Delegado assassinado em Florianópolis abriu investigação sobre morte de Teori Zavascki - Segurança - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Duplo assassinato31/05/2017 | 09h26Atualizada em 31/05/2017 | 15h12

Delegado assassinado em Florianópolis abriu investigação sobre morte de Teori Zavascki

Adriano Antônio Soares era chefe da Polícia Federal em Angra dos Reis

Delegado assassinado em Florianópolis abriu investigação sobre morte de Teori Zavascki Cristiano Estrela/Agência RBS
Local onde ocorreu a troca de tiros na madrugada desta quarta-feira Foto: Cristiano Estrela / Agência RBS

CORREÇÃO: Até as 12h06min desta quarta-feira, este site informou que o delegado assassinado em Florianópolis, Adriano Antonio Soares, comandava a investigação sobre a morte do ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki. Em nota, a Polícia Federal esclareceu que o delegado foi responsável pela abertura do inquérito que apurava o caso. Atualmente, o inquérito encontra-se em Brasília. A reportagem já foi atualizada.

Um dos delegados da Polícia Federal (PF) assassinados em uma casa noturna de Florianópolis nesta quarta-feira foi o primeiro responsável pela investigação sobre a morte do ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki. Adriano Antônio Soares, de 47 anos, foi o responsável por abrir o inquérito do caso, um acidente aéreo ocorrido em Angra dos Reis, cidade onde Soares atuava, em janeiro deste ano.

Em nota, a Polícia Federal afirma que Soares não comandava mais a investigação, que, agora, está sendo conduzida pela delegacia de Brasília. Na capital federal, há delegacias especializadas, e uma delas atende casos desse tipo. 

Soares estava acompanhado do delegado Elias Escobar, de 60 anos, que também atuava no Rio de Janeiro. Os dois estavam na capital catarinense para um curso na sede da PF. Eles teriam se envolvido em uma discussão na casa noturna, que fica na parte Continental de Florianópolis, no bairro Estreito. O suspeito do crime é um comerciante da região, que está internado sob custódia no Hospital Florianópolis.

Veja quem eram os delegados:

Adriano Antônio Soares, 47 anos
Atuava como chefe da Polícia Federal de Angra dos Reis desde 2009. Em janeiro deste ano, abriu a investigação sobre o acidente aéreo que matou o ministro Teori Zavascki e mais quatro pessoas em Paraty (RJ). Na época, ele decretou o sigilo da investigação. Soares era delegado da PF desde 1999.

Elias Escobar, 60 anos
Elias Escobar era chefe da Polícia Federal em Niterói até março deste ano. Antes disso, ele atuou em Volta Redonda, onde comandou diferentes operações. Em 2014, oito policiais civis acusados de envolvimento com tráfico de drogas e extorsão no sul fluminense, em Minas Gerais e em São Paulo foram alvo de investigação comandada por Escobar. No ano de 2013, quando assumiu a chefia em Volta Redonda, o delegado prometeu que iria combater as milícias na região.

Leia mais
Delegados da PF são mortos a tiros em casa noturna em Florianópolis
Desentendimento banal teria motivado troca de tiros na casa noturna




 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaGrávida de 37 semanas é morta a facadas em Palhoça https://t.co/1E88pWwmZq #LeiaNoSantahá 57 minutosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaOAB Joinville vai avaliar se houve ilegalidade em medida tomada pela Maternidade Darcy Vargas https://t.co/4ILOlARrMV #LeiaNoSantahá 1 horaRetweet

Veja também

Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros