Florianópolis registra segundo maior aumento de assassinatos entre as Capitais brasileiras - Segurança - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Mapa da Violência25/08/2016 | 16h26Atualizada em 25/08/2016 | 16h26

Florianópolis registra segundo maior aumento de assassinatos entre as Capitais brasileiras

Levantamento com base em dados de 2014 aponta crescimento de 40% na capital catarinense

Florianópolis registra segundo maior aumento de assassinatos entre as Capitais brasileiras crime,homicídio,policia,igp,rua celito boeing,joinville/Agencia RBS
Foto: crime,homicídio,policia,igp,rua celito boeing,joinville / Agencia RBS

Florianópolis foi a Capital brasileira com o segundo maior aumento no número de assassinatos com armas de fogo em 2014. Em relação a 2013, o crescimento foi de 40,5%. Os dados são do Mapa da Violência divulgado nesta quinta-feira. A cidade catarinense ficou atrás apenas de Macapá (AM), que subiu 62%. Mesmo assim, o índice de Florianópolis é o maior do Sul do país, acima de Porto Alegre e Curitiba. Em 2014, 52 foram mortas a tiros na Capital catarinense contra 37 do ano anterior.

Santa Catarina se destaque em ranking, mas tem aumento nos assassinatos

Se for analisada a taxa por 100 mil habitantes, Florianópolis teve queda de 26%. No entanto, esse dado leva em conta também o crescimento populacional da cidade e não os números de mortes.

Assassinatos disparam em Florianópolis em 2016

O mesmo aumento de homicídios com arma de fogo ocorreu nos dados de Santa Catarina como um todo. Mas o índice foi menor, de 13,7%. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) afirmou via assessoria de imprensa que isso pode estar ligado à onda de atentados ocorrida no Estado em 2014.

Por outro lado, em 2016 o número de assassinatos na Capital continuou aumentando. Reportagem do Diário Catarinense em 1º de junho mostrou que nos primeiros cinco meses do ano, o índice cresceu 166%. À época, as polícias Civil e Militar creditaram a mudança de cenário à crise econômica. O tenente-coronel Alessandro Marques, subchefe de comunicação da PM, atribuiu o fato à recessão econômica em progressão que elevou o nível de desemprego. Outro ponto destacado por ele foram as disputas territoriais e acertos de contas.

O pesquisador Julio Jacobo Waiselfisz explica que o cenário dos aumentos em Florianópolis e Santa Catarina mostram oscilações e não apresentam uma tendência. Segundo ele, essas mudanças não têm explicação definida:

— Provavelmente vai acontecer nos próximos anos um aumento por conta da crise econômica. Procuramos regularidade e não exceções.

Waiselfisz ressalta que o atual cenário aponta para um crescimento na criminalidade nos próximos levantamentos por conta da crise econômica. Ele diz que "se espera que toda essa situação a nível nacional incentive o índice de violência".

Confira a íntegra do Mapa da Violência 2016

 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaConfira como fica o transporte coletivo em Joinville no dia da eleição https://t.co/hDrdVTcY9M #LeiaNoSantahá 6 minutosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaConfira como fica o transporte coletivo em Joinville no dia da eleição https://t.co/fal8cBdhHP #LeiaNoSantahá 9 minutosRetweet

Veja também

Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros