Polícia Civil prende suspeito de participar de decapitação em Joinville - Segurança - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Violência17/05/2017 | 12h26Atualizada em 17/05/2017 | 17h40

Polícia Civil prende suspeito de participar de decapitação em Joinville

Alan Santos Rodrigues, 24 anos, foi decapitado no dia 29 de março

Polícia Civil prende suspeito de participar de decapitação em Joinville Salmo Duarte/Agencia RBS
Cabeça do jovem foi localizada na rua Nossa Senhora de Fátima, em Joinville Foto: Salmo Duarte / Agencia RBS
A Notícia
A Notícia

A Polícia Civil de Joinville, por meio da Delegacia de Homicídios (DH), identificou na noite desta terça-feira mais um suspeito de envolvimento na decapitação de Alan Santos Rodrigues, 24 anos. O crime ocorreu em 29 de março, mesma data em que foi localizada a cabeça do jovem na rua Nossa Senhora de Fátima, bairro Vila Cubatão, zona Norte da cidade. Dois menores foram apreendidos na última semana suspeitos de envolvimento no crime. 

Ele foi identificado como Pablo Correia Rodrigues e tem 20 anos. O homem foi interrogado nesta terça-feira no Presídio Regional de Joinville, onde está preso desde 26 de abril após ser preso em flagrante por roubo. 

Segundo informações da DH, a investigação avançou depois que os adolescentes foram apreendidos na última quarta-feira, dia 10. O suspeito foi confrontando pela polícia com o conjunto probatório obtido das declarações dos menores, que confessou integramente o crime. Durante interrogatório, ele explicou que foi o responsável por esfaquear Alan Santos antes da produção do vídeo que circulou pelas redes sócias.

O interrogado também relatou à polícia que foi o autor da filmagem e que é dele a voz que pode ser ouvida na gravação. Após isso, ocultou o corpo e decapitou a vítima com um facão, levando a cabeça até o bairro Vila Cubatão.

"Nós sabemos que nessa vida de drogas só há dois caminhos: a morte ou a cadeia", diz pai de jovem decapitado em Joinville 

Ainda em depoimento, o suspeito afirmou não manter nenhuma relação ou ligação pessoal com o jovem decapitado. Por este motivo, a Polícia Civil confirmou que a motivação do crime está ligada exclusivamente às disputas entre facções criminosas.

Segundo o delegado Elieser Bertinotti, o homem contou em detalhes como realizou cada etapa do crime. As análises forenses realizadas no caso da decapitação confirmam os dados obtidos durante o interrogatório, principalmente marcas corporais, informações privilegiadas e confronto de voz preliminar.

Um dos garotos de 17 anos apreendidos no dia 10 de maio confessou ter asfixiado Alan, que foi a causa da morte. O outro adolescente apreendido foi ouvido e afirmou não ter participação no crime, mas, segundo a Polícia Civil, ele estava no local do homicídio, que é  um ponto de tráfico. Apesar de nenhum dos envolvidos diretamente no crime terem dado nomes, a Delegacia de Homicídios trabalha com a hipóteses de outros envolvidos e dará continuidade à investigação.

Alan não tinha passagens pela polícia e fazia bicos como pintor. Filho de pais religiosos, havia frequentado a igreja evangélica por muitos anos. Aos 15 anos, começou a se envolver com drogas. O pai, Neri Santos, lembrou que, no dia do crime, ele recebeu uma ligação por volta das 17 horas e saiu de casa dizendo que ia ao bairro Ullysses Guimarães. Segundo a investigação, Alan foi de forma voluntária ao local do crime, uma casa na rua Corumbá, no bairro Profipo.

 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaOito suspeitos de envolvimento no atentado em Manchester seguem presos https://t.co/ywHbRTuPlH #LeiaNoSantahá 32 minutosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaReceita Federal apreende R$ 2 milhões em mercadorias falsificadas no Porto de Itajaí https://t.co/X7nDlkCghH #LeiaNoSantahá 32 minutosRetweet

Veja também

Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros