em plenário. O Distritão enfraquece os partidos.

Pé do ouvido
Na antessala do presidente Temer, o governador Raimundo Colombo encontrou o presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro. Foi a oportunidade para falar mais sobre o Fundam. Paulo Rabello se mostrou animado.

Leia outras colunas de Carolina Bahia

Carolina Bahia: fantasma do fato novo

Carolina Bahia: segurança em segundo plano

Carolina Bahia: equivocado e incompleto

Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros