"Crime passional é uma hipótese", diz delegado sobre mulher achada morta em armário em Chapecó - Segurança - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Violência contra mulher06/07/2017 | 13h07Atualizada em 06/07/2017 | 18h00

"Crime passional é uma hipótese", diz delegado sobre mulher achada morta em armário em Chapecó

Fabiana foi encontrada dentro de um armário com um corte no pescoço e uma perfuração no lado esquerdo do peito. Marido está desaparecido

"Crime passional é uma hipótese", diz delegado sobre mulher achada morta em armário em Chapecó Reprodução da Internet/facebook
Fabiana Diavan Favero tinha 37 anos Foto: Reprodução da Internet / facebook

A Polícia Civil considera que Fabiana Diavan Favero, encontrada morta dentro de um armário em Chapecó, pode ter sido vítima de crime passional. O marido dela está desaparecido desde terça-feira e ainda não entrou em contato com a polícia. O casal tinha um filho de 17 anos.

— Não temos contato com ele ainda. A possibilidade de crime passional é uma das hipóteses, mas não podemos descartar outras — disse o delegado Rodrigo Moura, da Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso de Chapecó.

Fabiana tinha 37 anos. O corpo dela foi encontrado dentro de um armário, no apartamento da família, no Centro de Chapecó. Ela tinha um corte na garganta e uma perfuração no lado esquerdo do peito. Segundo o delegado, o exame médico indica que Fabiana morreu na terça-feira. O corpo foi encontrado na tarde da última quarta por familiares.

A partir desta quinta-feira, Moura deve ouvir pessoas que conviviam com o casal sobre a relação dos dois. Segundo o delegado, Fabiana não registrou boletins de ocorrência contra o marido e não há relatos de violência doméstica. O Instituto Geral de Perícia fez uma perícia no apartamento onde Fabiana foi encontrada. Ainda não há prazo para que o laudo esteja pronto.

O corpo de Fabiana foi enterrado na manhã desta quinta no Cemitério Municipal de Chapecó.

Leia mais notícias:

Mulher é encontrada morta dentro de armário em apartamento no centro de Chapecó

Ângela Bastos: "Enquanto as perguntas são feitas, mais uma mulher é assassinada"

Sozinhas: histórias de mulheres que sofrem violência no campo

"Pretendemos quebrar o silêncio", diz artista sobre mostra que trata da violência contra a mulher 

 
 
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros