Secretaria abre procedimentos para apurar lista interna de presos no Complexo Penitenciário da Capital - Segurança - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Sistema prisional20/07/2017 | 12h24Atualizada em 20/07/2017 | 15h58

Secretaria abre procedimentos para apurar lista interna de presos no Complexo Penitenciário da Capital

Secretário diz que a pasta trabalha apenas com planilha oficial do i-Pen

Secretaria abre procedimentos para apurar lista interna de presos no Complexo Penitenciário da Capital /Agencia RBS
Unidade fica no Bairro Agronômica, região central de Florianópolis Foto: Agencia RBS

A existência de uma lista interna de presos que estão no Complexo Penitenciário da Capital é alvo de procedimentos internos abertos nesta semana pela Secretaria de Justiça e Cidadania (SJC) de Santa Catarina, responsável pelo sistema prisional catarinense. Na última segunda-feira, quando o caso foi divulgado pela repórter Talita Rosa, na RBS TV, o Departamento de Administração Prisional disse apenas que não reconhecia documentos internos e só trabalhava com o sistema i-Pen, considerado o relatório oficial de controle de entrada e saída de detentos nas unidades do Estado. Dois dias após a denúncia, nesta quarta-feira a SJC resolveu suspender a aceitação de novos presos na unidade sob a justificativa de superlotação.

Leia também:
Planilhas revelam que Deap esconde real número de detentos em Florianópolis
Estado deixa de receber presos no Complexo Penitenciário de Florianópolis

Nesta quinta-feira, no entanto, o secretário-adjunto da SJC, Leandro Soares Lima, admitiu que o caso está sendo apurado e até a próxima semana haverá uma definição do que ocorreu:

— Não posso me manifestar ainda sobre isso porque tenho que acompanhar a investigação interna. Preciso tomar cautela, não ficar pré-julgando e criando conceitos ou estabelecendo fatos que ainda não são confirmados. Esse caso foi objeto de inúmeras conversas internar durante essa semana.

Lima garante que o Deap e a SJC trabalham apenas com os dados do i-Pen. O livro de registros internos ou qualquer outro documento, mesmo que tenham assinatura e carimbo de servidores, não são considerados oficiais, segundo ele. O secretário, admite, no entanto, que os documentos divulgados na reportagem da RBS TV chamam a atenção:

— Tanta chama a atenção que abrimos procedimentos administrativo e correcional. Iremos investigar se os dados apresentados nesse livro são os mesmos que estão no i-Pen. O livro de registros é de consumo interno, tudo é anotado nele.

Mesmo com os indícios da presença de mais detentos na unidade do que o oficialmente divulgado, a SJC diz que não acredita que isso esteja ocorrendo:

— Não acredito. Com tudo que ouvi até agora, não existe informação de presos colocados a mais na unidade.

O Judiciário e o Ministério Público cobraram informação da secretaria. Segundo Lima, o Estado deve responder aos pedidos nos próximos dias. Por conta da superlotação, o complexo da Capital não está mais recebendo novos detentos desde a manhã de quarta-feira.

Leia também:
TJ-SC vai apurar se Deap esconde número real da Penitenciária da Capital
Leia todas as notícias do Diário Catarinense


Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros