Índice de confiança dos catarinenses nas polícias supera 56%; Corpo de Bombeiros tem 94,5% de aprovação - Segurança - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Segurança SC11/11/2016 | 08h58Atualizada em 11/11/2016 | 09h11

Índice de confiança dos catarinenses nas polícias supera 56%; Corpo de Bombeiros tem 94,5% de aprovação

Dado foi obtido em pesquisa da Furb com tema sugerido pelos veículos da RBS SC

Índice de confiança dos catarinenses nas polícias supera 56%; Corpo de Bombeiros tem 94,5% de aprovação Sd BM Glauco/Divulgação
Foto: Sd BM Glauco / Divulgação

O Corpo de Bombeiros é a instituição de segurança pública considerada mais confiável em Santa Catarina. Na outra ponta, a Justiça e as leis brasileiras apresentam índices baixos de confiança. Essas e outras percepções dos catarinenses sobre a área estão na pesquisa feita pelo projeto de extensão Focus, da Universidade Regional de Blumenau (Furb), com tema sugerido pelos veículos da RBS SC.

40% dos crimes em SC não são registrados em BO, aponta pesquisa

Entre os órgãos de segurança que atuam em SC, o Corpo de Bombeiros teve o maior número de respostas "confio" e "confio muito", com 94,5%. Apenas 4,2% responderam que confiam pouco ou não confiam, além de 1,3% não saber dizer. Em segundo lugar na confiança ficou a Polícia Federal, com 66,5%. As pesquisadoras responsáveis pelo estudo, Cynthia Quadros e Fabricia Durieux Zucco, afirmam que esse índice pode estar ligado ao trabalho da corporação no país em atuações na Operação Lava-Jato.

Pesquisa aponta que 57,1% dos catarinenses se sentem inseguros no Estado

Por outro lado, explicam, a prisão do agente Newton Ishii, conhecido como Japonês da Federal, também influenciou nas opiniões negativas, representadas por 24,4%das pessoas que disseram não confiar ou confiarem pouco. Na ponta de baixo da confiança está a Polícia Civil, em que 41,3% confiam pouco ou não confiam. A corporação teve 55,9%de confiam e confiam muito. A Polícia Militar (PM) apareceu com 59,9% de aprovação e 37,2% de não confio ou confio pouco.

Já quando a pesquisa questionou os catarinenses sobre a Justiça brasileira, os resultados foram negativos: apenas 12,6% dos entrevistados confiam na instituição. Em relação às leis, a aprovação é de 12,8%.

Instituições analisam resultados

A reportagem procurou as instituições avaliadas para analisar os resultados. O comandante-geral do Corpo de Bombeiros, Onir Mocellin, órgão mais bem avaliado,creditou o bom índice a três motivos:"a preparação técnica do efetivo,viaturas e equipamentos adequados e o comprometimento e dedicação de cada integrante da corporação". A assessoria da Polícia Civil, que teve a maior avaliação negativa, disse que a leitura da instituição é positiva, já que 56% dos catarinenses confiam ou confiam muito na instituição. Sobre o treinamento dos policiais, o órgão afirma que ele é feito de acordo com o regimento da segurança pública. O texto finaliza dizendo que "o resultado dessas pesquisas é sintomático,vem com o tempo".

A PM explica que, considerando que parte da atuação envolve ações de repressão,"é de se imaginar um percentual de opiniões desfavoráveis". Em relação ao atendimento 190, o órgão afirma que,apesar das tecnologias aplicadas, se constatam eventuais represamentos de demandas por conta da necessidade de retrabalho.O tenente-coronel chefe da comunicação da PM-SC, João Batista Réus,alega que isso não tem origem no 190, pois os policiais estão rondando e prendendo as mesmas pessoas, pelos mesmos crimes. Sobre o treinamento do efetivo, a corporação entende que as pessoas não aprovam porque desconhecem.

Sobre a Justiça brasileira, o diretor de comunicação da Associação Catarinense dos Magistrados (AMC), Antonio Augusto Baggio e Ubaldo, diz que diferente do resultado da pesquisa, as pessoas confiam no Judiciário, uma prova disso é o alto número de processos derivados da procura da população. Já a Secretaria de Justiça e Cidadania do Estado, que administra o sistema prisional, "apesar do problema da falta de vagas no sistema penitenciário porque as prefeituras não autorizam a construção ou ampliação de unidades – como é o caso de São José, Palhoça e Imaruí – os presídios e penitenciárias do Estado vêm operando dentro da normalidade".

Em nota, o secretário da Segurança Pública de SC, César Augusto Grubba, diz que o Estado "detém os melhores índices de segurança do país", no entanto, há uma sensação de insegurança potencializada pela "mídia sensacionalista". Segundo ele,vários fatores influenciam para o aumento desta sensação."O medo de ser vítima de um homicídio é muito maior do que o medo de ser vitimado em um acidente de trânsito. No entanto, morrem muito mais pessoas em acidentes de trânsito do que em homicídio,nem por isso temos pavor em andar de carro", acrescenta em nota.

A Polícia Federal foi procurada e não respondeu até o fechamento desta edição.

Escolhido em votação pelos catarinenses, o tema segurança será prioritário em 2016. Durante todo o ano, acompanharemos indicadores criados junto com especialistas na campanha Segurança SC - Essa Causa é Nossa. Você também pode participar desse movimento! Clique na imagem abaixo, acesse o site da campanha e saiba como. Em redes sociais, utilize a hashtag #SegurancaSC e compartilhe sua história sobre o tema.


Leia mais:
Acesse mais notícias sobre a segurança em SC
SC teve aumento de latrocínios e mortes violentas em geral em 2015
Números da PM indicam queda em indicadores de violência na Capital
Complexo da segurança pública catarinense será inaugurado somente em 2017
Complexo penitenciário de Itajaí passa de unidade modelo a centro da crise na segurança pública


 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaPedro Machado: a Chapecoense é uma unanimidade https://t.co/w9WYf5SyKn #LeiaNoSantahá 8 diasRetweet
  • santacombr

    santacombr

    Santa"Pode-se tentar calar o juiz, mas nunca se conseguirá calar a Justiça", reage Cármen Lúcia https://t.co/JZDSmNAMoY #LeiaNoSantahá 8 diasRetweet

Veja também

Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros