Tráfico de drogas perto de escolas preocupa polícia em Blumenau - Segurança - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Segurança08/09/2017 | 07h00Atualizada em 08/09/2017 | 07h00

Tráfico de drogas perto de escolas preocupa polícia em Blumenau

Compra e venda de drogas ocorre ao lado de escolas, onde crianças assistem tudo. Em uma ação mais de 500 pedras de crack foram apreendidas


Foto: Patrick Rodrigues / Agencia RBS

Exposição descarada. Era assim, sem nenhum pudor e totalmente visível, a operação de um esquema de tráfico de drogas desmanchado pela Polícia Civil de Blumenau nas últimas semanas. Dizer que ocorria perto de escolas seria um eufemismo. A compra e venda das mais variadas drogas estava literalmente ao lado de unidades de ensino, na sombra do muro e à luz do dia, enquanto guardas de trânsito auxiliam crianças na travessia da faixa de pedestres, a poucos metros de distância. Organizada pela Divisão de Investigação Criminal (DIC) da polícia e que resultou na prisão de três pessoas, a ação no bairro Fidélis no fim de agosto expôs uma preocupação da segurança pública e da educação na cidade: o tráfico de drogas que convive com crianças e adolescentes nos arredores do ambiente de ensino.

O problema não é novo e está no radar da polícia em Blumenau há bastante tempo, mas chamou a atenção da DIC após operações no ano. Conforme o delegado Egídio Ferrari, várias apreensões de drogas ocorreram nos últimos meses em casas perto de escolas ou em ruas próximas, mas ainda não havia ocorrido em 2017 um caso tão preocupante como o de duas semanas atrás.

– Vendiam todas as drogas ali, mas principalmente o crack, que é o pior. Na hora da nossa abordagem (às 15h30min de uma sexta-feira) acho que umas 30 crianças subiram no muro da escola para ficar vendo a ação. Então, elas têm visão (do tráfico). Do mesmo jeito que viram a polícia prendendo, viam os traficantes vendendo e usuários comprando. Esse tráfico perto das escolas tem preocupado muito a gente – ressalta Ferrari, destacando que o número de denúncias aumentou muito após a ação no Fidélis.

E é a partir das informações repassadas por moradores que a polícia é capaz de deflagrar ações contra o tráfico de drogas perto das escolas, pois muitas vezes as rondas ostensivas da Polícia Militar não conseguem atingir esse tipo de crime. Duas operações em dias seguidos foram necessárias para prender três traficantes e apreender cerca de 500 pedras de crack, e a ação só foi possível porque a Polícia Civil usou carros descaracterizados.

– Nesses lugares os traficantes têm adolescentes que ficam nas ruas por perto com comunicadores avisando quando alguma viatura da polícia ou carro suspeito passa. Quando a guarnição chega lá o traficante já fugiu ou jogou a droga fora – explica o delegado.

Delegado Egídio Ferrari comandou apreensão de drogas ao lado de escola em Blumenau Foto: Patrick Rodrigues / Agencia RBS

Polícia Militar foca na prevenção

Embora faça rondas em pontos determinados e nos arredores de algumas escolas, a Polícia Militar admite que tem dificuldades para atuar contra o tráfico nas comunidades escolares. As viaturas chamam a atenção e o efeito surpresa da abordagem desaparece, por isso o comandante do 10º Batalhão, tenente-coronel Jefferson Schmidt, destaca que o trabalho da companhia fica muito mais focado na prevenção – com programas como o Proerd.

– Rondas são feitas de forma frequente, mas a gente sabe que não inibe esse tipo de tráfico, infelizmente. O Proerd faz o trabalho preventivo para que essas crianças e adolescentes não caiam na tentação das drogas.

Presente em 86% das turmas de 5º ano do ensino fundamental na rede de ensino em Blumenau – entre escolas municipais, estaduais e particulares – o Proerd atende mais de 4 mil crianças na cidade com a presença de policiais militares na sala de aula educando sobre os perigos das drogas. De certa forma, é uma preparação para o ambiente que muitas acabam encontrando assim que cruzam o portão da unidade de ensino.

Poder público trata questão das drogas em palestras

Tanto a secretaria de Estado de Educação quanto a secretaria municipal em Blumenau dizem tratar de forma semelhante a questão das drogas nas escolas: com palestras e trabalhos de formação com as equipes. Nas escolas estaduais funciona por meio dos Núcleos de Educação e Prevenção, formados dentro de cada unidade por pais e professores e com auxílio de outros setores, como a segurança pública e a assistência social.

No âmbito municipal, a secretária de Educação Patrícia Lueders diz que a prefeitura foca na formação de coordenadores e diretores de escolas. Aos profissionais é dada a missão de repassar as informações e os cuidados à comunidade escolar. Quando algum caso de uso de substâncias é localizado, a secretaria faz o acompanhamento junto de pedagogos e assistentes sociais.

Jornal de Santa Catarina
Busca