Violência que amedronta: mortes e terror em comunidades da Grande Florianópolis - Segurança - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

 

GUERRA DE FACÇÕES16/11/2016 | 06h03Atualizada em 16/11/2016 | 06h03

Violência que amedronta: mortes e terror em comunidades da Grande Florianópolis

Documentos oficiais, depoimentos de moradores e investigações revelam como as organizações criminosas travam disputa pelo tráfico de drogas e instalam pavor na periferia.

Diogo Vargas e Júlio Ettore

diogo.vargas@diariocatarinense.com.br

Papaquara, Morro da Boa Vista, José Nitro, Dona Wanda, Chico Mendes, Novo Horizonte, Morro do Mosquito. Todas são comunidades da Grande Florianópolis em que a violência gerada por uma disputa sangrenta entre duas facções rivais está tirando vidas, amedrontando e impondo limites à população em geral.

Os protagonistas daquilo que a polícia define como uma guerra declarada são duas organizações criminosas: o Primeiro Grupo Catarinense (PGC) e o Primeiro Comando da Capital (PCC), de  São Paulo. A facção paulista busca a lacuna aberta no comando do tráfico de drogas em Santa Catarina após as prisões dos principais líderes do PGC nos últimos anos.

Clique na imagem abaixo para ler a reportagem especial do DC e RBS TV:

Foto: Arte / DC

Leia mais:

Corpo de homem carbonizado é encontrado com pneus, em Florianópolis

Violência em Joinville: um lugar dividido entre facções

Foto: Divulgação / Agencia RBS
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaPolícia prende três dos quatro suspeitos de assalto à cooperativa de crédito em Ilhota https://t.co/qz0D59mP25 #LeiaNoSantahá 6 minutosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaPolícia busca homens que assaltaram cooperativa de crédito nesta quarta-feira em Ilhota https://t.co/BPt5VH1loF #LeiaNoSantahá 3 horas Retweet

Veja também

Jornal de Santa Catarina
Busca