Tupy vai investir R$ 150 milhões em 2018 - Política e Economia - Santa

Vers?o mobile

 

Conexão Econômica16/12/2017 | 02h00Atualizada em 16/12/2017 | 02h00

Tupy vai investir R$ 150 milhões em 2018

Os recursos destinam-se à otimização da manufatura, à gestão ambiental e à área de segurança do trabalho

Tupy vai investir R$ 150 milhões em 2018 Leo Munhoz/Agencia RBS
Foto: Leo Munhoz / Agencia RBS

A Tupy prevê investimentos de R$ 150 milhões em 2018 e a retomada de margens de lucratividade a níveis históricos, de aproximadamente 15% para o próximo ano. Os recursos destinam-se à otimização da manufatura, à gestão ambiental e à área de segurança do trabalho. A empresa está otimista com os negócios: acredita que o volume de vendas deverá crescer 5%, já comparado com uma base mais forte, a de 2017. Outra informação significativa é a estimada redução de custos de R$ 42 milhões. O valor será bastante influenciado pela combinação de maior eficiência operacional e pelo encerramento das atividades da fundição de Mauá (São Paulo), ocorrida neste ano de 2017. As informações são de comunicado da companhia aos analistas de mercado, durante o Tupy Day, realizado em 8 de dezembro, em Joinville.De 2013 a 2017, a metalúrgica pagou dividendos 457 milhões. Do total, R$ 200 milhões só neste 2017. 

A estratégia No encontro com os profissionais do mercado financeiro, a Tupy também detalhou sua estratégia para o período 2017/2021: quer ser (continuar sendo) referência em produtos e serviços de alto valor agregado em fundição e aumentar sua participação de produtos usinados no conjunto dos negócios. No segmento de blocos e cabeçotes dará continuidade ao processo de internacionalização da produção, com foco em regiões estratégicas para o fornecimento.  Também planeja a liderança nos segmentos de veículos comerciais e de máquinas agrícolas, de construção e industriais. A produção de autopeças deverá ter, cada vez mais, elevado conteúdo tecnológico em geometria e metalurgia. Já o setor de hidráulica merecerá atenção para a maximização do uso da marca Tupy, e dos canais de venda.  

E a avaliação de oportunidades em segmentos de alto crescimento consta do radar da organização. 

Os pilares
Na perspectiva corporativa e, portanto, mais geral, há seis pilares bem definidos para os próximos anos: alocação eficiente e gestão dos ativos; consolidação do sistema de produção Tupy; extensão do conceito lean às atividades de apoio e administrativas; desenvolvimento organizacional nas áreas de capital humano e sistemas; além de cuidar da gestão de desempenho e da gestão de sustentabilidade, tanto em saúde e segurança, como meio ambiente e comunidade. O último ponto listado pela direção é melhorar a atratividade para o mercado de capitais. 

A Tupy está com processo de seleção para oportunidades diversas na produção. Há 100 vagas. Interessados devem comparecer nesta segunda e terça-feira (dias 18 e 19 de dezembro), às 8 horas da manhã, na Portaria 2, na rua Albano Schmidt, número 3400.

Os candidatos devem levar Carteira de Trabalho, Identidade, CPF, Título Eleitoral, documento que comprove o nível de escolaridade (histórico escolar ou diploma) e Carteira de Reservista, para homens.

Os selecionados começam a trabalhar na Tupy em janeiro.
(Claudio Loetz)

Artesanais na Forbes
Com bom desempenho do Brasil, a ascensão da indústria de cerveja artesanal na América Latina foi tema de uma reportagem da Forbes, uma das mais importantes revistas especializadas em economia e negócios do mundo. Ao destacar que já são 650 empresas no ramo em terras tupiniquins, a publicação americana ouviu dois empresários catarinenses.

O presidente da Associação Brasileira de Cerveja Artesanal (Abracerva), Carlo Lapolli, projetou um crescimento de 40% no número de estabelecimentos deste tipo no país em 2018. Já Carlo Lapolli, diretor da Escola Superior de Cerveja e Malte, primeira faculdade focada na produção da bebida na América Latina, com sede em Blumenau, lembrou que grandes players do segmento, como AB InBev e Heineken, estão de olho no crescimento deste nicho e vem fazendo aquisições de cervejarias artesanais.

Casa nova

Projeto da nova sede da AMcom, empresa de Blumenau que desenvolve softwares sob medida
Foto: Divulgação

Outro exemplo de empresa de tecnologia que ignorou a recessão e vem crescendo a galope nos últimos anos – média de 30% –, a AMcom, especializada no desenvolvimento de softwares sob medida, vai inaugurar em março sua nova sede em Blumenau. O espaço de 4 mil metros quadrados, quatro vezes maior do que o atual, está em construção no bairro Ponta Aguda. O projeto arquitetônico prevê um ambiente de trabalho moderno e dinâmico, com bar, salas de descanso, mesas de jogos e piquenique e até escorregador que conecta um mezanino ao primeiro pavimento.

– Vai ser algo bem inovador, que atraia essa geração atual e inspire muito as pessoas – promete o CEO da empresa, Marcelo Furtado.

O investimento é de R$ 5 milhões. A nova estrutura permitirá ainda que a AMcom dobre a capacidade de atendimento e também o número de funcionários – hoje são 400 – até 2020, projeta o executivo. Atualmente a empresa, que também tem filiais em São Paulo e no Rio de Janeiro, está com mais de 30 vagas em aberto.

Turnê no Nordeste
Sete empresas têxteis de Santa Catarina farão uma turnê têxtil pelo Nordeste em março do ano que vem. Showrooms das marcas serão montados no Seara Praia Hotel, em Fortaleza. Participarão da exposição Altenburg, Atlântica, Bella Janela, Bouton, Buddemeyer, Hedrons e Lepper. O evento está sendo organizado pelo Sintex.

Indústria de cosméticos cresce no Norte do Estado

la vertuan, cosmeticos, araquari, indústria
Foto: Divulgação / Divulgação

A La Vertuan, com sede em Araquari, fechou contrato com a multinacional Zôdio,  empresa do poderoso grupo Leroy Merlin, e que tem 19 lojas na França e  em outros países da Europa. O uso de nanotecnologia na produção dos dermocosméticos é fator que auxiliou na decisão a múlti de  fazer a parceria. A apresentação da linha Natural e Vegano Bio Vegan também atraíram os executivos da área comercial da Zôdio. A mega loja da Zôdio foi inaugurada no dia 5 de dezembro, em em São Paulo, onde os produtos da empresa catarinense ganharam um espaço atrativo. 

A La Vertuan foi fundada em 1989, com produção de xampus, condicionadores e perfumes. Em 1996 criou a marca La Vertuan para profissionais de estética. Em 2010, mudou a fábrica para Araquari. Três anos depois começou a produzir cosméticos para outras marcas. Em 2016 reposicionou sua marca, com três linhas de produção: dermocosméticos, dermocosméticos profissional e dermocosméticos MAN. Em meados de 2016 lançou a marca Bio Vegan para atender o mercado de cosméticos naturais.


 
Jornal de Santa Catarina
Busca