O perdão pragmático do PT - Política e Economia - Santa

Versão mobile

Moacir Pereira07/11/2017 | 07h22Atualizada em 07/11/2017 | 07h22

O perdão pragmático do PT

Lula agora diz "perdoar os golpistas que fizeram essa desgraça ao país"

O perdão pragmático do PT SÉRGIO CASTRO/ESTADÃO CONTEÚDO
Foto: SÉRGIO CASTRO / ESTADÃO CONTEÚDO

Por Upiara Boschi, interino

Semana passada, em um comício em Minas Gerais, o ex-presidente Lula (PT) disse “estar perdoando os golpistas que fizeram essa desgraça ao país”, em referência ao impeachment de Dilma Rousseff (PT). Alguns dias depois, o presidente do PT paulista, Luiz Marinho, disse que o partido deveria rever a proibição de alianças com os partidos que apoiaram o impeachment de Dilma Rousseff para “recuperar a maioria do povo brasileiro”.

Quase complementares, as duas falas indicam um movimento da cúpula petista atrás da antiga base de partidos de centro que um dia sustentou as gestões de Lula e Dilma. É quase o oposto do que se pregava após a destituição da ex-presidente em agosto do ano passado. Na época, lideranças e a militância petista advogaram por uma guinada à esquerda e autocrítica em relação à política de alianças.

Embora a candidatura de Lula ainda esteja cercada de dúvidas por causa da possibilidade de condenação no Tribunal Regional Federal, em Porto Alegre, que teria o poder de impedi-lo de concorrer, é evidente que as diversas pesquisas que o colocam em primeiro lugar atiçam o velho pragmatismo que sempre marcou a cúpula do partido. No auge da popularidade, Lula aceitou o apoio de quem quis apoiá-lo - atendesse o personagem pelo nome de Sarney, Renan, Jucá, Collor.

Claro que os protagonistas do processo de impeachment estão descartados, mas os movimentos em busca de diálogo com os simples apoiadores estão em andamento. No PT catarinense, o deputado federal e pré-candidato a governador Décio Lima tem falado abertamente que seu principal objetivo é tirar o partido do isolamento. Descarta PMDB e PSDB, mas não o PSD de Raimundo Colombo e nem o PP de Esperidião Amin. O que será verá nos próximos meses é se os perdoados querem o perdão petista.

Parceria público-privada 

A imagem da foto representa uma soma de esforços que resultou na retomada dos Jogos Abertos de Santa Catarina, iniciados em Lages no final de semana. Pelo Estado, na ponta esquerda está o presidente da Fesporte, Erivaldo Caetano Junior (PSDB), e na ponta direita o secretário Leonel Pavan (PSDB). Pelo município-sede, o prefeito Antonio Ceron (PSD) e o vice Cosme Polese (ao lado de Pavan). Ao centro, o empresário Luciano Hang, diretor-presidente da Havan, patrocinadora do evento.
Foto: Orval Molina / Divulgação

A imagem da foto representa uma soma de esforços que resultou na retomada dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc), iniciados em Lages no final de semana. Pelo Estado, na ponta esquerda está o presidente da Fesporte, Erivaldo Caetano Junior (PSDB), e na ponta direita o secretário Leonel Pavan (PSDB). Pelo município-sede, o prefeito Antonio Ceron (PSD) e o vice Juliano Polese (ao lado de Pavan). Ao centro, o empresário Luciano Hang, diretor-presidente da Havan, patrocinadora do evento.

Carmen no Senado  

Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) realiza reunião com 39 itens. Entre eles, o PLS 358/2015, que aumenta as penas para adultos que utilizam crianças ou adolescentes para a prática de crimes.À mesa:presidente da CCJ, senador Edison Lobão (PMDB-MA);autora do PDS 42/2015, deputada Carmen Zanotto (PPS-SC).Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado
Foto: Leopoldo Silva / Agência Senado/Divulgação

A deputada federal Carmen Zanotto (PPS) esteve no Senado na semana que passou. A parlamentar catarinense falou na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania sobre seu projeto de decreto legislativo para sustar um dispositivo de portaria do Ministério da Saúde que cria dificuldades para o acesso de mulheres com idade entre 40 e 49 anos de idade ao exame de mamografia pelo SUS. Aprovado na Câmara dos Deputados e na comissão, o texto agora vai ao plenário do Senado.

Agenda cheia
De volta à agenda normal depois de passar a última semana recuperando-se da internação por causa de uma diverticulite, o governador Raimundo Colombo (PSD) terá agenda dupla hoje com o ministro de Ciência, Tecnologia e Comunicações, Gilberto Kassab (PSD). Às 11h, na Acate, eles  participam de lançamento de projeto para estimular o setor eletrônico de placas em SC. A partir das 14h30, durante o Encontro Finep para Inovação, na Fiesc, o governador entrega o Prêmio Stemmer Inovação. Além da presença do ministro Kassab, também estará o presidente da Finep, Marcos Cintra.

Conversa
Colombo e Kassab terão tempo suficiente para falar sobre os rumos do PSD em Santa Catarina no ano que vem. O ministro é o presidente nacional do partido.

Errata
Diferentemente do que foi dito no texto de abertura da coluna de fim de semana, Leonel Pavan (PSDB) é secretário de Turismo, Cultura e Esporte, e não da Saúde.

Imobiliária
Estão em tramitação na Assembleia Legislativa 38 projetos de lei para doação, cessão ou concessão de uso de imóveis do governo do Estado para municípios e entidades.

Ex-satélite
O PCdoB anunciou ontem que a deputada estadual gaúcha Manuela D’Ávila será a pré-candidata do partido à presidência da República. Se for confirmada no páreo, será a primeira vez que os comunistas não apoiam a candidatura presidencial do PT. Manuela foi deputada federal por dois mandatos e chegou a liderar a bancada do partido.

Acordo
A Fundação do Meio Ambiente (Fatma) e a Associação Catarinense de Rádio e Televisão (Acaert) assinam amanhã, na Assembleia Legislativa, um termo de referência para que emissoras do Estado obtenham as licenças ambientais e funcionem de acordo com a legislação. A iniciativa é inédita no País e está sendo construída em parceria entre as instituições há quase um ano.

Adaptação
Como as emissoras de TV e rádio de Santa Catarina são anteriores a legislação ambiental, que é do final da década de 1970, muitas antenas estão instaladas em áreas de proteção e poderiam ser embargadas pela Fatma e terem o sinal suspenso. As emissoras terão 10 anos para se adaptar as novas regras.

Acompanhe as publicações de Moacir Pereira

Deputado cobra que aprovados em concurso da Cidasc sejam convocados

A volta de Júlio Garcia para a política partidária catarinense 

Almir Gorges deixa a Secretaria da Fazenda

Raimundo Colombo e o fantasma de R$ 7,5 bilhões

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaPedro Machado: Meirelles é visto com bons olhos pelo mercado, mas só isso não basta https://t.co/vJtxZhOyYC #LeiaNoSantahá 32 minutosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaColégio Militar de Blumenau abre inscrições na segunda-feira https://t.co/gzyiVxnyvB #LeiaNoSantahá 51 minutosRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca