Homicídio de mulheres triplica e chega a 15 neste ano em Joinville - Segurança - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Violência14/09/2016 | 08h01Atualizada em 14/09/2016 | 08h01

Homicídio de mulheres triplica e chega a 15 neste ano em Joinville

Dos casos registrados pela polícia, em oito o principal suspeito é conhecido ou parente da vítima. Polícia também aponta que cresceu participação da mulher em atividades como o tráfico e a atuação nas facções criminosas

Homicídio de mulheres triplica e chega a 15 neste ano em Joinville Maykon Lammerhirt/Agencia RBS
Juliana Maria Cidral, 32 anos, foi vítima de um homem que abriu fogo em frente a uma boate, na região Central Foto: Maykon Lammerhirt / Agencia RBS

O assassinato de duas jovens na manhã de terça-feira na zona Norte de Joinville elevou para 15 o número de mulheres vítimas de homicídio em Joinville em 2016. O número é três vezes maior do que os crimes registrados em todo o ano passado na cidade, cinco.

Embora os crimes passionais e praticados dentro de casa sejam os que mais chamam a atenção — e que fazem parte das estatísticas ligadas à Lei Maria da Penha —, há um outro fator que é apontado pela Polícia Civil de Joinville para explicar esse fenômeno: a participação cada vez mais efetiva da mulher em atividades ilícitas como o tráfico de drogas e a atuação das facções criminosas.

Confira outras notícias de Joinville e região.

— Essas mortes de hoje (ontem), pelo que sei, estão relacionadas a tráfico de drogas e facções. Em relação aos crimes passionais, não percebemos um aumento significativo. Há, sim, um aumento do número de homicídios de um modo geral. E há uma mudança no comportamento das mulheres. Lembro que, quando entrei na Polícia, era muito raro ver mulheres envolvidas em situações penais. Hoje, não é raro aparecer mulheres conduzidas por estarem envolvidas diretamente com o tráfico — diz a delegada Tânia Harada, responsável pela Delegacia de Proteção à Criança, à Mulher e ao Idoso (DPCAMI) de Joinville.

Dos 15 casos de assassinatos registrados na cidade este ano, oito têm possível envolvimento de familiar ou pessoa próxima da vítima e, nestes casos, a motivação geralmente é o ciúme, a vingança ou mesmo a inconformidade com o fim de um relacionamento.

Em seis casos fica evidente a ligação com o envolvimento das mulheres em alguma atividade ilícita. Em uma das situações a mulher morreu por acaso, por estar diante de um atirador. É o caso da morte de Juliana Maria Cidral, 32 anos, que foi vítima de um homem que abriu fogo em frente a uma boate, na região Central.

— O que há, e que explique um pouco isso, talvez, seja um empoderamento negativo das mulheres. As mulheres hoje têm tido mais participação efetiva em atividades criminosas. Isso é fato. Há um envolvimento mesmo. Um empoderamento negativo — diz a delegada.


A NOTÍCIA

Notícias Relacionadas

Violência 12/09/2016 | 13h57

Família de mulher assassinada aguarda apresentação de ex-marido dela à Polícia

Ex-companheiro é considerado suspeito e não apareceu no velório nem no sepultamento de Aghata Christie Mafra, na manhã desta segunda-feira

Violência 05/08/2016 | 11h48

Suspeito de matar ex-mulher em Joinville tira a própria vida durante perseguição policial

Homero Batista Antunes não resistiu e morreu na emergência do Hospital Municiapal São José

Violência contra a mulher 04/08/2016 | 12h19

Ex-marido de mulher assassinada em Joinville não aceitava separação, diz amiga da vítima

Filho de Tânia Aguilar estava dentro da casa no momento em que homem chegou e atirou

Violência contra a mulher 03/08/2016 | 23h32

Filho e namorado de mulher assassinada em Joinville apontam ex-marido como culpado

Segundo a Polícia Militar, testemunhas disseram que homem entrou armado e atirou

 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaZona azul não deve ser retomada em Balneário Camboriú até o início da temporada https://t.co/yFP0UXAQiZ #LeiaNoSantahá 4 minutosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaFuncionários da Celesc entram em greve e serviços são prejudicados em Santa Catarina https://t.co/Ji7tZ5Xsxs #LeiaNoSantahá 4 minutosRetweet

Veja também

Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros