Sobrado que serviu como cativeiro do menino ilhotense está isolado pela Polícia - Segurança - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Sequestro03/06/2014 | 14h22Atualizada em 03/06/2014 | 14h52

Sobrado que serviu como cativeiro do menino ilhotense está isolado pela Polícia

Vizinhos ainda não conseguem acreditar que casal morador do sobrado foi o responsável pelo sequestro

Sobrado que serviu como cativeiro do menino ilhotense está isolado pela Polícia  Rafaela Martins/Agência RBS
Polícia isolou o imóvel e corpos ainda estão no local Foto: Rafaela Martins / Agência RBS

Dezenas de policiais ainda circulam em frente ao sobrado rosa n° 407 que serviu de cativeiro ao menino de ilhotense sequestrado desde a última quinta-feira. Os vizinhos ainda não acreditam que aquela casa localizada na rua Olino Rodolfo de Souza, no bairro Armação em Penha, serviu como abrigo ao menino sequestrado. A região está isolada pela Polícia Civil (PC) e os corpos de dois sequestradores ainda estão dentro da casa. O terceiro sequestrador foi preso pela PC.

A proprietária que alugou o sobrado para o casal conta que estava almoçando no momento em que ouviu os disparos. Ao total, 11 policiais estouraram o cativeiro e da casa ao lado, foi possível ouvir seis tiros e uma correria. A mulher que alugou o imóvel trabalha como comerciante e o companheiro é revendedor de veículos. Informações repassadas pela vizinhança apontam a participação de um outro casal no crime. A identidade do casal que foi morto ainda não foi divulgada pela polícia.

Veja também
>>> Menino sequestrado em Ilhota é solto pela Polícia Civil
>>> "Estamos muito felizes. Ele não tem nada, nem um arranhão", diz pai do menino

Profissionais da Diretoria Estadual de Investigações Criminais permanecem no local e uma coletiva de imprensa para explicar os detalhes do crime será concedida na Delegacia de Polícia de Gaspar por volta das 16h.

Casal levava uma vida aparentemente normal
Um casal teria alugado a residência há cerca de dois meses e levava uma vida comum, de acordo com relato dos vizinhos. O proprietário do imóvel contou que há uma semana os inquilinos tinham tapado uma janela de um dos cômodos do segundo andar do sobrado.

— Nunca suspeitávamos que o menino estivesse dentro da casa. O casal levava uma vida normal, frequentava a lanchonete do bairro — conta a proprietária do imóvel que preferiu não se identificar à reportagem.

JORNAL DE SANTA CATARINA

Notícias Relacionadas

Sequestro 03/06/2014 | 13h08

Menino sequestrado em Ilhota é solto pela Polícia Civil em ação que termina com dois suspeitos mortos

Operação ocorreu no final da manhã desta terça-feira em Penha

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaPedro Machado: Meirelles é visto com bons olhos pelo mercado, mas só isso não basta https://t.co/vJtxZhOyYC #LeiaNoSantahá 32 minutosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaColégio Militar de Blumenau abre inscrições na segunda-feira https://t.co/gzyiVxnyvB #LeiaNoSantahá 51 minutosRetweet

Veja também

Jornal de Santa Catarina
Busca