Corrupção na UFSC envolve concessão irregular de 40 bolsas e outras 100 concedidas a parentes de funcionários - Política e Economia - Santa

Versão mobile

Moacir Pereira14/09/2017 | 11h31Atualizada em 14/09/2017 | 11h38

Corrupção na UFSC envolve concessão irregular de 40 bolsas e outras 100 concedidas a parentes de funcionários

Só neste item, mais de 3 milhões de reais teriam sido desviados

Corrupção na UFSC envolve concessão irregular de 40 bolsas e outras 100 concedidas a parentes de funcionários Cristiano Estrela/Diário Catarinense
Foto: Cristiano Estrela / Diário Catarinense

A prisão do reitor da Universidade Federal de Santa Catarina, professor Luiz Carlos Cancelier de Olivo, foi causada por fortes indícios de impedir investigações da Controladoria Gera da União e do Tribunal de Contas da União sobre desvio de verbas federais do programa “Universidade Aberta Brasil”, de ensino a distância.

Leia mais:

Reitor da UFSC é preso em operação da PF que investiga desvio de recursos

A informação foi dada durante coletiva a imprensa na sede da Polícia Federal de Florianópolis pela delegada Erika Marena, que preside o inquérito instaurado na UFSC, compreendendo o funcionamento do projeto educacional de 2008 até 2017.

A Policia Federal cumpriu 16 mandados de busca e apreensão, 7 mandados de prisão e 5 de condução coercitiva, sendo um funcionário estatutário, um celetista, dois empresários prestadores de serviços as fundações de apoio e os outros professores da Universidade.

A delegada informou que estava impedida de divulgar os nomes dos presos e conduzidos coercitivamente porque a Justiça Federal decretou segredo de Justiça.   Acrescentou que já foi pedida a suspensão do sigilo para divulgação dos nomes de todos os envolvidos, o que pode ocorrer durante o dia de hoje.

O programa ensino a distância funciona desde 2006 e já movimentou até agora 80 milhões de reais.  A análise feita pela CGU e TCU envolve 40 milhões de reais. 

Os ilícitos praticados tratam de concessão irregular de 40 bolsas de estudos durante dois anos, outras 100 concedidas a parentes dos envolvidos, o que totalizaria só neste item mais de 3 milhões de reais. Há suspeitas também de desvio de verbas de custeio.

A prisão do reitor Luiz Carlos Cancelier decorreu de decisões suas de avocar processos administrativos que estavam sendo investigados pelos órgãos federais de controle.   Mas será apurado também nas diligências sua participação ou não em bolsas que foram concedidas de forma irregular.

A entrevista coletiva foi presidida pelo superintendente da Policia Federal, delegado Marcelo Mosele,  e contou com a presença de representantes da CGU, TCU e Ufsc.

Acompanhe as publicações de Moacir Pereira

Leia mais:

Pró-Reitor de Extensão, Rogério Cid Bastos, assume interinamente o comando da UFSC

Ex-delegada da Lava-Jato comanda operação da PF contra irregularidades na UFSC

Irregularidades na UFSC começaram no curso de Física, segundo a CGU


Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaTemer desiste de extinguir reserva mineral na Amazônia https://t.co/efKQWrHWMk #LeiaNoSantahá 42 segundosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaAo vivo: acompanhe o trânsito em Blumenau nesta segunda-feira (25/9) https://t.co/ZaQnXvA8FW #LeiaNoSantahá 2 horas Retweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros